A RELAÇÃO DO JOGO PEDAGÓGICO COM JEAN PIAGET

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2229v30n2.2023.19

Palavras-chave:

Piaget, Jogo Pedagógico, Ensino, Aprendizagem

Resumo

Considerando a importância de Piaget para a pedagogia brasileira e a inserção cada vez maior dos jogos pedagógicos nos processos de ensino e aprendizagem como uma metodologia ativa, este artigo busca, a partir de tese recente defendida por um dos autores, apresentar a ideia de se pensar o jogo pedagógico sob o aporte da Teoria de Jean Piaget. Para isso, inicialmente o artigo apresenta os principais aspectos da teoria de Piaget, culminando a discussão na relação que Piaget estabelece entre o jogo e o desenvolvimento do sujeito. Após a discussão desse assunto os autores seguem apresentando o conceito de jogo pedagógico considerado por eles como o apropriado para o trabalho em questão e partem para estabelecer a interface entre o jogo pedagógico e a teoria piagetiana, defendida pelos autores como aquela que deve respaldar o pensamento no momento de se pensar os aspectos pedagógicos do jogo. Por fim, os autores concluem o artigo ressaltando a necessidade de que os jogos pedagógicos, enquanto metodologias ativas, sejam pensados a partir de um referencial teórico consistente que discuta os processos de ensino e aprendizagem e, neste caso específico, que seja Jean Piaget este referencial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Aparecido de Moraes, Universidade Federal de Jataí

Possuo graduação em Ciências Biológicas - modalidade Licenciatura, pela Universidade Federal de Goiás - UFG (2002), mestrado (2009) e doutorado (2020) em Educação em Ciências, pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da UFG. Atuo como professor da Unidade Acadêmica Especial de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Jataí - GO. Tenho experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Ambiental, formação de professores e metodologias lúdicas voltadas ao ensino, atuando principalmente nas seguintes áreas: Educação Ambiental, Ensino de Biologia e Ciências e Formação de Professores.

Márlon Herbert Flora Barbosa Soares, Universidade Federal de Goiás

Cursei Licenciatura em Química na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), entre 1992 e 1998. Desde 1993, até antes de me mudar para São Carlos -SP em 1999 para cursar o mestrado, ministrava aulas de química e física no ensino médio público. Em 2001, após dois anos, terminei meu mestrado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), trabalhando com ensino de química analítica. Minha dissertação versava sobre a caracterização e aplicação de corantes naturais de flores em equilíbrio químico, mudança de coloração, indicadores naturais enfim. No mesmo ano, 2001, logo após a defesa de dissertação, fui aprovado para o doutorado em química, também pela UFSCar, minha tese versava sobre o uso de jogos em ensino de química. Conclui o doutorado em 2004, três anos após meu ingresso e dois anos após ter sido aprovado em concurso público para professor assistente na Universidade Federal de Goiás, onde estou atualmente. Hoje sou PROFESSOR TITULAR e um dos professores da área de ensino de química do Instituto de Química da UFG. Coordeno o Laboratório de Educação Química e Atividades Lúdicas (LEQUAL), grupo registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq e que também conta com financiamento deste mesmo órgão. Fui coordenador do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência do curso de Licenciatura em Química do IQ - UFG entre 2008-2012. Coordenei o estágio de licenciatura por 5 anos, entre 2003 e 2008, período de direcionamento, implantação e regulamentação do estágio docente no Brasil e na UFG. Sou pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Ensino de Ciências (NUPEC) da UFG, com financiamento do CNPq e do FINEP. Orientei 12 alunos de doutorado, 30 alunos de mestrado e 22 alunos de Iniciação Científica até o presente momento, além de 25 monografias de final de curso, implantadas em 2007 na licenciatura em Química da UFG. Atualmente, oriento 6 alunos de mestrado e 6 alunos de doutorado pelo PPGQ E PPGECM da UFG. Publiquei até o momento 81 artigos em periódicos especializados e 302 trabalhos em anais de eventos científicos, sendo 89 deles, trabalhos completos. Tenho 16 capítulos de livro publicados, e no final do ano de 2008, lancei meu primeiro livro: Jogos em Ensino de Química, teoria, métodos e aplicações, que se encontra na 2a edição no ano de 2015. No ano de 2018 lanço um livro novo: Didatização Lúdica no Ensino de Química/Ciências, em parceria com Cleophas, M. G. Finalmente, as linhas de pesquisa em que atuo são: Jogos e Atividades Lúdicas Aplicadas ao Ensino de Química; Ciência e Religião; Formação de Conceitos; Inclusão Digital de Professores de Ciências e Robótica Educacional em Ensino de Ciências.

Referências

CAMARGO, L. S.; BECKER, M. L. R. O percurso do conceito de cooperação na Epistemologia Genética. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 37, n. 2, p. 527-549, maio/ago., 2012.

CAMARGO, R. L.; BRONZATTO, M. Os jogos de regras e sua contribuição para o desenvolvimento lógico-aritmético em crianças. Scheme – Revista Eletrônica de Psicologia e Epistemologia Genéticas, v. 7, n. 2, ago/dez., 2015.

CONSONI, J. B.; MELLO, R. R. Cadernos de Pesquisa: Psicologia e Educação no Ensino e Aprendizagem Escolar. Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas), São Paulo - SP, v. 44, n. 154, p. 1070-1092, out./dez., 2014.

CHAKUR, C. R. S. L. A desconstrução do Construtivismo na educação: crenças e equívocos de professores, autores e críticos. São Paulo: Editora Unesp Digital, 2014.

CLEOPHAS, M. G.; CAVALCANTI, E. L. D.; SOARES, M. H. F. B. Afinal de contas, é jogo educativo, didático ou pedagógico no ensino de Química/Ciências? Colocando os pingos nos “is”. In: CLEOPHAS, M. G.; SOARES, M. H. F. B. (Orgs). Didatização Lúdica no ensino de Química/Ciências: teorias de aprendizagem e outras interfaces. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2018.

GARCIA, H. H. G. O. Adolescentes em grupo: aprendendo a cooperar em oficina de jogos. 2010. Tese (Doutorado em Psicologia). Universidade de São Paulo – USP, São Paulo – SP, 2010.

LIMA, L. O. A construção do homem segundo Piaget: uma teoria da educação. São Paulo: Summus, 1984.

LIMA, L. O. Construtivismo epistemológico e construtivismo pedagógico. In: FREITAG, B. (Org.). Piaget: 100 anos. São Paulo: Cortez, 1997.

LOURENÇO-FILHO, M. B. Introdução ao estudo da escola nova. 13ª ed., São Paulo: Edições Melhoramentos, 1978.

MASSABNI, V. G. O construtivismo na prática de professores de ciências: realidade ou utopia? Ciências & Cognição. Rio de Janeiro – RJ, v. 10, p. 104-114, 2007.

MATUI, J. Construtivismo: teoria construtivista sócio-histórica aplicada ao ensino. São Paulo: Moderna, 1995.

PARRAT-DAYAN, S.; TRYPHON, A. (Orgs.). Jean Piaget, Sobre a pedagogia: textos inéditos, São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.

PIAGET, J. Estudos Sociológicos. Trad. por Reginaldo Di Piero. Rio de Janeiro: Companhia Editora Forense. 1973a.

_________. Biologia e conhecimento: ensaio sobre as relações entre as regulações orgânicas e os processos cognoscitivos. Trad. por Francisco M. Guimarães. Petrópolis - RJ: Vozes, 1973b.

_________. A equilibração das estruturas cognitivas: problema central do desenvolvimento. Trad. por Marion Merlone dos Santos Penna. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.

_________. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo e sonho, imagem e representação. Trad. por Álvaro Cabral e Christiano Monteiro Oiticica. 3ª ed., Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978.

_________. Epistemologia Genética. In: EVANS, R. I. Jean Piaget: o homem e suas ideias. Trad. por Angela Oiticica. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1980a.

_________. Psicologia e Pedagogia. Trad. por Dirceu Accioly Lindoso e Rosa Maria Ribeiro da Silva. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

_________. O nascimento da inteligência na criança. Trad. por Álvaro Cabral. 4ª ed., Rio de Janeiro: LTC, 1987.

_________. Abstração Reflexionante: relações lógico-aritméticas e ordem das relações espaciais. Trad. por Fernando Becker e Petronilha Beatriz Gonçalves da Silva. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

SANCHIS, I. P.; MAHFOUD, M. Construtivismo: desdobramentos teóricos e no campo da educação. Revista Eletrônica de Educação, v.4, n.1, mai., 2010.

SOARES, M. H. F. B. Jogos e Atividades Lúdicas para o ensino de Química. Goiânia: Kelps, 2013.

_________________. O jogo e suas possíveis relações com a Epistemologia Genética de Jean Piaget: em um tabuleiro de xadrez. In: CLEOPHAS, M. G.; SOARES, M. H. F. B. (Orgs). Didatização Lúdica no ensino de Química/Ciências: teorias de aprendizagem e outras interfaces. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2018.

Downloads

Publicado

2023-06-30

Como Citar

MORAES, Fernando Aparecido de; SOARES, Márlon Herbert Flora Barbosa.
A RELAÇÃO DO JOGO PEDAGÓGICO COM JEAN PIAGET
. Cadernos de Pesquisa, v. 30, n. 2, p. 31–53, 30 Jun 2023 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/16133. Acesso em: 24 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos