Os experimentos de William Harvey sobre o movimento circular do sangue: uma releitura histórica sob as lentes da epistemologia de Bachelard

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764//2447-5777v8n1.2022.2

Palavras-chave:

Circulação do sangue, William Harvey, Bachelard, rupturas, Obstáculos epistemológicos

Resumo

Este estudo, de caráter teórico e bibliográfico, teve como objetivo analisar os experimentos de William Harvey com o movimento circular do sangue no corpo humano a partir da Epistemologia de Bachelard. Recorreu-se a fontes que discutem o referido episódio histórico e outras que abordam a perspectiva bachelardiana. A análise indicou que as investigações e os experimentos de Harvey romperam com compreensões de circulação sanguínea vigentes até então e retificaram erros cometidos por estudos anteriores, como os de Aristóteles e Galeno. Todavia, perceberamse, em sua produção, traços de continuísmo materializados pela presença de alguns obstáculos epistemológicos: verbal, realista, animista e do conhecimento unitário e pragmático. Com os estudos de Harvey, cresceram os grupos de médicos e anatomistas dedicados à temática, instituindo-se a cidade científica e o fortalecimento da fenomenotécnica. Ressaltam-se a importância das releituras de episódios históricos à luz de diferentes epistemologias no Ensino de Ciências e seu potencial de irromper visões ingênuas e objetivistas da produção do conhecimento científico.

William Harvey’s experiments on the circular blood movement refreshed by the Bachelard’s epistemology

This theoretical and bibliographic study aimed to analyze William Harvey’s experiments with the circular movement of blood in the human body based on Bachelard’s Epistemology. We resorted to sources that discuss the historical episode and others that approach the Bachelardian perspective. The analysis indicated that Harvey’s investigations and experiments broke with current understandings of blood circulation and corrected errors made by earlier studies, such as those of Aristotle and Galen. However, traces of continuity were noticed in his production, materialized by the presence of some epistemological obstacles: verbal, realistic, animistic, and unitary and pragmatic knowledge. With Harvey’s studies, the groups of doctors and anatomists dedicated to the subject grew, establishing the scientific city, and strengthening phenotechnics. The importance of re-reading historical episodes in the light of different epistemologies in Science Teaching is highlighted, as well as its potential to erupt naïve and objectivist visions of scientific knowledge production.

Keywords: Blood circulation. William Harvey. Bachelard. Breakages. Epistemological obstacles

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Martins de Avelar, Universidade Federal de Goiás

Licenciado em Ciências Biológicas pelo Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Goiás (UFG). Discente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da UFG. Membro do Grupo de Pesquisa Colligat - (re)pensando a formação de professores de Ciências da Natureza (UFG).

Fábio de Sá Borges, Universidade Federal de Goiás

Licenciado em Matemática pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Discente de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da UFG.

Mel de Oliveira Duarte, Universidade Federal de Goiás

Mestre em Zoologia pela Universidade Federal do Pará (UFPA) e Museu Paraense Emílio Goeldi. Discente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da Universidade Federal de Goiás (UFG). Membra do Grupo de Pesquisa Colligat - (re)pensando a formação de professores de Ciências da Natureza (UFG).

Nyuara Araújo da Silva Mesquita, Universidade Federal de Goiás

Doutora em Química pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Professora do Instituto de Química e do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da UFG.

Referências

AIRD, W. C. Discovery of the cardiovascular system: from Galen to William Harvey. Journal of Thrombosis and Haemostasis, [on-line], v. 9, n. 1, p. 118-129, 2011. https://doi.org/10.1111/j.1538-7836.2011.04312.x

AUGUSTO, T. G. R.; SILVA JUNIOR, C. A. S. A trajetória do sangue no corpo humano: a história da ciência na formação continuada de professores de biologia. Revista Brasileira de História da Ciência, Rio de Janeiro, v. 13, n. 2, p. 250-260, jul./dez., 2020. https://doi.org/10.53727/rbhc.v13i2.37

BACHELARD, G. O novo espírito científico. São Paulo: Abril Cultural, 1978. (Coleção Os Pensadores.)

BACHELARD, G. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 1988.

BACHELARD, G. A formação do espírito científico: contribuição para uma psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BARBOSA, E. Gaston Bachelard e o racionalismo aplicado. Cronos, Natal, v. 4, n. 1, p. 33-37, jan./dez. 2003.

COSTA, C. L. F. Ciência e educação em Bachelard. 2015. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pósgraduação Stricto Sensu em Educação, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2015.

