PROPOSTAS CURRICULARES DE HISTÓRIA EM PERSPECTIVA:

os currículos capixabas de 1975 e de 2009

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2229v30n1.2023.4

Palavras-chave:

Propostas Curriculares, Ensino de História, Espírito Santo, Ensino Médio

Resumo

Analisa propostas curriculares de História elaboradas pela secretaria estadual de educação do Espírito Santo em 1975 e 2009. Com base no método regressivo (BLOCH, 2001), busca aspectos convergentes e divergentes expressos nessas expectativas curriculares oficializadas. Ao considerar o intervalo de mais de três décadas entre as publicações, o artigo analisa os documentos prescritivos a partir de seu conteúdo pedagógico e das narrativas historiográficas privilegiadas. Em meio à trajetória do Ensino de História no Brasil, os documentos prescritivos analisados são entendidos como parte de um movimento de unificação e de padronização dos conteúdos e métodos de ensino de História. Por meio da análise das fontes, identificou-se: a) “marcas” dos contextos de produção em seus elementos pedagógicos e historiográficos, apontando também, para sua atuação como mecanismo produtor de resultados, ao influenciar práticas e efeitos políticos; b) embora distintos em seu conteúdo pedagógico e historiográfico, em função dos contextos nos quais foram produzidos, há a explícita preocupação dos elaboradores em imprimir nos documentos suas perspectivas teórico-metodológicas e políticas, o que revela a formação pretendida para determinado projeto de país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Miriã Lúcia Luiz, Universidade Federal do Espírito Santo

Possui graduação em Pedagogia (2004) e História (2009), mestrado (2010) e doutorado (2015) em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo. É membro do Núcleo Capixaba de Pesquisa em História da Educação (NUCAPHE). É professora da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). 

Ailton Marco dos Reis, Centro Universitário Norte do Espírito Santo (UFES)

Mestre em Ensino na Educação Básica CEUNES/UFES (2018). Pós Graduado em Filosofia Política e Social e Coordenação Pedagógica. Possui graduação em História pela Universidade Federal do Espírito Santo (2003) e graduação em Pedagogia pela Faculdade Capixaba da Serra (2014). Atualmente é professor de História da Prefeitura Municipal de Serra- ES. Desenvolve Pesquisas na área de Ensino de História 
  

Referências

ABUD, Kátia. Currículos de história e políticas públicas: os programas de História do Brasil na escola secundária. In: BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes (Org.). O saber histórico na sala de aula. São Paulo: Contexto, 2008. p. 28-41.

ARAPIRACA, José Oliveira. A USAID e a educação brasileira: um estudo a partir de uma abordagem crítica do capital humano. 1979. 273 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Instituto de Estudos Avançados em Educação / Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 1979.

BARROS, José Costa D’Assunção. A escola dos annales: considerações sobre a história do movimento. Revista História em Reflexão, v. 4 n. 8, UFGD, Dourados, jul./dez. 2010.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Pátria, civilização e trabalho: o ensino de história nas escolas paulistas (1871-1939). São Paulo: Edições Loyola, 1990.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Propostas curriculares de História: continuidades e transformações. In: BARRETO, Elba Siqueira de Sá. Os currículos do ensino fundamental para as escolas brasileiras. 2. ed. Campinas: Autores Associados, 2000, p. 127-162.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de história: fundamentos e métodos. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

BETHLEM, Nilda. O ensino da geografia e da história na escola primária. 4. ed. [s.l.]: J. Ozon editor, [196?].

BLOCH, Marc. Apologia da história ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BRASIL. Lei nº. 5.692, de 11 de agosto de 1971. Estabelece diretrizes e bases para a educação nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 12 agosto, 1971. Documenta, Rio de Janeiro, n. 134, jan. 1971.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais (PCNs): História. Brasília: Mec./SEF, 1998.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais-PCN: Ensino Médio: ciências humanas e suas tecnologias. MEC/SEMT, 2000.

BRASIL. PCN+Ensino Médio: orientações educacionais complementares aos parâmetros curriculares nacionais, MEC, 2002.

COSTA, Rita de Cássia Oliveira Pessanha. A constituição do Instituto de Educação de Vitória/ES e a formação de professores primários no Espírito Santo (1971-2000). 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Educação, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2014.

CERTEAU, Michel De. A escrita da história. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

DUARTE, Newton. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2000, 269p.

ESPÍRITO SANTO (Estado). Proposta curricular de 2º grau. Vitória: Secretaria de Estado da Educação e Cultura, 1975. v. II B.

ESPÍRITO SANTO (Estado). Secretaria da Educação. Currículo Básico Escola Estadual. Vitória:

SEDU, 2009. Disponível em: <https://sedu.es.gov.br/>. Acesso em: 30 ago. 2020.

