EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR E PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE: o trabalho do “horista” no ensino privado

Autores

  • Walkiria Martinez Heinrich Ferrer Universidade de Marília (UNIMAR)
  • Marisa Rossignoli Universidade de Marília (UNIMAR)

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2229.v.23n.especial/p106-118

Palavras-chave:

Trabalho docente. Relações de trabalho. Mercantilização da educação.

Resumo

No contexto do processo de globalização e da consequente reestruturação produtiva do capital, podemos visualizar um aspecto que pode ser considerado positivo, ou seja, a valorização da educação como uma
das condições indispensáveis para o desenvolvimento econômico do país. Não obstante, verifica-se uma precarização das relações de trabalho dos docentes no ensino superior, de forma expressiva no trabalho do docente
horista das instituições privadas de ensino superior, categoria que representa a maioria dos assalariados da área educacional. A precarização do trabalho docente se estende também à questão salarial com a “flexibilização” dos contratos trabalhistas, sendo uma característica específica do momento atual, pois essa flexibilização se verifica no cenário trabalhista como um todo, atingindo praticamente todas as categorias. A intensificação do trabalho docente estende-se também a questão da “produtividade”, ou seja, o quanto o docente produz em termos de aulas ministradas, orientações concluídas e em andamento, publicações (em periódicos com Qualis/CAPES de expressão no meio acadêmico) dentre outras determinações de caráter quantitativo. Portanto, a análise sobre o universo dos trabalhadores da educação, especificamente o docente horista, torna-se de extrema importância, não somente em razão da depreciação salarial, como também pela excessiva jornada de trabalho, depreciação das condições físicas e emocionais e necessária regulamentação dessa categoria de trabalho docente.


Palavras-chave: Trabalho docente. Relações de trabalho. Mercantilização da educação.

 

EXPANSION OF HIGHER EDUCATION AND INSECURITY TEACHING JOB: the “hourly” job in private education

Abstract: In the context of globalization and consequent productive restructuring of capital, we can see an aspect that considered positive, that is to say, valuing education as one of the indispensable conditions for the country’s economic development. Nevertheless, precariousness in working conditions of higher education professors’ is evident, especially with hourly professors at private institutions. This is a category that represents the majority of employees in the education sector. Precariousness of teaching work also extends to the salary issue with the “flexibility” of the labor contracts with one current particular feature because this flexibility can be seen in the labor scenario as a whole, reaching virtually every category. The intensification of teaching work also extends to the issue of “productivity”, how much the professor produces in terms of the classes, completed guidelines and ongoing publications (in journals with Qualis / CAPES expression in academia) among other quantitative determinations. Therefore, analysis of the world of education workers, specifically hourly professors, becomes extremely important, not only because of wage depreciation, but also excessive working hours, depreciation of physical and emotional conditions and necessary regulation in this teaching category.

Keywords: Professor’s work. Labor relations. Commodification of education.

 

EXPANSIÓN DE LA ENSEÑANZA SUPERIOR Y LA PRECARIZACIÓN DEL TRABAJO DOCENTE: el trabajo de los asalariados “por hora” en la educación privada

Resumen: En el contexto de la globalización y la consecuente reestructuración productiva del capital, podemos ver un aspecto que se puede considerar positivo, es decir, la valorización de la educación como una de las condiciones indispensables para el desarollo económico del país. Sin embargo se comprueba una precarizacíon de las relaciones laborales de los profesores de educación superior, de manera expresiva en el trabajo de los que ganan por hora en las instituciones privadas de educación superior, una categoría que representa a la mayoría de los empleados en el área educacional. La precarización del trabajo de enseñanza se extiende también a la cuestión salarial con la “flexibilidad” de los contratos de trabajo, es una característica específica del momento presente, ya que esa flexibilización se encuentra en el escenario laboral como un todo, alcanzando prácticamente casi todas las categorías. La intensificación del trabajo docente se extiende también a la cuestión de la “productividad”, es decir, cuánto el docente produce en términos de clases impartidas, orientaciones concluidas y en curso, publicaciones (en periódicos con Qualis/ CAPES de expresión en el ámbito académico), entre otras determinaciones de carácter cuantitativo. Por lo tanto, el análisis sobre el universo de los trabajadores de la educación, en particular el docente asalariado por hora, se torna extremamente importante, no solamente en razón de la depreciación de los salarios, así como por una jornada laboral excesiva, depreciación de las condiciones físicas y emocionales y la necesaria reglamentación de esta categoria de trabajo docente.


Palabras clave: Trabajo docente. Relaciones de trabajo. Mercantilización de la educación.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Walkiria Martinez Heinrich Ferrer, Universidade de Marília (UNIMAR)

Professora Doutora da Universidade de Marília (UNIMAR)


Marisa Rossignoli, Universidade de Marília (UNIMAR)


Professora Doutora da Universidade de Marília (UNIMAR)

Downloads

Publicado

2017-01-26

Como Citar

FERRER, Walkiria Martinez Heinrich; ROSSIGNOLI, Marisa.
EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR E PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DOCENTE: o trabalho do “horista” no ensino privado
. Cadernos de Pesquisa, v. 23, p. 106–118, 26 Jan 2017Tradução . . Disponível em: . Acesso em: 14 abr 2024.

Edição

Seção

Artigos