Arte-etnografia e o teatro do oprimido

Diálogos educacionais em espaços não formais junto ao grupo MareMoTO

Autores

Palavras-chave:

educação, Etnografia, pesquisa de campo, teatro do oprimido

Resumo

O artigo foca as práticas do Teatro do Oprimido (TO) na luta pela transformação do contexto local e das relações de poder nas comunidades do Rio de Janeiro através da etnografia de um trajeto junto ao grupo MareMoTO. No específico, a etnografia procura compreender como se dão as relações dialógicas nos trabalhos de Paulo Freire e nas produções de conhecimentos dentro de um Grupo de TO, assim busca explorar a potência da metodologia no aprofundamento de articulações entre espaços educacionais formais e não formais, que superem a exclusão simbólica e a injustiça cognitiva ao proporem outras formas de se produzir conhecimento, que partam de narrativas polifônicas. Para tal, aprofundamos os entrecruzamentos de três conceitos característicos da etnografia e da metodologia pedagógico-político-teatral de Augusto Boal de forma a investigar como se dão as relações entre elas, e que possibilitam uma outra compreensão do real e de formas de transformá-lo. Partindo dos ensaios, apresentações e oficinas do MareMoTO, compreende-se características que integram o TO, tais como: a transformação do espectador passivo em protagonista ativo, a modificação da realidade através de linguagens invisibilizadas, a ampliação do diálogo sinestésico, a descentralização da voz que produz conhecimento e o alargamento da produção estética como indissociavelmente produtora de conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Igor Federici Trombini , Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Mestre em educação Universidade do Estado do Rio de Janeiro - Uerj. Consultor no Fundo Brasileiro para a Biodiversidade – Funbio. Pesquisador nos Projetos da Educação Ambiental do Licenciamento Ambiental Federal – Ibama,  nas comunidades tradicionais em toda costa do Rio de Janeiro e na organização comunitária, incidência na formulação de políticas públicas e geração de renda (PEA Rede Observação). Foi pesquisador do Projeto Teatro dos Trabalhadores da Companhia Ensaio Aberto e no Núcleo de Etnografia e Educação- Netedu/Uerj.

Alessio Surian, Università di Padova

Doutor em Pedagogia e Ciências da Educação pela Universidade de Padova. Professor Associado de Ciências da Educação do Departamento - Fisppa e do Programa de Pós-graduação em Pedagogia e Ciências da Educação da Universidade de Padova; Diretor do Centro de Pesquisa Interdepartamental para Estudos Interculturais e de Migração - Cirsim.

Referências

ARNULF, Fanny. Da prática teatral à luta pelo reconhecimento: o Teatro do Oprimido nas favelas do Rio de Janeiro. in Todas as Artes, Todos os Nomes: II Congresso Internacional Lusófono. p. 314-325, Universidade do Porto. Faculdade de Letras, Porto. 2022.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas. São Paulo: Cosac Naify. 2013.

BOAL, Augusto. A Estética do Oprimido. Rio de Janeiro: Garamond. 2008.

CLIFFORD, James; MARCUS, George (Eds.) A escrita da cultura: poética e política da

etnografia. Papéis Selvagens. Rio de Janeiro: Ed. UERJ. 2016.

CLIFFORD, James. Experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. 3ª ed.

Rio de Janeiro: Ed. Ufrj. 2008.

COELHO, Gustavo Pixação: arte e pedagogia como crime. Dissertação (Mestrado em Educação), Faculdade de educação, Universidade Estadual do Rio de Janeiro. 2009, 371f.

MIGNOLO, Walter. La idea de América Latina: la herida colonial y la opción decolonial. Gedisa: Barcelona. 2005.

DELEUZE, Gilles; Guattari. O que é a filosofia? Coleção Trans. São Paulo: Editora 34.1991.

DE SOUSA SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. Revista Crítica de Ciências Sociais. Vol. 78, Outubro. p.3-46. 2007. DOI : 10.4000/rccs.753

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1970.

QUIJANO, Anibal. Colonialidad y modernidad / racionalidad, In, H. BONILLA (comp.) (1992), Los conquistados. 1492 y la población indígena de las Américas, Ecuador, Libri Mundi-Tercer Mundo Editores, pp. 437-448. 1989.

QUIJANO, Anibal. Colonialidad del poder, cultura y conocimiento en América Latina”, Anuario Marateguiano, nª 9, p.113-121, In, S. Castro-Gomez, O. Guardiola-Rivera, y C. Millan DE benavides (Eds.) (1999) Pensar (en) los intersticios. Teoría y práctica de la crítica poscolonial, Santafé de Bogotá, CEJA. 1997.

MAFFESOLI, Michel. Homo Eroticus: comunhões emocionais. RJ Forense. 2014.

MATTOS, Carmen Lúcia Guimarães de (Ed.) Etnografia na Educação: textos de Frederick Erickson. Rio de Janeiro. 2004.

SANCTUM, Flavio Do negativo social à transformação do real. Aproximações entre Boal e Adorno. Em Sala Preta, vol. 12, nº. 2, dez 2012, p. 45-50. 2012.

SANTOS, Barbara. Teatro do Oprimido Raízes e Asas: uma teoria da práxis. Rio de Janeiro. 2016.

VANNUCCI, Alessandra. Lecture at the Federal University Rio de Janeiro, 07 August 2015. III Jitou, Ufrj. 2015.

VICTORIO, Aldo. Estéticas nômades: outras histórias, outras estéticas, outros...ou o funk

carioca: produção estética, epistemológica e acontecimento. Visualidades. Vol. 6, nº. 12. 2012.

XIBERRAS, Martine. As Teorias da Exclusão: para uma construção do imaginário do desvio. Epistemologia e sociedade, Vol. 41. 1993.

WALSH, Caterine Geopolíticas del conocimiento, interculturalidad y descolonización, Boletín ICCI-ARY Rimay, nª 60, marzo, (2004. p.1-6.

WANDERLEY, Mariangela Belfiore. Refletindo sobre a noção de exclusão. In Sawaya, Bader (org.) As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. 14ª ed. Petrópolis: Vozes. (2014)

Publicado

2024-06-30

Como Citar

FEDERICI TROMBINI , Igor; SURIAN, Alessio.
Arte-etnografia e o teatro do oprimido: Diálogos educacionais em espaços não formais junto ao grupo MareMoTO
. Cadernos de Pesquisa, v. 31, n. 2, p. 1–30, 30 Jun 2024 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/23694. Acesso em: 20 jul 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Etnografia na Educação"