CUNHA, C. E. C. A teoria de William Harvey da circulação do sangue: um traçado histórico do desenvolvimento das concepções, dos conceitos e dos modelos. 2013. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Saúde e do Ambiente) – Centro Universitário Plínio Leite, Niterói, 2013.

DELIZOICOV, N. C. O movimento do sangue no corpo humano: história e ensino. 2002. Tese (Doutorado em Educação) – Centro de Ciências da Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

DELIZOICOV, N. C.; CARNEIRO, M. H. S.; DELIZOICOV, D. O movimento do sangue no corpo humano: do contexto da produção do conhecimento para seu ensino. Ciência & Educação, Bauru, v. 10, n. 3, p. 443-460, 2004. https://doi.org/10.1590/S1516-73132004000300009

DEMO, P. Metodologia do conhecimento científico. São Paulo: Atlas, 2000.

FILHO, R. N. A. P. A epistemologia histórica de Gaston Bachelard. Revista Pesquisa em Foco: Educação e Filosofia, São Luís, v. 3, n. 3, p. 101-109, 2010. HANNAH, R. William Harvey demonstrando para Charles Eu o Circulação do sangue do coração de um veado, 1848. Disponível em: http://medicineisart.blogspot.com/2010/08/william-harvey-demonstrandocirculacao.html. Acesso em: 08. jan. 2022.

HARVEY, W. Experimentos de William Harvey com ligaduras, 1628. Disponível em: http://whainohayana. blogspot.com/2016/02/experimentos-de-william-harvey.html. Acesso em: 08. jan. 2022.

HARVEY, W. Estudo anatômico do movimento do coração e do sangue nos animais. São Paulo: Editora Unifesp, 2009.

LIMA, S. G. Uma aproximação didática por meio da história do conceito de circulação sanguínea. 2008. 129 f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2008.

LOPES, A. C. Currículo e Epistemologia. Ijuí: Editora UNIJUÍ, 2007.

MESQUITA, N. A. et al. A dupla hélice do DNA: história revisitada à luz da epistemologia kuhniana. Conjectura: Filosofia e Educação, Caxias do Sul, v. 22, n. 3, p. 598-616, set./dez. 2017. https://doi.org/10.18226/21784612. v22.n3.11

MOWRY, B. From Galen’s theory to William Harvey’s theory: a case study in the rationality of scientific change. Studies in History and Philosophy of Science, [on-line], v. 1, n. 16, p. 49-82, 1985. https://doi.org/10.1016/0039-3681(85)90007-x

NUNES, L. B. X. William Harvey e a circulação sanguínea: uso de fontes primárias da história da ciência no ensino de biologia. 2020. 169 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2020.

PORTO, M. A. A circulação do sangue, ou o movimento do conceito de movimento. História, Ciências, Saúde, Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 19-34, 1994. https://doi.org/10.1590/S0104-59701994000100004

REBOLLO, R. A. A difusão da doutrina da circulação do sangue: a correspondência entre William Harvey e Caspar Hofmann em maio de 1636. História, Ciências, Saúde, Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 9, n. 3, p. 479-513, set./dez. 2002. https://doi.org/10.1590/S0104-59702002000300002

REBOLLO, R. A. William Harvey e a descoberta da circulação do sangue. São Paulo: Editora Unesp, 2012.

RIBEIRO, G.; SILVA, J. L. C. Replicação de uma experiência histórica em Anatomia Humana: o papel da experiência de William Harvey a favor do movimento circular do sangue. História da Ciência e Ensino: construindo interfaces, [on-line], v. 20, n. 1, p. 725-737, dez. 2019. https://doi.org/10.23925/2178-2911.2019v20espp725-737

SÁ, J. A. A noção de racionalismo aplicado na obra de Gastón Bachelard. Griot: Revista de Filosofia, [S. l.], v. 17, n. 1, p. 134-153, 2018. https://doi.org/10.31977/grirfi.v17i1.804

STÜLP, C. B.; MANSUR, S. S. O Estudo de Claudio Galeno como Fonte de Conhecimento da Anatomia Humana. Khronos, [S. l.], n. 7, p. 17, 2019. https://doi.org/10.11606/khronos.v0i7.159295

Downloads

Publicado

2022-04-09

Como Citar

AVELAR, L. M. de; BORGES, F. de S.; DUARTE, M. de O.; MESQUITA, N. A. da S. Os experimentos de William Harvey sobre o movimento circular do sangue: uma releitura histórica sob as lentes da epistemologia de Bachelard. Ensino & Multidisciplinaridade, São Luís, v. 8, n. 1, p. e0222, 1–14, 2022. DOI: 10.18764//2447-5777v8n1.2022.2. Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/ens-multidisciplinaridade/article/view/17800. Acesso em: 28 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)