Exercícios pedagógicos na Universidade em dois tempos:

a literatura arquitetando espaços de educação

Autores

Palavras-chave:

literatura, formação de professores, Espaços pedagógicos

Resumo

Este artigo tem como objetivo construir algumas aproximações entre literatura e formação a partir das sugestões oferecidas pela ideia de espaços de educação elaborada por Carlos Reis, professor da Universidade de Coimbra. Considerando os efeitos construtivos do espaço literário nas representações a respeito do espaço escolar e, assim, as variadas refrações do primeiro na formação de professores, discutem-se duas hipóteses que já orientaram formas de ensino em cursos de Pedagogia e Licenciatura, as quais tomaram a literatura como fator estruturante. No primeiro caso, trata-se da proposição da leitura de “A língua Absolvida”, de Elias Canetti, e posterior elaboração de ensaios nos quais os estudantes tematizavam dimensões variadas de processos formativos. No segundo caso, apresenta-se a invenção de práticas de ensino a partir da leitura de obras ficcionais. Colocados em ação em períodos distintos, o primeiro entre a segunda metade da década de 1980 e os anos 2000 e o segundo em 2021, tais exercícios pedagógicos indicam a pertinência das aproximações entre obras de ficção, memorialísticas e/ou autobiográficas e a educação, possibilitando a criação de vínculos entre traços das biografias dos sujeitos envolvidos, suas trajetórias formativas e categorias pessoais de percepção e de apreciação da realidade. O compartilhamento de sentidos atribuídos à sala de aula, aos alunos, à docência, entre outros, mostraram-se fecundos para a iniciação docente nas questões de ensino. Além disso, os exercícios tomaram o ensino como atividade criativa que instaura provisoriamente espaços pedagógicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Denice Barbara Catani, Universidade de São Paulo

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Professora Titular Emérita da Faculdade de Educação da USP (FEUSP). Docente no Programa de Pós-graduação em Educação da FEUSP. E-mail: dbcat@usp.br

Referências

AMPARO, Patrícia Aparecida do. Tornar visível o invisível: a aprendizagem escolar da

leitura como um problema de percepção e de esquecimento. Revista USP, [S. l.], n. 137, p. 59-72, 2023. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.i137p59-72. Disponível em:

https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/214189. Acesso em: 22 dez. 2023.

AMPARO, Patrícia Aparecida do. Práticas de leitura em conflito no cotidiano escolar.

Curitiba, Appris, 2021.

AZANHA, José Mário Pires. Proposta Pedagógica e autonomia da escola. IN:________.

A formação do professor e outros escritos. São Paulo: Editora Senac São Paulo,

CATANI, Denice Barbara. Annie Ernaux e a educação: ficção, autobiografia e compreensão sociológica. Revista USP, São Paulo, Brasil, n. 137, p. 15–30, 2023. DOI: 10.11606/issn.2316-9036.i137p15-30. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/214185. Acesso em: 20 jun. 2024.

________. Ficções teóricas e ficções (auto)biográficas: elementos para uma reflexão sobre ciência e formação no campo educacional. IN: ABRAHÃO, Maria Helena M.B; BRAGANÇA, Inês F. S.; ARAÚJO, Mairce S. (Orgs.) Pesquisa (auto)biográfica, fontes e questões. Curitiba, PR: CRV, 2014.

________. Por uma pedagogia da pesquisa educacional e da formação de professores na universidade. Educar em Revista [online]. 2010, n. 37 [Acessado 12 Novembro 2021] , pp. 77-92. Disponível em: Epub 30 Nov 2010. ISSN 1984-0411. https://doi.org/10.1590/S0104-40602010000200006.

CHARTIER, A. M. Leitura escolar - entre pedagogia e sociologia. Revista Brasileira de Educação. set/out/nov/dez, n. 0, p. 17-52, 1995.

CHARTIER, Anne-Marie; HÉBRARD, Jean. Discursos sobre a leitura (1880-1980). São Paulo: Ática, 1995.

CHARTIER, R. A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1991.

VINCENT, Guy. L’école primaire française: Étude sociologique. Lyon, França: Presses Universitaires de Lyon; Editions de la Maison des Scienses de l´homme, 1980.

LORDE, Audre. Sou sua irmã. São Paulo: Ubu Editora, 2020.

CHARTIER, A. M. Leitura escolar - entre pedagogia e sociologia. Revista Brasileira de

Educação. set/out/nov/dez, n. 0, p. 17-52, 1995.

EVARISTO, Conceição. Becos da memória. Rio de Janeiro: Pallas, 2017.

LAHIRE, Bernard. Culture écrite et inégalités scolaires – sociologie de l'“échec scolaire” à l'école primaire. Lyon: PUL, 2000.

LAHIRE, Bernard. La raison scolaire: école et pratiques d’écriture, entre savoir et pouvoir. Rennes : Presses Universitaires de Rennes, 2008.

MEIRIEU, P. O que é aprender? ______. Aprender... Sim, mas como? Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

NÓVOA, Antonio e FINGER, Matthias (orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa, Ministério da Saúde, Depto de Recursos Humanos e da Saúde, 1988.

PERRENOUD, Philippe. O ofício de aluno e sentido do trabalho escolar. Porto: Porto

Editora, 1995.

SILVA, Batista da. Fora do lugar: por uma compreensão do sofrimento na escola. Revista USP. São Paulo. n. 137. p. 31-44, abril/maio/junho, 2023.

VINCENT, Guy, LAHIRE, Bernard, THIN, Daniel. Sobre a história e a teoria da forma

escolar. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 33, p.7-47, 2001.

Downloads

Publicado

2024-06-30

Como Citar

CATANI, Denice Barbara; AMPARO, Patrícia Aparecida do.
Exercícios pedagógicos na Universidade em dois tempos:: a literatura arquitetando espaços de educação
. Cadernos de Pesquisa, v. 31, n. 2, p. 1–20, 30 Jun 2024 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/23823. Acesso em: 24 jul 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Ensinar e aprender na universidade"