Cadernos de Pesquisa https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa <p>Publicação do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFMA</p> <p>Missão: é uma publicação trimestral do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e tem por objetivo a divulgação de trabalhos científicos originais, inéditos, multi/interdisciplinares, desde que sejam voltados para área de Educação, produzidos/as por pesquisadores desta Universidade e de outras instituições congêneres, nacionais e internacionais, a fim de possibilitar o intercâmbio científico e institucional.</p> <p>ISSN 2178-2229</p> <p>Periodicidade: Trimestral </p> <p><strong>Qualis/CAPES (2017-2020): A3 </strong></p> Universidade Federal do Maranhão pt-BR Cadernos de Pesquisa 0102-4175 Direitos autorais Cadernos de Pesquisa <br /><br /> <a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license"><img style="border-width: 0;" src="http://i.creativecommons.org/l/by-nc-nd/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons" /></a><br />Este obra está licenciado com uma Licença <a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license">Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional</a>. EDUCAÇÃO POPULAR E MODERNIZAÇÃO SOCIOCULTURAL. REVISTA DA INSTRUÇÃO PÚBLICA PARA PORTUGAL E BRASIL (1857-1858) https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/22925 <p>Mesmo após a independência brasileira em 1822 é visível a existência de um intercâmbio entre intelectuais brasileiros e portugueses, e de iniciativas que buscavam aproximações entre os dois lados do Atlântico – todavia, numa relação permeada por conflitos e tensões. Identificamos a <em>Revista da Instrução Pública para Portugal e Brasil </em>(1857-58)<em>, </em>idealizada e editada por António Feliciano de Castilho e Luís Filipe Leite, como o primeiro periódico que se propõe a tratar da aproximação entre Brasil e Portugal pela via da educação. Neste artigo, procede-se a uma análise sumária da evolução político-cultural do período que vai da Ilustração e Revolução Francesa às Revoluções da década de 1840, incluindo a Regeneração Portuguesa em meados do século XIX. Analisa-se, por fim, a Revista da Instrução Portugal-Brasil à luz do contexto histórico dos dois Países, mapeando-se os avanços e recuos no programa de geminação encetado por Castilho.</p> Kadine Teixeira Justino Magalhães Copyright (c) 2023 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2024-01-22 2024-01-22 7 29 ANTÓNIO FELICIANO DE CASTILHO: um autor, seus escritos e um método de leitura ANTÓNIO FELICIANO DE CASTILHO: un autor, sus escritos y un método de lectura https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/22927 <p>O objetivo deste texto é apresentar e debater a “função autor” e as obras de António Feliciano de Castilho relativas ao seu Método de Leitura, e ao escreve-las buscou afirmar-se como um educador e um reformador da instrução pública portuguesa e um crítico do modelo de ensino vigente a época. Tomamos como referência um conjunto de fontes sobre o seu pensamento educativo e sua proposta de ensino. Cogitamos que a produção de Castilho se constitui em debates relevantes para compreendermos as estratégias do autor para firma-se como um dos mais representativo e polêmico educador do Oitocentos, tanto em Portugal como no Brasil. Concluímos que a partir da “ apresentação” das obras educativas de Castilho podemos entender a sua função-autor e as estratégia que usou para produzir, adotar e fazer circular a sua Campanha Pedagógica.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> Cesar Augusto Castro Carlota Boto Samuel Luís Velázquez Castellanos Copyright (c) 2023 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2024-01-22 2024-01-22 31 55 DIVULGAÇÃO E APROPRIAÇÃO DO MÉTODO DE LEITURA REPENTINA, DE ANTÓNIO FELICIANO DE CASTILHO, NO BRASIL (1851-1855) https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/22171 <p>Contando com uma rede de apoiadores e adeptos, o poeta português António Feliciano de Castilho (1800-1875) encontrou, por outro lado, resistências e intitulou de “adversários” os críticos ao seu método de ensino de leitura, tanto em Portugal, quanto no império brasileiro. O autor elaborou seu método a partir da proposição de diferentes reformas na instrução primária e secundária em Portugal e no Brasil, idealizando uma escola como palco de experimentações de um projeto de redenção pedagógica e social. Na tentativa de divulgação do que considerava uma novidade metodológica, o autor veio ao Brasil, em 1855. Nessa rede de sujeitos e de espaços transatlânticos de circulação de ideários pedagógicos entre Portugal e Brasil, o objetivo deste escrito é investigar a divulgação e apropriação das ideias de António Feliciano de Castilho, em específico do seu método de leitura repentina, antes de sua vinda ao Brasil. Desse modo, o artigo ancora-se numa análise de diversas fontes documentais, tomando como recorte temporal inicial o ano de 1851, quando na imprensa brasileira houve, mais enfaticamente, anúncios da primeira edição do método Castilho, intitulado de <em>Leitura Repentina</em> (1850), até a chegada de seu autor ao país, em março de 1855. A partir desse intervalo de tempo, inicialmente destaca-se a abertura de escolas pelo método de leitura repentina nas províncias do império e, na sequência, analisa-se a <em>Cartilha de leitura repentina, ou plágio do Método Castilho </em>(1854), escrita pelo português João Vicente Martins (1808-1854), naturalizado brasileiro, que objetivava difundir a proposta de Castilho pelo Brasil.</p> SUZANA LOPES DE ALBUQUERQUE Copyright (c) 2023 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2024-01-22 2024-01-22 57 79 UMA VIAGEM PEDAGÓGICA: JOÃO DE DEUS RAMOS NO BRASIL https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/22929 <p>João de Deus Ramos, inspirado pelo movimento da Escola Nova, foi ao Brasil em 1928 estudar a diferenciação entre Portugal e Brasil através da educação e da poesia. Durante a sua estadia visitou escolas, colégios, academias, bibliotecas, institutos científicos e de assistência humanitária. No final da sua viagem pedagógica proferiu duas comunicações, uma sobre literatura onde abordou a poesia de João de Deus, Antero de Quental e Olavo Bilac, e outra sobre educação, onde divulgou os Jardins-Escolas João de Deus e o seu futuro projeto educativo, Bairro Escolar do Estoril. Igualmente participou na 2ª Conferencia Nacional de Educação, realizada em Belo Horizonte, onde conheceu as principais preocupações educativas brasileiras. O fruto dos conhecimentos adquiridos está patente no acervo bibliográfico do Museu João de Deus que possui manuais escolares brasileiros que lhe foram oferecidos nessa ocasião e nos anos seguintes. Partindo, sobretudo, da análise dessas obras brasileiras, assim como através da reflexão sobre a imprensa escrita, pretende este artigo explicar de que modo a visita ao Brasil teve impacto nos projetos educativos de João de Deus Ramos, já que alguns manuais escolares foram bastante usados em contexto de sala nos Jardins-Escolas João de Deus e outras ideias foram aproveitadas para o funcionamento do Bairro Escolar do Estoril.</p> Elsa Rodrigues Joaquim Pintassilgo Copyright (c) 2023 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2024-01-22 2024-01-22 81 110 O MÉTODO JOÃO DE DEUS E SUA DIFUSÃO: o ensino da leitura na agenda política finissecular portuguesa https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/22930 <p>O artigo propõe explorar as vinculações do método de ensino da leitura de João de Deus com a agenda política modernizadora encetada em Portugal no último quarto do Oitocentos, objetivando perscrutar as estratégias adotadas para sua difusão no reino e em outras partes do mundo atlântico de língua portuguesa, principalmente o Brasil, para isso sopesando as interrelações do criador do método com os grupos políticos e intelectuais portugueses associados à Geração de 70. Tanto aquelas vinculações quanto essas estratégias são estudadas como parte da mobilização de parcela das camadas letradas portuguesas que, encontrando no referido método uma plataforma de atuação que lhes auxiliasse em seus objetivos de intervenção política e cultural, fornecesse-lhes mais um dispositivo a fim de superar a percepção de decadência e/ou atraso que, no seu entender, era experimentada pela sociedade lusitana.</p> <p>&nbsp;</p> Roni Cleber de Menezes Copyright (c) 2023 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2024-01-22 2024-01-22 111 132 A CIRCULAÇÃO DE IDEIAS PEDAGÓGICAS ENTRE BRASIL E PORTUGAL: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/22143 <p>Este trabalho tem como intuito realizar um levantamento da produção acadêmica sobre a circulação de ideias pedagógicas em teses e dissertações produzidas no Brasil e em Portugal entre 2000 e 2020. Consideramos que estes estudos representam uma importante dimensão da articulação do campo educacional luso-brasileira, constituindo trabalhos de fôlego, em geral mais aprofundados do que artigos ou resumos publicados em anais de eventos científicos. As fontes dos dados compreendem repositórios e sites que disponibilizam a produção acadêmica em ambos os países. Quanto ao aspecto teórico-metodológico, optou-se pela utilização de quatro descritores genéricos – “Educação”, “Brasil”, “Portugal” e “luso-brasileiro”. Foram realizados três mapeamentos, com caminhos metodológicos e ferramentas de busca distintas, que possibilitaram a realização de um primeiro balanço desse universo de fontes. A existência de oferta muito baixa de pós-graduações da especialidade em História da Educação contribuiu para resultados quantitativamente menores em Portugal. No caso brasileiro, há um conjunto bastante significativo de teses e dissertações, com temáticas bastante heterogêneas, que demanda análises complementares, envolvendo atividades de coorientação e composição das bancas das sessões de defesa. Trata-se de uma abordagem profícua, que pode explicitar quais pesquisadores operam um intercâmbio acadêmico entre Brasil e Portugal. Outra possibilidade de retomada desse mapeamento está associada à realização de atividades como doutorado-sanduíche, períodos de intercâmbio e estágio, desenvolvimento de projetos, composição de grupos de pesquisa, entre outros.</p> Daniel Ferraz Chiozzini Sandra Sylvia de Santana Ziegler Virgínia Pereira da Silva de Ávila Copyright (c) 2023 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2024-01-22 2024-01-22 133 156 “A IMAGINAÇÃO AO PODER ”: tentativas de transformação da sociedade e de democratização das universidades portuguesa e brasileira, na segunda metade do século XX https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/22926 <p>Este texto nasce de um convite: aprofundar o conhecimento sobre a circulação de ideias pedagógicas entre Portugal e Brasil. Para tanto,&nbsp; descrevemos e analisamos criticamente parte da ação dos movimentos estudantis que ocorreram em Portugal e no Brasil, nos anos 1960 e 70. Procuramos desenvolver um estudo histórico e teórico, sobre os pontos de contacto entre Nise da Silveira, psiquiatra brasileira, e Manuela Malpique, professora de Ciências da Educação da Universidade do Porto. Estabelecemos um paralelo com a obra de Paulo Freire, contemporânea dos dois exemplos aqui tratados, e que nos ajuda a perceber a relação entre a ideia de democratização da universidade e, sobretudo, uma transformação da sociedade elitista, classista, capitalista que a universidade tem alimentado.</p> José Pedro Amorim Maria João Antunes Vera Cerqueira Copyright (c) 2023 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2024-01-22 2024-01-22 157 181 CONTRASTES CURRICULARES DE CURSOS DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO DO BRASIL E PORTUGAL: A INOVAÇÃO PEDAGÓGICA EM PAUTA https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/22932 <p>O artigo aborda a inovação pedagógica no currículo de cursos de formação de profissionais da educação no âmbito da pós-graduação <em>stricto sensu</em>, mais precisamente do Mestrado Profissional em Educação do Programa de Currículo, Linguagens e Inovações Pedagógicas da Universidade Federal da Bahia, e do Mestrado em Educação com especialidade em Inovação Educacional do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa. Apresenta resultados de um estudo delineado metodologicamente pela Pesquisa Contrastiva, traçada por uma bricolagem de abordagem multirreferencial que, em sua primeira fase, objetivou compreender contrastes da inovação pedagógica, conforme expressas nas propostas dos referidos cursos, tendo como esteio a análise documental. Como resultados, destacam-se: 1. a aproximação das concepções de inovação expressas nas propostas pedagógicas e vinculadas à formação objetivada pelos cursos; 2. o distanciamento entre os desenhos curriculares; e 3. as similidades quanto à prospecção de seus impactos sociais, em contrapartida ao espaçamento dos horizontes de intervenção. O estudo destaca, ainda, que ante suas especifidades, ambos os programas se preocupam em alicerçar a produção de conhecimento sobre os/nos percursos de criação de propostas inovadoras nos prórios espaços educativos, ou seja, sobre as inovações pedagógicas em suas dimensões instituintes.</p> Verônica Domingues Almeida Copyright (c) 2023 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2024-01-22 2024-01-22 183 203 CONEXÕES PEDAGÓGICAS TRANSATLÂNTICAS ENTRE PORTUGAL E BRASIL (MEADOS DO SÉCULO XIX ATÉ À DÉCADA DE 1930) https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/23000 <p>Neste trabalho procuramos sobretudo salientar, no processo de circulação internacional de ideias e projetos de proteção e normalização da infância à margem e sua escolarização, o papel das viagens de docentes e outros responsáveis entre Portugal e o Brasil nos meados do século XIX até &nbsp;à década de 1930.. Salientaremos as visitas de estudo de professores/as brasileiros/as a Portugal e à Europa e de portugueses a países europeus e ao Brasil, e sua importância para a formação do professorado. Partimos de fontes primárias e de legislação, assim como de algum material icónico no campo educativo.Concluimos que os casos apresentados são apenas alguns dos que se conhecem e têm sido estudados, mas acreditamos que outros “passadores” de ideias se tenham movimentado nos dois lados do Atlântico.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras- chave</strong>: Circulação de ideias; Brasil – Portugal; História da Educação; Viagens pedagógicas.</p> <p>&nbsp;</p> Margarida Louro Felgueiras Céu Basto Juliana Rocha Copyright (c) 2023 http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2024-01-22 2024-01-22 205 238