Quantidades intensivas: análise de uma intervenção com alunos do 5° ano do Ensino Fundamental

Autores

Palavras-chave:

Fração, Quantidade intensiva, Medida

Resumo

Os números racionais em sua representação fracionária fazem parte dos conteúdos desenvolvidos pelas escolas a partir dos 4º e 5º anos do Ensino Fundamental, e vêm sendo considerados, pela comunidade acadêmica, como um conteúdo problemático. Neste artigo, apresenta-se uma análise cujo objetivo foi identificar as contribuições da compreensão do significado de medida, no contexto de quantidades intensivas, para a aprendizagem dos Números Racionais em sua representação fracionária para alunos do 5° ano. Para tanto, foi realizado um estudo com 24 alunos do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina. A fundamentação teórica da pesquisa contou com a Teoria dos Campos Conceituais, proposta por Vergnaud, e as ideias teóricas de Nunes et al. A metodologia Quase Experimental foi dividida em três etapas: a primeira, referiu-se à aplicação do pré-teste; a segunda, fase de intervenção; e, por último, a etapa da aplicação de dois pós-testes. Os dados foram analisados em duas perspectivas: a quantitativa, em que se buscou relacionar os percentuais de acerto; e a qualitativa, visando identificar os tipos de erros cometidos pelos alunos. Os resultados mostraram que o significado medida teve efeitos distintos na aprendizagem da fração e trouxe contribuições para o início da apropriação desse objeto.

Intensive quantities: analysis of an intervention with students of the 5th year of Brazilian Elementary School

Abstract

The rational numbers in their fractional form are part of the content developed by schools from the 4th and 5th years of Brazilian Elementary School, and have been considered, by the academic Community, as problematic content. In this article, an analysis is presented in order to identify the contributions of understanding the measurement's meaning, in the context of intensive quantities, for the learning of Rational Numbers in its fractional representation for Brazilian 5th grade students. To this end, a study was carried out with 24 students, from the Application School of the Universidade Federal de Santa Catarina. The theoretical basis of this research relied on the Theory of Conceptual Fields, proposed by Vergnaud, and the theoretical ideas of Nunes et al. The quasi-experimental methodology was organized into three stages: the first, referred to the application of the pre-test; at the second, the intervention phase and, at the end, the stage of applying two post-tests. The data were analyzed in two perspectives: the quantitative, in which it was searched to relate the percentage of correct answers, and the qualitative, aiming to identify the kind of mistakes made by the students. The results showed that the measurement meaning had distinct effects on learning the fraction and brought contributions to the beginning of the appropriation of this object.

Keywords: Fraction; Intensive quantities; Measurement.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flavia Caraiba de Castro, Instituto Federal Catarinense

Possui graduação em Matemática-Licenciatura pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Mestre em Educação Científica e Tecnológica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Tem experiência na área de Ensino e aprendizagem de Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino de Frações e  Historia da Educação Matematica. Atualmente é doutoranda no Programa de Pós Graduação em Educação Científica e Tecnológica, na UFSC e  é professora de Matemática do Instituto Federal Catarinense - Campus Videira. 

Heloiza Helena de Jesus Barbosa, Universidade Federal de Santa Catarina

Possui Graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (1991), Especialização em psicologia da educação pela PUC/ B.H. (1994), Mestrado em Educação (Master in Education) - pelo Lesley College (1998) nos EUA, Doutorado em Educação (Doctor in Education) pela Boston University (2004) nos EUA. Realizou estágio pós-doutoral no Institute of Human Development, University of California at Berkeley (2005-2006). Realizou segundo estágio pós-doutoral na Universidade Federal de Santa Catarina (2006-2008) com bolsa CNPq. Atualmente, é professora adjunta do Departamento de Estudos Especializados do Centro de Ciências da Educação da UFSC. É professora credenciada do programa de Pós-Graduação em Educação da UFSC e do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica tambem da UFSC. Atua na linha de pesquisa Filosofia e Ciências Cognitivas e Ensino e Aprendizagem investigando sobre os processos cognitivos nas áreas da matemática e linguagem com indíviduos com desenvolvimento típico e atípico.Revisora dos periódicos Revista Brasileira de Educação, Working Papers em Linguística e Child Development.

Referências

BEZERRA, F. J. Introdução do Conceito de Número Fracionário e de suas Representações: Uma abordagem criativa para sala de aula. 2001. 206 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2001.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília, DF, 1997.

CANOVA, R. F. Crença, Concepção e Competência dos Professores do 1º e 2º Ciclos do Ensino Fundamental com Relação à Fração. 2006. 220 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2006.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em Educação Matemática: Percursos Teóricos e Metodológicos. Campinas-SP, 2006.

HOWE, C., NUNES, T. BRYANT, P. Intensive quantities: Why they matter to developmental research. British Journal of Developmental Psychology, 28, 307–329, 2010.

HOWE, C., NUNES, T., BRYANT, P., BELL, D., DESLI, D. Intensive quantities: Towards their recognition at primary school level. British Journal of Educational Psychology. Monograph Series II, Number 7 – Understanding number development and difficulties, 101–118, 2010.

MALASPINA, M. C. O. O início do ensino de Fração: uma intervenção com alunos de 2ª série do Ensino Fundamental. 2007. 184 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007.

MERLINI, V. L. O Conceito de Fração em seus diferentes significados: Um estudo diagnóstico com alunos de 5ª e 6ª séries do Ensino Fundamental. 2005. 238 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.

MOUTINHO, L. V. Fração e seus diferentes significados: um estudo com alunos das 4ª e 8ª séries do ensino fundamental. 2005. 218 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.

NUNES, M. F., SILVA, F. A. F. Os significados do conceito de fração: um estudo diagnóstico com alunos do 8° ano do ensino fundamental. 2009. Monografia (Especialização em Educação Matemática) - Universidade Estadual de Alagoas, Arapiraca.

NUNES, T. et al. The effect of situations on children’s understanding of fractions. In: BRITISH SOCIETY FOR RESEARCH ON THE LEARNING OF MATHEMATICS, 2003.

NUNES, T.; BRYANT, P. Crianças fazendo matemática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

NUNES, T. et al. The relative importance of two different mathematical abilities to mathematical achievement. British Journal of Educational Psychology, p. 136–156, 2011.

NUNES, T. et al. Educação Matemática, Números e operações Numéricas – 2ª Edição. São Paulo: Cortez, 2009.

NUNES, T.; DESLI, D.; BELL, D. The development of children’s understanding of intensive quantities. International Journal of Educational Research, 39, p. 652–675, 2003.

PIAGET, J. The child’s conception of number. London: Routledge e Kegan Paul, 1952.

RODRIGUES, W. R. Números Racionais: Um estudo das Concepções de alunos após o Estudo Formal. 2005. 247 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.

SANTOS, A. O conceito de fração em seus diferentes significados: um estudo diagnóstico junto a professores que atuam no Ensino Fundamental. 2005. 203 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2005.

VERGNAUD, G. Multiplicative Conceptual Field. What and Why?. In: HAREL, G.; CONFREY, J. (Orgs.). The development of multiplicative reasoning in the learning of mathematics. New York: State University of New York Press, p. 41-59, 1994.

VERGNAUD, G. A gênese dos campos conceituais. In: GROSSI, E. P. (Org.). Por que ainda há quem não aprende? A teoria. Petrópolis: Vozes, p. 21-60, 2003.

VERGNAUD, G. O que é aprender? In: BITTAR, M.; MUNIZ, C. A. (Org.). A Aprendizagem matemática na perspectiva da teoria dos campos conceituais. Curitiba: Editora CRV, 2009.

VYGOTSKY, L. S. Formação Social da Mente. S. Paulo: Martins Fontes, 1984.

Downloads

Publicado

2021-05-24

Como Citar

de Castro, F. C., & Barbosa, H. H. de J. (2021). Quantidades intensivas: análise de uma intervenção com alunos do 5° ano do Ensino Fundamental. Ensino &Amp; Multidisciplinaridade, 6(2), 1–20. Recuperado de http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/ens-multidisciplinaridade/article/view/16278

Edição

Seção

Artigos