Articulação teórica entre os atributos do jogo para a aprendizagem e a classificação do jogo em Roger Caillois: possibilidades para o ensino de química

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2447-5777v9n1.2023.10

Palavras-chave:

Jogo, Jogo Educativo, Articulação Teórica, Taxonomia do Jogo

Resumo

Este artigo é uma proposta de articulação teórica entre os atributos presentes nos jogos que podem ser utilizados para direcionar uma taxonomia de características de jogos para o ensino e a aprendizagem, com a classificação desses na perspectiva de Roger Caillois. Discutimos e apresentamos as quatro classificações de jogos de Caillois, a saber: agôn, alea, mimicry e ilinx. Também descrevemos os 18 atributos de jogos a partir do trabalho de Bedwell et al., os quais podem ser resumidos em: desafio, conflito, fantasia, comunicação, regras, ambiente, interação com o jogo, interação social, mistério e surpresa. Ao estabelecer as relações teóricas, foi possível depreender que a maioria dos atributos está ligada à classificação agôn e mimicry. Poucos atributos se referem à alea e ao ilinx. Compreendemos que as características relacionadas a aspectos competitivos e de habilidade, bem como os aspectos de representação e personificação, estão mais próximas ao conceito epistemológico do jogo e podem ser utilizadas para a proposição de jogos mais efetivos no ensino e aprendizagem de química.

Theoretical articulation between the attributes of the game for learning and the classification of the game in Roger Caillois: teaching of chemistry possibilities

Abstract
This article proposes a theoretical articulation between the attributes present in games and that can be used to direct a taxonomy of characteristics of games for teaching and learning, with the classification of games from the perspective of Roger Caillois. We discuss and present the four classifications of Caillois games, namely: agôn, alea, mimicry, and ilinx. We also describe the 18 attributes of games from the work of Bedwell et al., which can be summarized in challenge, conflict, fantasy, communication, rules, environment, interaction with the game, social interaction, mystery, and surprise. When establishing the theoretical relationships, it was possible to infer that most of the attributes are linked to agôn classification and mimicry. Few attributes refer to alea and ilinx. We understand that the characteristics related to competitive and skill aspects, as well as the aspects of representation and personification, are closer to the epistemological concept of the game and can be used to propose more effective games in the teaching and learning of chemistry.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Felipe Augusto de Mello Rezende, Universidade Federal de Goiás

Licenciado em Química pelo Instituto Federal Goiano. Mestre e Doutor em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Goiás.

Márlon Herbert Flora Barbosa Soares, Universidade Federal de Goiás

Laboratório de Educação Química e Atividades Lúdicas. Instituto de Química. Universidade Federal de Goiás

Referências

BEDWELL, W. L.; PAVLAS, D.; HEYNE, K.; LAZZARA, E. H.; SALAS, E. Toward a taxonomy linking game attributes tolearning: an empirical study. Simulation & Gaming: An Interdisciplinary Journal, Thousand Oaks, v. 43, n. 6, p. 729-760, 2012.

BRÉCHON, R. Roger Caillois e seu duplo. Revista Colóquio/Letras, Lisboa, n. 52, p. 23-31, 1979.

BROUGÈRE, G. Jogo e educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

CAILLOIS, R. Os jogos e os homens: a máscara e a vertigem. Petrópolis: Editora Vozes, 2017.

CHATEAU, J. O jogo e a criança. São Paulo: Summus Editorial, 1987.

CLEOPHAS, M. G.; SOARES, M. H. F. B. (org.). Didatização lúdica no ensino de química/ciências: teorias de aprendizagem outras interfaces. São Paulo: Livraria da Física, 2018.

CLEOPHAS, M. G.; CAVALCANTI, E. L. D.; SOARES, M. H. F. B. Afinal de contas, é jogo educativo, didático ou pedagógico no ensino de química/ciências? Colocando os pingos nos “is”. In: CLEOPHAS, M. G.; SOARES, M. H. F. B. (org.). Didatização lúdica no ensino de química/ciências. São Paulo: Livraria da Física, 2018. p. 33-43.

DUFLO, C. O jogo de Pascal a Schiller. Porto Alegre: ArtMed, 1999.

HUIZINGA, J. Homo Ludens: o jogo como elemento da cultura. 9. ed. São Paulo: Perspectiva, 2019.

MALONE, T. W. Towards a theory of intrinsically motivation instruction. Cognitive Science, Seoul, v. 4, p. 333-369, 1981.

PIAGET, J. Relações entre a afetividade e a inteligência no desenvolvimento mental da criança. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2014.

REZENDE, F. A. M.; SOARES, M. H. F. B. Análise de elementos corruptivos dos jogos educativos publicados na QNEsc (2012-2021) na perspectiva de Caillois. Química Nova na Escola, São Paulo, v. 44, p. 1-15, 2022.

REZENDE, F. A. M.; SOARES, M. H. F. B. Análise teórica e epistemológica de jogos para o ensino de química publicados em periódicos científicos. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, BeloHorizonte, v. 19, p. 747-774, 2019a.

REZENDE, F. A. M.; SOARES, M. H. F. B. Jogos no ensino de química: um estudo sobre a presença/ausência de teorias de ensino e aprendizagem na perspectiva do V epistemológico de Gowin. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 24, p. 103-121, 2019b.

SOARES, M. H. F. B. Jogos e atividades lúdicas no ensino de química. São Paulo: Livraria da Física, 2023.

WILSON, K. A.; BEDWELL, W. L.; LAZZARA, E. H.; SALAS, E.; BURKE, C. S.; ESTOCK, J.; CONKEY, C. Relationships between game attributes and learning outcomes: review and research proposals. Simulation & Gaming: An Interdisciplinary Journal, Thousand Oaks, v. 40, n. 5, p. 217-266, 2009.

Downloads

Publicado

2023-11-27

Como Citar

REZENDE, F. A. de M.; SOARES, M. H. F. B. Articulação teórica entre os atributos do jogo para a aprendizagem e a classificação do jogo em Roger Caillois: possibilidades para o ensino de química. Ensino & Multidisciplinaridade, São Luís, v. 9, n. 1, p. e1023, 1–11, 2023. DOI: 10.18764/2447-5777v9n1.2023.10. Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/ens-multidisciplinaridade/article/view/21894. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos