O imagético-verbal como expediente pedagógico para as abordagens dos legados de Graziela Barroso e Maria Merian

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2447-5777v9n2.2023.19

Palavras-chave:

Linguagem imagético-verbal, Graziela Maciel Barroso, Maria Sibylla Merian

Resumo

Procedemos com uma avaliação da atitude que consiste em lançar mão das imagens enquanto expediente cognitivo pedagogicamente relevante para o ensino das ciências. Argumentamos que os ensinos das diversas ciências empíricas requerem, ou podem requerer, diferentes graus de abstração. Isso é verdadeiro até mesmo no seio de uma mesma ciência quando confrontamos dois ou mais de seus ramos. Sobre a questão de uma imagem, até mesmo uma imagem consolidada em um dado ramo de uma dada ciência, pode ou não se constituir em obstáculo epistemológico em algum outro de seus ramos, diríamos que a complexidade da questão não comporta uma resposta que seja universalmente inequívoca. Argumentamos que a mente humana é capaz de acomodar duas ou mais representações paradigmáticas - quer sejam verbais, imagéticas ou híbridas - ainda que essas ensejem controvérsias. A posição extrema de Dirac que consiste na recomendação de se evitar imagens, no campo da mecânica quântica, é confrontada com as atitudes de duas cientistas de épocas distintas no campo das ciências da vida, Graziela Barroso e Maria Merian. Concluímos que a atitude que consiste em se lançar mão de imagens, não constitui obstáculo epistemológico algum, quando a compreensão é legitimamente perseguida no ensino das ciências.

The verbal and imagery combination as a pedagogical expedient for approaches to the legacies of Graziela Barroso and Maria Merian

ABSTRACT

We carried out an evaluation of the attitude that consists of using images as a pedagogically relevant cognitive tool for science teaching. We argue that the teachings of the various empirical sciences require, or may require, different degrees of abstraction. This is true even within the same science when we confront two or more of its branches. On the question of an image, even an image consolidated within a given branch of a given science, may or may not constitute an epistemological obstacle in some other of its branches, we would say that the complexity of the question does not give rise to a response that is universally unequivocal. We argue that the human mind can accommodate two or more paradigmatic representations - whether verbal, imagery, or hybrid - even if these give rise to controversy. Dirac’s extreme position, which consists of the recommendation to avoid images, in the field of quantum mechanics, is confronted with the attitudes of two scientists from different eras in the field of life sciences, Graziela Barroso and Maria Merian. We conclude that the attitude that consists of making use of images does not constitute any epistemological obstacle when understanding is legitimately pursued in science teaching.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Dayanne Maria Damasceno, Universidade Federal de Alagoas

Mestra em Ensino de Ciências e Matemática pelo Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL). Professora de Ciências na Rede Pública em Alagoas.

Maria Amélia Monteiro, Universidade Federal da Grande Dourados

Doutora em Educação para a Ciência pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Mestra em Ensino nas Ciências pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Licenciada em Ciências (Habilitação em Física) pela UFRPE.  Professora da Faculdade de Ciências e Tecnologia, na Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD).

Jenner Baretto Bastos Filho, Universidade Federal de Alagoas

Doutor em Física pela Escola Politécnica Federal de Zürich -ETH Zürich- (1982), Pós-doutor na Universidade de Bari (1993), Mestre em Física pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Bacharel em Física pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).  Professor Titular do Instituto de Física da Universidade Federal de Alagoas. É Membro Correspondente da Academia Paraense de Ciências.

Referências

ABDALLA, Maria Cristina Batoni. O discreto charme das partículas elementares. 1. ed. São Paulo, SP: Editora UNESP, 2006.

ACEVEDO-DÍAZ, José Antonio; GARCÍA-CARMONA, Antonio. Algo antiguo, algo nuevo, algo prestado. Tendencias sobre la naturaleza de la ciencia em la educación científica. Revista Eureka Sobre Enseñanza y Divulgación de las Ciencias, Cádiz, v. 13, n. 1, p. 3-19, 2016. Disponível em: https://revistas.uca.es/index.php/eureka/article/view/2949. Acesso em: 03 abr. 2023.

ALBERGARIA, Danilo. A Grande Dama da Botânica. Revista Pesquisa FAPESP, São Paulo, edição 328, p. 88-91, jun. 2023. Disponível em: https://revistapesquisa.fapesp.br/a-grande-dama-da-botanica/. Acesso em: 03 abr. 2023.

AZEVEDO, Nara; FERREIRA, Luiz Otávio. Modernização, políticas públicas e sistema de gênero no Brasil: educação e profissionalização feminina entre as décadas de 1920 e 1940. Cadernos Pagu, Campinas, n.27, p. 213-254, 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cpa/a/bhnwWTMfWJLnKTxVLg4NbDJ/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 21 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-83332006000200009.

BARTHES, Roland. The Dead of Autor. In: BARTHES, R. Image, Music, Text. New York: Hilland Wang, p. (142-148), 1977.

BASTOS FILHO, Jenner Barretto. Prefácio a PARRILHA DA SILVA, Josie Agatha; DANHONI NEVES, Marcos Cesar. (Orgs.). Imagem: Diálogos e Interfaces Interdisciplinares, Maringá: EDUEM, 2021. Disponível em: https://books.scielo.org/id/dy7z7/pdf/silva-9786587626079-01.pdf. Acesso em; 03 abr. 2023.

BASTOS FILHO, Jenner Barretto. Pode-se progredir com base em fundamentos inconsistentes? Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 20, n. 3, 2003, p. 312-335. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/fisica/article/view/6528/6025. Acesso em: 21 ago. 2023.

BATISTA, Laura Maria Souza. Dez Mulheres Para Se Inspirar. 2020. 87 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2020. Disponível em: http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/24016/1/PG_COLIC_2020_1_04.pdf. Acesso em: 21 ago. 2023.

BEDIAGA, Begonha; PEIXOTO, Ariane Luna; MORIM, Marli Pires. Graziela Maciel Barroso. Esboço Biográfico. Instituto de Pesquisa do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: https://www.gov.br/jbrj/pt-br/assuntos/colecoes/arquivistica/graziela-maciel-barroso. Acesso em: 15 jul. 2023.

DAVIS, Natalie Zemon. Nas Margens. Três Mulheres do Século XVII. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

DIÉGUEZ, José Luis Rodríguez. Las Funciones de la Imagem en la Enseñanza: semântica y didáctica. Barcelona: Editorial Gustavo Gilli, 1978.

DIRAC, Paul Adrien Maurice. The principle of quantum mechanics. Oxford: Oxford University Press, 1930.

ETHERIDGE, Kay. Maria Sibylla Merian and the metamorphosis of natural history. Endeavour, v. 35, n. 1, p. 16-22, 2011. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0160932710000700. Acesso em: 20 ago. 2023.

FODOR, Jerry Alan. Concepts. Where cognitive Science went wrong. Oxford: Clarendon Press, 1998.

FRANCO, Maria Ciavatta. Quando Nós Somos o Outro: Questões teórico-metodológicas sobre os estudos comparados. Educação & Sociedade, Campinas, v. XXI, n. 72, p. 197-230, ago 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/xGMSnNdj7LYCdPrgFNp7C5Q/?format=pdf&lang=pt. Acesso: 20 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302000000300011.

GONZALEZ, Rodrigo Stumpf. O Método Comparativo e a Ciência Política. Revista Estudos e Pesquisa sobre as Américas, Brasília, v. 2, n. 1, jan-jun, 2008. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/repam/article/view/16160/14448. Acesso em: 20 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.21057/repam.v2i1.1464.

GUENTHERODT, Ingrid. Maria Cunitz und Maria Sibylla Merian: Pionierinnen Der Deutschen Wissenschaftsspracheim 17. jahrhundert. De Gruyter, v. 14, n. 1, p. 23-49, 1986. Disponível em: https://www.degruyter.com/document/doi/10.1515/zfgl.1986.14.1.23/html. Acesso em: 20 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.1515/zfgl.1986.14.1.23

HEARD, Kate. Maria Merian Butterflies. London: Royal Colletion Trust, 2016.

HEPPNER, John B. Maria Sibylla Merian (1647-1717): A 375th Anniversary Tribute. Lepidoptera Novae, Gainesville, v. 15, n. 3-4, p. 89-110, 2022. Disponível em: https://www.floridamuseum.ufl.edu/wp-content/uploads/sites/56/2023/05/Merian-375.pdf. Acesso em: 22 ago. 2023.

ISAACSON, Walter. Einstein. Sua Vida, Seu Universo. São Paulo: Companhia das Letras, 3a impressão, 2007.

JESUS NETO, Jonathan Thomas de. Imagens, conhecimento físico e ensino de partículas elementares: Discursos na formação inicial de professores de física. 2015. 164 f., Dissertação (Mestrado em Educação Científica e Tecnológica), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/136488. Acesso em: 22 ago. 2023.

JOLY, Martine. Introdução à Análise da Imagem. Lisboa, Edições 70, 2007.

KUTSCHERA, Ulrich. Maria Sibylla Merian (1647-1717) Pionierin der Entwicklungsbiologie und Ökologie. Biologie in unserer Zeit, Weinheim, v. 47, n. 1, p. 28-36, 2017. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/biuz.201710610. Acesso em: 15 jul. 2023. DOI: https://doi.org/10.1002/biuz.201710610.

LEMKE, Jay L. Enseñar Todos Los Lenguajes de la Ciencia: palabras, símbolos, imágenes y aciones. In: BENLLOCH BURRULL, Montse. (eds.). La Educación en Ciencias: ideas para mejorar su práctica. Barcelona, Paidós, p. 159-186, 2002.

LEMKE, Jay L. Multiplying Meaning: Visual and verbal semiotics in scientific text. In: Martin J. R., Veel, R. (eds.). Reading Science, London: Routledge, 1998.

LOPES, Maria Margaret. “Aventureiras” nas ciências: refletindo sobre gênero e história das ciências naturais no Brasil. Cadernos Pagu, Campinas, v.10, p. 345-368, 1998. Disponível em: https://ieg.ufsc.br/public/storage/articles/October2020/Pagu/1998(10)/Lopes.pdf. Acesso em: 04 set. 2023.

MACHADO, Elaine Ferreira.; MIQUELIN, Awdry Feisser. As imagens dos estudos observacionais de Maria Sibylla Merian (1647-1717) no ensino de ciências. In: PARRILHA DA SILVA, J. A.; DANHONI NEVES, M. C. (Orgs.). Imagem: Diálogos e Interfaces Interdisciplinares, Maringá: EDUEM, p. 170-199, 2021 Disponível em: https://books.scielo.org/id/dy7z7/pdf/silva-9786587626079-11.pdf. Acesso em: 16 ago. 2023.

MACHADO, Elaine Ferreira.; MIQUELIN, Awdry Feisser. Maria Sibylla Merian: uma mulher transformando ciência em arte. História da Ciência e Ensino, São Paulo, v. 18, especial, p. 88-105, 2018. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/hcensino/article/view/36686/26732. Acesso em: 16 ago. 2023. DOI: https://doi.org/10.23925/2178-2911.2018v18i1p88-105.

MAGALHÃES, Tatiana Lobato de. Botánica: una ciencia feminina en Latinoamérica. La ventana, Guadalajara, v. 6, p. 236-263, dez 2018. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/884/88455796009/html/. Acesso em: 15 maio 2023.

MASSARANI, Luísa.; DUQUE-ESTRADA, Maria Ignez. Entrevista Com Graziela Maciel Barroso. Ciência Hoje, jul 1997. Republicado em 30/01/2015. Entrevista à Ciência Hoje Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro (www.gov.br). Disponível em: https://www.gov.br/jbrj/pt-br/assuntos/colecoes/arquivistica/arquivo-graziela-macielbarroso/563. Acesso em: 17 jul. 2023.

MAYER, Richard E. Multimedia learning. Cambridge, Cambridge Univesity Press, 2001.

MAYER, Richard E. Principles for managing essential processing in multimedia learning: segmenting, pretraining, and modality principles. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

MAYR, Ernest. O desenvolvimento do pensamento biológico: diversidade, evolução e herança. Brasília: Editora da UnB, 1998.

MIRANDA, Carlos Eduardo Albuquerque. Diverso e Prosa. Pró-Posições, Campinas, v. 22, n. 3, p. 197-205, set-dez. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pp/a/8Xj8BNm3wSb5NVrxv8QR8VK/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 08 ago. 2023.

MOREIRA, Marco Antônio, Física de partículas: uma abordagem conceitual & epistemológica. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2011.

PARRILHA DA SILVA, Josie Agatha; DANHONI NEVES, Marcos Cesar (Orgs.), Imagem: Diálogos e Interfaces Interdisciplinares. Maringá: EDUEM, 2021.

PEIXOTO, Ariane Luna; MORIM, Marli Pires. O Jardim Botânico construindo pontes de saberes. In: PADILHA, Roberto; SOARES, Nair de Paula. (Orgs.), Jardim Botânico do Rio de Janeiro: 1808-2008. Rio de Janeiro, Artepadilha, p. 133-158, 2008.

PICCININI, Cláudia Lino. Imagens no Ensino de Ciências: uma imagem vale mais do que mil palavras? In: Martins Isabel.; Gouvêa, Guaracira; Vilanova, Rita (Orgs.). O Livro Didático de Ciências: contextos de exigência, critérios de seleção, práticas de leitura e uso em sala de aula. Rio de Janeiro, p. 147-159, 2012.

SCHNEIDER, Sergio; SCHMITT, Cláudia Job. O uso do método comparativo nas Ciências Sociais. Cadernos de Sociologia, Porto Alegre, v. 9, p. 49-87, 1998.

SILVA, Fabiane Ferreira da; RIBEIRO, Paula Regina Costa. A participação das mulheres na ciência: problematizações sobre as diferenças de gênero. Revista Labrys Estudos Feministas, Brasília, v. 10, p. 1-25, 2011.

SOUZA, Roosilenny dos Santos. O Ensino Secundário em Corumbá, Sul do Estado de Mato Grosso: O Ginásio Maria Leite (1918-1937). 2010. 95 f., Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2010. Disponível em: https://site.ucdb.br/public/md-dissertacoes/8156-o-ensino-secundario-emcorumba-sul-do-estado-de-mato-grosso-o-ginasio-maria-leite-1918-1937.pdf. Acesso, 13 jul. 2023.

TOMIO, Daiela; GRIMES, Camila; RONCHI, Daiane Luchetta; PIAZZA, Fernanda; REINICKE, Karina; PECINI, Vanessa. As Imagens no Ensino de Ciências: o que dizem os estudantes sobre elas? Caderno Pedagógico, Lajeado, v. 10, n. 1, p. 25-40, 2013. Disponível em: https://ojs.studiespublicacoes.com.br/ojs/index.php/cadped/article/view/1210/1077. Acesso: 28 abr. 2023.

TOULMIN, Stephen. Human understanding. The collective use and evolution of concepts. v. 1, Princeton University Press, 1972.

VELASCO, M. Carmen. Maria Sibylla Merian o la passión por las orugas, Revista Naturalmente, Madrid, n. 16, p. 11-15, dec. 2017.

VERGNAUD, Gérard. La théorie des champs conceptuels. Recherches en Didactique des Mathématiques, Lyon, v.10, n.2-3, p. 133-170, 1990.

VILLAFAÑE, Justo. Introduccíon a la Teoria de la Imagem. Madrid: Pirámide, 2006.

Downloads

Publicado

2024-06-11

Como Citar

DAMASCENO, Dayanne Maria; MONTEIRO, Maria Amélia; BASTOS FILHO, Jenner Baretto.
O imagético-verbal como expediente pedagógico para as abordagens dos legados de Graziela Barroso e Maria Merian
. Ensino & Multidisciplinaridade, v. 9, n. 2, p. e1923, 1–16, 11 Jun 2024 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/ens-multidisciplinaridade/article/view/22077. Acesso em: 23 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos