Reimaginando etnografias:

o uso da videoetnografia na pesquisa em educação por Frederick Erickson e Carmen de Mattos

Autores

Palavras-chave:

etnografia tradicional, videoetnografia, microetnografia, sala de aula, AUTOR

Resumo

O artigo é um ensaio teórico-metodológico que examina, a etnografia e a videoetnografia a partir das perspectivas de AUTOR e AUTOR. São etnógrafos que realizam suas pesquisas em ambientes educacionais usando vídeo e microanálise. A fala de  AUTOR é incluída em primeiro lugar, com os objetivos de revisar aspectos fundamentais da pesquisa etnográfica em educação, descrever brevemente a história da etnografia, discutir a crise de confiança na etnografia tradicional e apresentar três abordagens etnográficas: professor-pesquisador, pesquisa-ação participativa e etnografia performativa. AUTOR prossegue ampliando os argumentos do autor e discutindo o uso do vídeo na etnografia, na tentativa de abordar a questão: como o uso do vídeo em sala de aula pode ampliar as possibilidades analíticas sobre as interações vistas no espaço escolar? De que forma as gravações em vídeo foram utilizadas e quais os limites e possibilidades para o seu uso? E, de que modo as vinhetas etnográficas, a partir de imagens de vídeo, contribuem para significar o trabalho de campo e impactar a reflexividade do pesquisador? Considerados pioneiros no uso de imagens vídeo em pesquisas de sala de aulas, os autores se complementam e desafiam o leitor a reimaginar etnografias como projetos inconclusos e com potencial para vir a ser no futuro, não somente impulsionando as práticas escolares, em especial em sala de aula, com para informar e modificar as políticas públicas em educação

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederick Erickson, University of California, Los Angeles (UCLAS)

Na primavera de 2011, Frederick Erickson aposentou-se de sua posição como George F. Kneller Chair of Anthropology of Education e Professor de Linguística Aplicada na Universidade da Califórnia, Los Angeles, que ocupava desde 1999. É especialista no uso da análise de vídeo em sociolinguística interacional e microetnografia. Seu trabalho tem se concentrado especialmente no tempo e no ritmo na coordenação social da interação, nas relações de influência mútua entre ouvir e falar, e na sinalização de múltiplas identidades sociais na fala. Ele também escreveu extensivamente sobre métodos de pesquisa qualitativa em pesquisa educacional e social, bem como questões de etnia, cultura e linguagem na educação.

Referências

ANDERSON-LEVITT, Kathryn M. Ethnography. In Judith L. Green, Gregory Camilli e Patricia B. Elmore (Eds). Handbook of Complementary Methods in Education Research, 3ed. Capitulo 16, p 279-297. New York: Routledge. 2006. 896p. https://doi.org/10.4324/9780203874769

ARAUJO, Adriane Matos de. Imagem etnográfica da sala de aula: metaetnografia de pesquisa do Núcleo de Etnografia em Educação no período de 1984 a 2016. 2020. 255 págs. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2020.

BACKER, Howard S. Outsiders: Studies in the sociology of deviance. New York: The free Press. 1963.179p.

BALLENGER, Cynthia. Teaching other people's children: Literacy and learning in a bilingual classroom. New York: Teachers College Press. 1999. 120p.

BATESON, Gregory; MEAD, Margaret. Balinese character: A photographic analysis. Vol.2. New York: Academy of Science; Special Publications, II. 1942.

BERGER, Roni. Now I see it, now I don't: Researcher's position and reflexivity in qualitative research. Qualitative Research. Vol 15, nº2, p.219-234. 2015.

BOOTH, Charles. Life and Labour of the People in London. London: Williams and Nargate. 1889

BOURDIEU, Pierre. Poder Simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. Memória e Sociedade. Diefel Difusão Editorial: Lisboa, p. 314, 1989.

CASTRO, Paula Almeida de; FAGUNDES, Tatiana Bezerra; AUTOR; Os Ciclos e as Classes de Progressão na Rede Pública do Rio de Janeiro: percepções sobre a implementação, organização e práticas a partir das falas dos atores sociais da escola no período entre 2002 e 2004. Capítulo 7, p. 149-173. In: AUTOR; CASTRO, Paula Almeida de. (Org.) Etnografia e educação: conceitos e usos [Scielo books, online]. Campina Grande: EDUEPB, 2011. 298p.

CLIFFORD, James; MARCUS, George E. Writing culture: The poetics and politics of ethnography. Berkeley: University of California Press. 1986. 305p.

COCHRAN-SMITH, Marilyn; LYTLE, Susan L. Inside/ Outside: Teacher research and knowledge. New York: Teachers College Press. 1993. 328p.

CONKLIN, Harold C. Ethnography. In Ethnography. International Encyclopedia of the Social Sciences. Vol.5, p 172-178. New York: MacMillan. 1968.

CONNELL, Raewyn W. Gender. Cambridge: Polity Press. (1ª ed.), 2002. 184p.

CONQUERGOOD, Lorne Dwight. Homeboys and Hoods: Gang Communication and Cultural Space. Working papers. Center for Urban Affairs and Policy Research, Northwestern University.1993, 43p.

CONTI, Daiane de Macedo Costa. Etnografia e Educação: uma metanálise. 2020. 155 f. Tese (Doutorado em Educação) Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020.

DENZIN, Norman K. Performance ethnography: Critical pedagogy and the politics of culture. Thousand Oaks, CA: Sage. 2003. 314p.

DERRY, Sharon et. al. Conducting Video Research in the Learning Sciences: Guidance on Selection, Analysis, Technology, and Ethics. Journal of the Learning Sciences. Vol. 19, nº1, p. 3-5 2010. DOI: 10.1080/10508400903452884

DUBOIS, William Edward Burghardt. The Philadelphia Negro: A social study. Philadelphia: University of Pennsylvania Press. 1899. 364p.

AUTOR, E. Some approaches to inquiry in school-community ethnography. Anthropology and Education Quarterly. Vol. 8, p. 58-69, 1977.

AUTOR; MOHATT, Gerald V. Cultural organization of participation structures in two classrooms of Indian students. In: George Spindler (Ed.). Doing the ethnography of schooling: Educational anthropology in action. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1982.

AUTOR; SHULTZ, Jeffrey “When is a context?” Some issues and methods in the analysis of social competence. In: Judith L. Green and Cynthia Wallat (Eds.). Ethnography and Language in Educational Settings: Ablex, Norwood, NJ, 147-160, 1981.

AUTOR; SHULTZ, Jeffrey The counselor as gatekeeper: Social interaction in inter views. New York: Academic Press. 1982. 263p.

AUTOR, ; WILSON, Jan. Sights and sounds of life in schools: A resource guide to film and videotape for research and education. Research Series, nº.125. College of Education, Institute for Research on Teaching. East Lansing: Michigan State University, 1982.

AUTOR. Audiovisual records as a primary data source. Grimshar (editors): Sociological methods and research (Special issue on sound-image records in social interaction research), v. 11, n. 2, p. 213-232, 1989.

AUTOR. Definition and Analysis of Data from Videotape: Some Research Procedures and Their Rationales. In Judith L. Green, Gregory Camilli e Patricia B. Elmore (Eds). Handbook of Complementary Methods in Education Research, 3ed. Capitulo 10, p.177-193.New York: Routledge. 2006. 896p. https://doi.org/10.4324/9780203874769

AUTOR, . Ethnographic microanalysis of interaction. In Margaret D. LeCompte, Wendy Millroy & Judith Preissle (eds.), The handbook of qualitative research in education, p. 201–225. New York: Academic.1992.

AUTOR, . Ethnographic Microanalysis. In Sandra Lee McKay and Nancy H. Hornberger (Eds.). Sociolinguistics and language teaching. Cambridge: Cambridge University Press, 1996.

AUTOR. Prefácio. In: Maria Inês Pagliarini Cox e Ana Antônia de Assis-Peterson (Org.) Cenas de sala de aula. Campinas: Mercado das Letras. 2001. 272p.

AUTOR. Qualitative methods in research on teaching. In: Wittrock Merlin C, (Ed.), Handbook of research on teaching, p. 119-161. New York: Macmillan, 1986. 1037p.

AUTOR. Re-imaginando o retrato de escolas e escolarização: abordagens atuais em etnografia é Conferência. III Colóquio Educação, Cidadania e Exclusão: Gênero e Pobreza. Núcleo de Etnografia e Educação (NetEdu), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Maracanã, Rio de Janeiro, de 04 a 06 de novembro de 2009.

AUTOR. Studying side by side: Collaborative action ethnography in educational research. Chapter. In George Spindler e Hammond, Lorie (eds.) Innovations in Educational Ethnography: Theories, Methods, and Results. Capitulos 7, p. 235-257. Mahwah: Lawrence Erlbaum and Associates. 2006. 416p. https://doi.org/10.4324/9780203837740

FRANK, Carolyn. Ethnographic eyes: A teacher's guide to classroom observation. Portsmouth: Heineman. 1999. 111p.

GEERTZ, Clifford. The interpretation of cultures. New York: Basic Books. 1973. 470p.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Tradução de Mônica Célia Santos Raposo. 9a edição. Petrópolis: Ed. Vozes, 1985. 280p.

GOFFMAN, Erving. Embarrassment and Social Organization. American Journal of Sociology, Volume 62, nº 3, p.264-271. 1956. https://doi.org/10.1086/222003

GOFFMAN, Erving. Encounters: Two Studies in the Sociology of Interaction. Harmondsworth, Middlesex: Penguin. (1961) 1972.

GOFFMAN, Erving. Footing. In: Branca Telles Ribeiro e Pedro M Garcez (Org.). Sociolinguística Interacional. Capítulos 5, p.107-148. São Paulo: Edições Loyola, 1979.

GOODWIN, Charles. Co-Operative Action. Cambridge. Cambridge: Cambridge University Press. 2018.

HAMMERSLEY, Martyn. Classroom ethnography: Empirical and methodological essays. New York: Routledge.1990. 186p. https://doi.org/10.4324/9781003094043

JOHNSON, Sarah Jean; AMADOR, Laura. A Pioneer in the Use of Video for the Study of Human Social Interaction: A Talk with AUTOR. Ucla-Crossroads of Language, Interaction and Culture. Vol. 8, nº 1, p. 93-102. 2011. https://escholarship.org/uc/item/1zn9r77c

KENDON, Adam. Conducting Interaction: Patterns of Behavior in Focused Encounters. Cambridge: Cambridge University Press. 1990. 304p.

KENDON, Adam. The organization of behavior in face-to-face interaction; Observations on the development of a methodology. In: Paul Ekman and Klaus Scherer. Handbook of research methods in nonverbal behavior, p. 440–505.Cambridge: Cambridge University Press. 1981.

LIDDELL, Henry George; SCOTT, Robert. Liddell and Scott's Greek-English Lexicon. Oxford: Clarendon Press. 1940. 804p.

MALINOWSKI, Bronislaw. Argonauts of the Western Pacific: an account of native enterprise and adventure in the Archipelagoes of Melanesian New Guinea London: Routledge & Kegan Paul. 1922. 527p.

AUTOR; CASTRO, Paula Almeida de. (Org.) Etnografia e educação: conceitos e usos [Scielo books, online]. Campina Grande: EDUEPB, 2011. 298p.

AUTOR; CASTRO, Paula Almeida de. Fracasso escolar: gênero e pobreza. Relatório Final da Pesquisa. Prociência/FAPERJ, Uerj-Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Brasília: CNPq. 2010. 185f.

AUTOR; CONTI, Daiane de Macedo Costa. Um estudo etnográfico sobre as ordenações e relações de gênero no ensino fundamental: analisando conselhos de classe. In AUTOR et. al. (Org.) Pesquisas em Educação: a Produção do Núcleo de Etnografia em Educação (NetEdu). Campina Grande: Realize, 2015. 354p.

AUTOR. Digital ethnography is a new trend of ethnographic studies in education in Brazil. Conferência, 31 de julho de 2014. University of British Columbia (UBC), Vancouver. CA. 2014.

AUTOR. Digital Technology and Ethnographic Research: Aspects of research and taught with technologies in Education. Projeto de Pesquisa. Prociência/FAPERJ. Brasília: Capes. 2012

AUTOR. Estudos etnográficos da educação: uma revisão de tendências no Brasil. p 25-49. In: AUTOR; CASTRO, Paula Almeida de. (Org.) Etnografia e educação: conceitos e usos [Scielo books, online]. Campina Grande: EDUEPB, 2011. 298p.

AUTOR. Etnografia e Exclusão: meta-análise interpretativa das pesquisas realizadas pelo núcleo de etnografia em educação (1984-2016). Projeto de Pesquisa. Núcleo de Etnografia em Educação. Universidade do Estado do Rio de Janeiro. FAPERJ/CNPq: Rio de Janeiro. 2017.

AUTOR. Etnografia na Educação: textos de AUTOR. [Tradução - online]. Rio de Janeiro: NetEdu, 2004.

AUTOR. Etnografias na escola: duas décadas de pesquisa sobre o fracasso escolar no ensino fundamental. Capítulo 1, p. 7-20. In, Carmen Lúcia Guimarães de AUTOR; Helena Amaral da Fontoura (Org.) Etnografia e Educação: Relatos de Pesquisa. Prefácio por AUTOR. Rio de Janeiro: EdUERJ. 2009. 222 p.

AUTOR. Fracasso Escolar: uma etnografia. Curitiba: Appris editora. 2022. 287p. AUTOR. Gênero e Pobreza: Práticas, Políticas e Teorias Educacionais - Imagens de escolas. Projeto de Pesquisa. Prociência/FAPERJ, Uerj-Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Brasília: CNPq. 2008.

AUTOR. Imagens Etnográficas da Inclusão Escolar: o fracasso escolar na perspectiva do aluno. Relatório Final da Pesquisa. Prociência/FAPERJ. Uerj – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. 2008.

AUTOR. Imagens Etnográficas da Inclusão Escolar: o fracasso escolar na perspectiva do aluno. Projeto da Pesquisa. Prociência/FAPERJ. Uerj – Universidade do Estado do Rio de Janeiro. 2005.

PINK, Sarah. Doing visual ethnography: Images, media, and representation in research. London: SAGE Publications. 2007.

PITARD, Jayne. Using Vignettes Within Autoethnography to Explore Layers of Cross-Cultural Awareness as a Teacher. Forum: Qualitative Social Research, Vol. 17, nº.1, Art. 11. 2016. https://doi.org/10.17169/fqs-17.1.2393

RIIS, Jacob. How the other half lives: studies among the tenements of New York. New York: Charles Scribner's Sons, 1890. 242p.

ROSALDO, Renato. Culture & Truth: The remaking of social analysis. Boston: Beacon Press. 1989. 288p.

WOLCOTT, Harry Ethnography; a way of seeing. Lanham: AltaMira Press. 2008. 352p.

Publicado

2024-06-30

Como Citar

MATTOS, Carmen Lúcia Guimarães de; ERICKSON, Frederick.
Reimaginando etnografias:: o uso da videoetnografia na pesquisa em educação por Frederick Erickson e Carmen de Mattos
. Cadernos de Pesquisa, v. 31, n. 2, p. 1–32, 30 Jun 2024 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/23818. Acesso em: 24 jul 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Etnografia na Educação"

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)