FONSECA, Selva Guimarães. Didática e prática de ensino de história. São Paulo: Papirus, 2003.

FONSECA, Thais Nívia de Lima e. História & Ensino de História. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

FONSECA, Selva Guimarães. Caminhos da história ensinada. 10. ed. São Paulo: Papirus, 2008.

FRANÇA, Aldaíres Souto. Propostas curriculares para o ensino de estudos sociais: circulação e apropriações de representações de ensino de história e de aperfeiçoamento de professores (Espírito Santo, 1956 - 1976). 2013. 294 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo: Vitória, 2013.

FRANKFURT, Sandra Herszkowicz. A formação de professor a partir da 5692/71: formação profissional versus análise da memória. In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO LATINO-AMERICANA. 9., 2009, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: UERJ: 2009. 1 CD-ROM.

GERMANO, José Willington. Estado militar e educação no Brasil (1964-1985). 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

GINZBURG, Carlo. Relações de força: história, retórica, prova. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2007a.

GINZBURG, Carlo. O fio e os rastros: verdadeiro, falso, fictício. São Paulo: Companhia das Letras, 2007b.

HENRIQUE PINTO, Antonio. O currículo do ensino médio e da educação profissional no Espírito Santo na década de 1970. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO. 7. 2013, Cuiabá. Anais… Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso: 2013.

IBARRA, David. O neoliberalismo na América Latina. Rev. Econ. Polit. , São Paulo, v. 31, n. 2, p. 238-248, jun. 2011.

LAVILLE, Christian. A Economia, a Religião, a Moral: novos terrenos das guerras de história escolar. Educação & Realidade, v. 36, n. 1, 2011.

AUTOR 1. Dentro e fora da ordem: diretrizes curriculares para o ensino de História no Espírito Santo em tempos autoritários (1964-1985). 2015. 205 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

MARTINS, Maria do Carmo. Currículo, cultura e ideologia na ditadura militar brasileira: demarcação do espaço de atuação do professor. In: CERRI, Luis Fernando (Org.). O ensino de história e a ditadura militar. 2. ed. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 2007. p. 29-46.

MENDES, Durmeval Trigueiro. Existe uma filosofia da educação brasileira? In: MENDES, Durmeval Trigueiro (Coord.). Filosofia da educação brasileira. 6. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998.

MENEZES, Marilia Gabriela, SANTIAGO, Maria Eliete. Contribuições do pensamento freireano para a formulação de novas propostas e práticas curriculares. 2008. Disponível em: http://www.acervo.paulofreire.org:8080/jspui/bitstream/7891/4188/1/FPF_PTPF_01_0845.pdf. Acesso em: 26 ago. 2020.

PÁDUA, Gelson Luiz Daldegan de. A Epistemologia Genética de Jean Piaget. Revista FACEVV, n. 2, p. 22-35, jan.-jun. 2009.

PINHEIRO, João Eudes Rodrigues. O PREMEN no Espírito Santo: educação, autoritarismo e tecnocracia: subsídios para a história da educação capixaba. 1993. 246 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1993.

PIROLA, André Luiz Bis. Lutas, leis e livros: professores de história na história do ensino no Espírito Santo (1850 - 1950). 2013. 275 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

ROMANELLI, Otaíza Oliveira. História da educação no Brasil. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 1986.

SANTOS, Claudefranklin Monteiro dos. Metodologia do ensino de História. São Cristóvão: Universidade Federal de Sergipe, CESAD, 2009.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora Moreira dos Santos. História do ensino de história no Brasil: uma proposta de periodização. Revista História da Educação, Porto Alegre, v. 6, n. 37, p. 73-91, maio/ago. 2012.

SILVA, Kalina Vanderlei; SILVA, Maciel Henrique. Dicionário de conceitos históricos. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2009.

SIMÕES, Regina Helena Silva; FRANCO, Sebastião Pimentel. História da educação no Espírito Santo: catálogo de fontes. Vitória: Edufes, 2004.

SOARES, Magda. Metamemórias-memórias: travessia de uma educadora. São Paulo: Cortez, 1991.

URBAN, Ana Claudia; SCHMIDT, Maria Auxiliadora Moreira dos Santos. A construção do código disciplinar da história da América no Brasil, no período da ditadura militar: Os “Cadernos MEC”. Revista de História da UEG, Anápolis, v. 3, n. 1, p. 1-14, jan./jun. 2014.

Downloads

Publicado

2023-11-15

Como Citar

Luiz, M. L., & Reis, A. M. dos. (2023). PROPOSTAS CURRICULARES DE HISTÓRIA EM PERSPECTIVA: : os currículos capixabas de 1975 e de 2009. Cadernos De Pesquisa, 30(1), 83–108. https://doi.org/10.18764/2178-2229v30n1.2023.4

Edição

Seção

Artigos