Alfabetização matemática de alunos com Transtorno do Espectro Autista

Autores

  • Maria Luana Feitosa de Araujo Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).
  • Josiel de Oliveira Batista Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).
  • Danielle de Sousa Silva dos Santos Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).
  • Luciane Ferreira Mocrosky Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Palavras-chave:

Transtorno do Espectro autista. Alfabetização Matemática. Formação de professores. Abordagem Fenomenológica.

Resumo

O autismo é o mais conhecido dentre os Transtornos Invasivos do Desenvolvimento. Ainda assim, uma das maiores preocupações dos pais e professores de um aluno autista é com sua vida social e a vivência escolar, pois o processo de inclusão escolar do aluno com Transtorno do Espectro autista (TEA) é demorado e desgastante, pois mesmo sendo um direito garantido por lei é difícil encontrar uma instituição preparada para recebe-lo e atende-lo diante das suas especificidades. Esta pesquisa interroga “O que é isso? Alfabetização matemática do aluno autista?” de modo a abrir caminhos para compreensões que rodeiam a temática. Trabalha com recortes de uma pesquisa maior que toma por metodologia a pesquisa qualitativa com abordagem fenomenológica, buscando por compreensões acerca dos modos de alfabetizar matematicamente alunos diagnosticamos com TEA. Nossas conclusões apontam que a alfabetização matemática do aluno com TEA compreende um processo, iniciado com o olhar do professor para o aluno, de modo a enxergar suas especificidades, a ver seu comportamento e como esse aluno aprende, até a compreensão de que não há uma fórmula específica para o ensino, mas estratégias que podem ser adotadas, embasadas na observação e na adaptação das atividades ao ritmo de aprendizagem de cada aluno.

Mathematical literacy of students with Autism Spectrum Disorder

Abstract

Autism is the best known of Invasive Developmental Disorders. Still, one of the biggest concerns of parents and teachers of an autistic student is with their social life and school experience, as the process of school inclusion of the student with Autism Spectrum Disorder (ASD) is time consuming and exhausting. Even though it is a right guaranteed by law, it is difficult to find an institution prepared to receive and serve you, given its specificities. This research asks “What is it, Mathematical Literacy (AM) of the autistic student?” in order to open paths to understandings that surround the theme. It works with excerpts from a larger research that uses qualitative research as a methodology with a phenomenological approach, searching for understandings about the ways of mathematically literating students diagnosed with ASD. Our conclusions point out that the AM of the student with ASD comprises a process, initiated with the teacher's view of the student, in order to consider their specificities, their behavior and how that student learns, until the understanding that there is no specific formula for teaching, but strategies that can be adopted, based on observation and adaptation of activities to the learning pace of each student.

Keywords: Autism. Mathematics Education. Mathematical Literacy. Teacher Education. Phenomenological Approach.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Luana Feitosa de Araujo, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).

Graduada em Matemática pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).

Josiel de Oliveira Batista, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).

Professor na Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), atuando na Faculdade de Ciências Agrárias de Marabá (FCAM) e doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM, UFPR).

Danielle de Sousa Silva dos Santos, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Mestranda pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Graduada em matemática pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).

Luciane Ferreira Mocrosky, Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

Professora na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR, Curitiba, atuando no Programa de Pós-Graduação em Formação Educacional, Científica e Tecnológica (PPGFCET, UTFPR) e nos Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM, UFPR).

Referências

ABRÃO R. K. A Análise do Uso dos Jogos para o Desenvolvimento do Pensamento Lógico-Matemático nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Vivências (URI. Erechim), v. 14, p. 10-19. 2012.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Diagnostic and statistical Manual of Mental Disorders (DSM-IV). 4. ed. Washington: American Psychiatric Association, 1994.

AMORIM. C. S. A. Importância da Psicomotricidade na Pré-Escola. 2003. 37 f. Monografia; (Aperfeiçoamento/Especialização em Psicomotricidade) - Universidade Candido Mendes.

BASTOS, M. B. Tratar e educar: escrita e alfabetização de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) In: MACHADO, A. M.; LERNER, A. B. C.; FONSECA, P. F. Concepções e proposições em psicologia e educação: a trajetória do Serviço de Psicologia Escolar do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo [livro eletrônico]. São Paulo: Blucher, 2017.

BELISÁRIO FILHO, J. F. CUNHA, P. A educação especial na perspectiva da inclusão escolar: transtornos globais do desenvolvimento. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2010.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 1, de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Brasília, 2006.

______. Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, 2012.

______. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Apresentação/Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. – Brasília: MEC, SEB, 2014.

BRITES, C. Estratégias para manter o aluno autista em sala de aula. Disponível em: <http://entendendoautismo.com.br/artigo/estrategias-para-manter-atencao-do-aluno-autistaem-sala-de-aula/> Acesso em 31/07/2019.

CALSA, G. C.; FURTUOSO, P. Estudo Sobre a Prática de Alfabetização

Matemática de Professoras da Educação Infantil. Revista Educação e Linguagens,

v.4, n.6, p.124-141, ago. 2015.

CAMARGOS, W. Jr. Transtornos invasivos do desenvolvimento: 3º Milênio. Brasília: CORDE, 2002.

CARVALHO, M. F.; GASPARINI, I.; HOUNSELL, M. da S. Jogos Digitais Educacionais para Alfabetização Matemática: Levantamento de Habilidades e Level Design. V Congresso Brasileiro de Informática na Educação (CBIE 2016). Anais[...] XXVII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE 2016). DOI: 10.5753/cbie.sbie.2016.430.

CATTANEI, E. Entes matemáticos e metafísica: Platão, a Academia e Aristóteles em confronto. São Paulo: Edições Loyola, 488 p. 2005

CHIOTE, F. A. B. Inclusão da criança com autismo na educação infantil: trabalhando a mediação pedagógica. Rio de Janeiro: Wak, 2013.

COELHO, C. M. M. Formação docente e sentidos da docência: sujeito que ensina, aprende. In: SCOZ, B. J. L.; MARTINEZ, A. M. Ensino e Aprendizagem: a Subjetividade em Foco. Editora Liber livro, 2012.

CORDEIRO, M. J. R. A. Capacidade de subitizing em crianças de 4 anos. 2014. 130 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós Graduação em Educação, Escola Superior

de Educação de Lisboa, Lisboa, 2014.

CRUZ, E. P. Classificação na Educação Infantil: o que propõem os livros e como é abordada por professores. 2013. 170 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática e Tecnológica) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2013.

DICIONÁRIO INFORMAL. (2010) Símbolo. Disponível em: <http://www.dicionarioinformal.com.br/s%C3%ADmbolo/> Acesso em 31/03/2016.

FONSECA, C. C. O Esquema Corporal, Imagem corporal e Aspectos Motivacionais na Dança de Salão. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade São Judas Tadeu, Faculdade de Educação Física, São Paulo, 2009.

GARNICA, A. V. M. Algumas notas sobre pesquisa qualitativa e fenomenologia. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, [S.L.], v. 1, n. 1, p. 109-122, ago. 1997. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1414-32831997000200008.

GONZÁLEZ, E. (Org). Necessidades Educacionais e Específicas: Intervenção Psicoeducacional. Porto Alegre: Artmed, 2007.

KLIN, A. Autismo e síndrome de Asperger: uma visão geral. Revista Brasileira de Psiquiatria, [S.L.], v. 28, n. 1, p. 3-11, maio 2006. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1516-44462006000500002.

KUPFER, M. C. Psicose e autismo na infância: problemas diagnósticos. Estilos da Clínica: Revista sobre a Infância com Problemas, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 96-107, nov. 1999.

LEONARDO, P. P. A construção do conceito de número na educação infantil

segundo a perspectiva piagetiana. 2013. 75 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade do Estado de Santa Catarina, Licenciatura em Matemática. Joinville, 2013.

LOURENÇO, E. M. S.; BAIOCHI, V. T.; TEIXEIRA, A. C. Alfabetização Matemática nas Séries Iniciais: O que é? Como fazer? Revista da Universidade Ibirapuera. São Paulo, v. 4, p. 32-39. 2012.

MANUAL DIAGNÓSTICO E ESTATÍSTICO DE TRANSTORNOS MENTAIS: DSM - 5. [American Psychiatric Association; tradução: NASCIMENTO, M. I. C. ... et al.]; - 5.ed.- Porto Alegre: Artmed, 2014.

MELLO, A. M. S. R. de. Autismo: guia prático. Colaboração: VATAVUK, M. de C 6.ed. São Paulo: AMA; Brasília: CORDE, 2007.

MOCROSKY, L. F. A postura fenomenológica de pesquisar em educação matemática. In: KALINKE, M. A.; MOCROSKY, L. F. (Org.). Educação Matemática: pesquisas e possibilidades. Curitiba: UTFPR, 2015. p. 141-158. Disponível em: <http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/>. Acesso em: 15 jun. 2019.

NOGUEIRA, C. M. I. (2006) A definição de número: uma hipótese sobre a hipótese de

Piaget. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 87, n. 216, p. 135-144.

NOGUEIRA, C. M. I. Pesquisas atuais sobre a construção do conceito de número: para além de Piaget? Curitiba: Editora UFPR, 2011.

ORRÚ, S. E. Autismo, linguagem e educação: interação social no cotidiano escolar. 3. ed. Rio de Janeiro: Wak, 2012.

REDERD, B. F.; SANTOS, R. P. L. dos; HEES, L. W. B. Autismo diante do raciocínio lógico matemático: fatores determinantes e métodos de intervenção. Ensaios Pedagógicos, Sorocaba, v. 2, n. 1, p. 113-124, abr. 2018. Disponível em: . Acesso em: 30 jul. 2018.

RODRIGUES, T. I. da C. Autismo: uma visão do docente. 2010. 81 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Medicina Legal, Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Universidade do Porto, Guimarães, 2010. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/26918/3/TESE.pdf. Acesso em: 31 jul. 2019.

SILVEIRA, T. dos S. da; NASCIMENTO, L. M. do (org.). EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Indaial - SC: Uniasselvi, 2013. 221 p.

SILVA, K. F. W. da; ROZEK, M.; SEVERO, G. A formação docente e o transtorno do espectro autista. In: IV SIPASE: Seminário Internacional Pessoa Adulta, Saúde Educação, 2017, Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: 2017. p. 1-10. Disponível em: <https://repositorio.pucrs.br/dspace/bitstream/10923/14643/2/A_formacao_docente_e_o_transtorno_do_espectro_autista.pdf.> Acesso em: 13 out. 2020.

SOUSA, P. M. L. O ensino da matemática: contributos pedagógicos de Piaget e

Vygotsky. Porto: Portal da Psicologia, p. 1-26, 2005.

TOGINHO FILHO, D. O.; ANDRELLO, A. C. Catálogo de Experimentos do

Laboratório Integrado de Física Geral. Departamento de Física, Universidade

Estadual de Londrina. Londrina. 2009.

TOLDO, A. B. A. HANDEBOL: O uso do You Tube como ensinoaprendizagem na prática desportiva. 40 f. 2015. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Mídias na Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

UZÊDA, S. de Q. Educação inclusiva. Salvador: UFBA, Faculdade de Educação; Superintendência de Educação a Distância, 2019. 59 p.

WERNER, H. M. L. O processo da construção do número, o lúdico e TICs como

recursos metodológicos para a criança com deficiência intelectual. Secretaria do

Estado de Educação. Superintendência da Educação Diretoria de Políticas e Programas Educacionais Programa de Desenvolvimento Educacional – PDE. Paranaguá- PR. 2008

YOKOYAMA, L. A. Uma Abordagem Multissensorial para o Desenvolvimento do

Conceito de Número Real em Indivíduos com Síndrome de Down. 2012. 230 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Universidade Bandeirante de São Paulo, 2012.

Downloads

Publicado

2021-03-13

Como Citar

ARAUJO, Maria Luana Feitosa de; BATISTA, Josiel de Oliveira; SANTOS, Danielle de Sousa Silva dos; MOCROSKY, Luciane Ferreira.
Alfabetização matemática de alunos com Transtorno do Espectro Autista
. Ensino & Multidisciplinaridade, v. 5, n. 1, p. 33–52, 13 Mar 2021Tradução . . Disponível em: . Acesso em: 19 abr 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)