Possibilidades de uso didático do artefato mesopotâmico BM 13901 no ensino de Matemática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2447-5777v8n2.2022.9

Palavras-chave:

Artefato mesopotâmico, BM 13901, Equações de segundo grau, História para o ensino de Matemática

Resumo

O presente artigo tem como principal objetivo identificar possibilidades didáticas sobre o artefato mesopotâmico BM 13901 para o ensino de Matemática. Trata-se de uma pesquisa qualitativa e bibliográfica desenvolvida através de um minicurso para quatro professores do 9º ano do Ensino Fundamental. Utilizou- se a análise da conversação para elucidar possibilidades didáticas sobre o uso do artefato. Esse tablete mesopotâmico, elaborado no século XVIII a. C., apresenta problemas algébricos relacionados a resoluções de equações de segundo grau. Este estudo, que apresenta um dos problemas dispostos no texto do artefato, foi explorado junto aos professores participantes do minicurso. O aporte teórico se situa em torno da História para o ensino de Matemática e em produções baseadas no BM 13901 e sua vinculação ao ensino de Matemática. Foram apontadas possibilidades didáticas distribuídas em cinco categorias: quanto aos conteúdos que emergem; aos aspectos interdisciplinares, ao desenvolvimento de projetos escolares, ao desenvolvimento de pesquisas com alunos e ao uso de tecnologias. Consideramos, assim, que o BM 13901 constitui um importante artefato para fomentar discussões e estudos em sala de aula que contribuam para o processo de ensino e aprendizagem de Matemática.

Possibilities of didactic use of the Mesopotamian artifact BM 13901 in teaching Mathematics

Abstract

The main objective of this article is to identify didactic possibilities on the Mesopotamian artifact BM 13901 for teaching Mathematics. It is a qualitative and bibliographical research developed through a short course for four teachers of the 9th grade of Elementary School. Conversation analysis was used to elucidate didactic possibilities about the use of the artifact. This Mesopotamian tablet, made in the 18th century BC., presents algebraic problems related to resolutions of quadratic equations. This study, which presents one of the problems set out in the text of the artifact, was explored with the teachers participating in the short course. The theoretical contribution is based around History for the teaching of Mathematics and productions based on BM 13901 and its link to the teaching of Mathematics. Didactic possibilities distributed in five categories were pointed out regarding: the contents that emerge; to interdisciplinary aspects; the development of school projects; the development of research with students; and the use of technologies. We therefore consider that the BM 13901 constitutes an important artifact for encouraging discussions and studies in the classroom that contribute to the process of teaching and learning Mathematics.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Benjamim Cardoso da Silva Neto, Instituto Federal do Maranhão

Licenciado em Matemática (IFPI). Mestre em Educação em Ciências e Matemática (IFG). Doutor em Educação em Ciências e Matemática (UFPA).

Evanildo Borges da Silva, Secretaria de Estado da Educação do Maranhão

Licenciado em Matemática. Mestrando em Matemática (PROFMAT). Professor SEDUC-MA.

 

Luis Carlos Barbosa de Oliveira, Instituto Federal do Piauí

Licenciado em Matemática. Mestrando em Matemática (PROFMAT). Professor IFPI Oeiras.

Celma Damas de Sousa, Instituto Federal do Amazonas

Licenciada em Pedagogia. Especialista em Psicopedagogia. Técnica em Assuntos Educacionais do IFAM - Tefé.

Referências

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BOYER, C. B.; MERZBACH, U. C. História da Matemática. São Paulo: Edgard Blucher, 2012.

BRANDEMBERG, J. C. Una propuesta para el uso de historia en la enseñanza de las matemáticas: sobre la potencialidad didáctica de los textos históricos y el desarrollo de conceptos. Paradigma, Maracay, v. 41, p. 266-284, 2020. https://doi.org/10.37618/PARADIGMA.1011-2251.2020.p266-284.id841

BRANDEBERG, J. C. Sobre textos históricos e o ensino de conteúdos matemáticos. In: PEREIRA, A. C. C.; MARTINS, E. B. (orgs.). Investigações científicas envolvendo a história da matemática sob o olhar da pluralidade. Curitiba: CRV, 2021. p. 23-34.

FAUVEL, J.; MAANEM J. V. History in Mathematics Education. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 2000.

FÁVERO, L. L. et al. Interação em diferentes contextos. In: BENTES, A. C.; LEITE, M. Q. (orgs.). Linguística de texto e análise da conversação: panorama das pesquisas no Brasil. São Paulo: Cortez, 2010. p. 91-158.

FUNARI, P. P. A. Arqueologia. São Paulo: Ática, 1988.

GALVÃO, M. E. E. L. História da Matemática: dos números à geometria. Edifeo: Osasco, 2008. (Coleção Texto.)

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

GIL, P. D. B. A história da matemática no fomento de uma cultura de argumentação em sala de aula. 2012. 736 f. Tese (Doutorado em Ciências da Educação) – Instituto de Educação, Universidade do Minho, Braga, 2012.

GONÇALVES, C. H. B. An alternative to the Pythagorean rule? Reevaluating problem 1 of cuneiform tablet BM 34 568. Historia Mathematica, Amsterdan, n. 35, p. 173-189, 2008. https://doi.org/10.1016/j.hm.2007.11.001

GONÇALVES, C. H. B. Notas sobre a recepção da matemática mesopotâmica na historiografia. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 322-335, 2012.

GONÇALVES, I. M. F. L. Os problemas da matemática: o seu papel na matemática e nas aulas de matemática, 2011. 491 f. Tese (Doutorado em Matemática) – Universidade da Madeira, Funchal, 2011.

HØYRUP, J. E. The old Babylonian square texts BM 13901 and YBC 4714: retranslation and analysis. In: HØYRUP, J. E.; DAMEROW, P. Changing views on ancient Near Eastern Mathematics. Berlin: Berliner Beiträge zum Vorderen Orient, 2001.

KATZ, V. J. A History of Mathematics: an introdution. 3. ed. Columbia: Pearson Education, 2009.

MACÊDO, E. S. Uma sequência didática para o ensino da resolução da equação do 2º grau: adequação para uso com professores. 2011. 140 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática) – Centro de Ciências Exatas e da Terra, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

MENDES, I. A. Investigação histórica no ensino da matemática. Rio de Janeiro: Ciência Moderna, 2009.

MENDES, I. A. História da matemática no ensino: entre trajetórias profissionais, epistemologias e pesquisas. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2015. (Coleção História da Matemática para Professores.)

MENDES, I. A. Pesquisa sobre história da Matemática nas dissertações e teses. In: MENDES, I. A.; MOREY, B. (orgs.). Debates temáticos sobre Pesquisa em História da Matemática e da Educação Matemática. São Paulo: Livraria da Física, 2018. p. 135-175.

MENDES, I. A. História para o ensino de matemática: fundamentos epistemológicos, métodos e práticas. Revista Cocar, Belém, n. 14, p. 1-21, 2022.

MIGUEL, A.; MIORIM, M. A. História na educação matemática: propostas e desafios. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. (Tendências em Educação Matemática.)

MOREY, B. Fontes históricas nas salas de aula de Matemática: o que dizem os estudos internacionais. Revista Brasileira de História da Matemática, Rio de Janeiro, v. 13, n. 26, p. 73-83, 2013. https://doi.org/10.47976/RBHM2013v13n2673-83

PEDROSO, H. A. Uma história da equação do 2º grau. Revista Eletrônica de Matemática, Jataí, n. 2, p. 1-13, 2010.

PEREIRA, A. M. Q. Equações algébricas: alguns episódios históricos. 2017. 93 f. Dissertação (Mestrado em Matemática para Professores) – Faculdade de Ciências Matemática, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2017.

PEREIRA, P. S. F.; BRANDEMBERG, J. C. Discutindo potencialidades de textos antigos para o ensino fundamental em matemática. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, Fortaleza, v. 9, n. 26, p. 214-241, 2022. https://doi.org/10.30938/bocehm.v9i26.8008

POZZER, K. M. P. Escritas e escribas: o cuneiforme no antigo Oriente Próximo. Clássica, São Paulo, v. 11, n. 11, 1999. https://doi.org/10.24277/classica.v11i11/12.449

PROUST, C. Interpretation of reverse algoritms in several mosopotamian texts. In: CHEMLA, K. The History of Mathematical Proof in Ancient Traditions. Cambrigde: Cambridge University Press, 2012. p. 384-422.

SAITO, F. História da matemática e suas (re)construções contextuais. São Paulo: Livraria da Física; SBHMat, 2015.

SILVA, A. O. M. Diálogos entre histórias da matemática e práticas experimentais na escola básica. 2021. 110 f. Dissertação (Mestrado em Matemática) – Departamento de Matemática, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2021.

SILVA NETO, B. C. Criatividade didática em dissertações e teses sobre História para o Ensino de Matemática (1990-2018). 2021. 169 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) – Instituto de Educação Matemática e Cientifica, Universidade Federal do Pará, Belém, 2021.

THE BRITISH MUSEUM. Figulla H H 1961. I Catalogue of the Babylonian Tablets in the British Museum. The British Museum (13901). 1 fotografia, color. Disponível em: https://www.britishmuseum.org/collection/object/W_1896-0402-1. Acesso em: 27 ago. 2022.

THUREAU-DANGIN, F. L’origine de l’algèbre. Comptes Rendus des Séances de I’Académie des Inscriptions et Belles-lettres, Paris, n. 4, p. 292-318, 1940.

Downloads

Publicado

2023-03-01

Como Citar

SILVA NETO, Benjamim Cardoso da; SILVA, Evanildo Borges da; OLIVEIRA, Luis Carlos Barbosa de; SOUSA, Celma Damas de.
Possibilidades de uso didático do artefato mesopotâmico BM 13901 no ensino de Matemática
. Ensino & Multidisciplinaridade, v. 8, n. 2, p. e0922, 1–13, 1 Mar 2023Tradução . . Disponível em: . Acesso em: 19 abr 2024.

Edição

Seção

Artigos