ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA NO PROUNI:

cursos acessador por sexo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2229v30n1.2023.10

Resumo

O Programa Universidade para Todos concede bolsas de estudos, em instituições de educação superior privadas, a estudantes egressos de escolas públicas, com reserva de vagas para pessoas com deficiência e outros grupos (BRASIL, 2005). Efeitos do Programa é o tema deste artigo, cujos objetivos são: identificar os cursos acessados por estudantes bolsistas com deficiência e analisar a distribuição por curso e sexo, a partir dos dados extraídos do Censo da Educação Superior, de 2011 a 2016, com o uso do software SPSS. Sobre as bolsas por curso e sexo, verificou-se a permanência da divisão sexual do trabalho, particularmente, em Engenharia maioria homens e em Pedagogia, mulheres, repetindo o padrão identificado para o Brasil (BARRETO, 2014; ARTES; RICOLDI, 2016; RICOLDI; ARTES, 2016).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taís Buch Pastoriza, Universidade de São Paulo

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, na linha de pesquisa da Educação Especial, Mestre em Educação pela Universidade Federal de São Carlos e Graduada em Geografia, pela mesma Universidade. Atua como Coordenadora Pedagógica na rede municipal de ensino de São Paulo.

Referências

ALMEIDA, Heloísa Buarque; SIMÕES, Júlio Assis; MOUTINHO, Laura; SCHWARCZ, Lilia Katri. Moritz. 10 anos: um exercício de memória coletiva. In: SAGGESE, Gustavo Santa Roza; MARINI, Marisol; LORENZO, Rocío Alonso; SIMÕES, Júlio Assis; CANCELA, Cristina Donza. et al. (Org.). Marcadores Sociais da Diferença: Gênero, sexualidade, raça e classe em perspectiva antropológica. São Paulo: Terceiro Nome; Gamma, 2018. p. 9-30.

ALMEIDA, Wilson Mesquita de. Ampliação do acesso ao ensino superior privado lucrativo brasileiro: um estudo sociológico com bolsistas do Prouni na cidade de São Paulo. 2012. Tese (Doutorado em sociologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

ARTES, A.; RICOLDI, A. M. Mulheres e as carreiras de prestigio no ensino superior brasileiro: o não lugar feminino. In: ITABORAÍ, N. R.; (Org.)., A. M. R. Até onde caminhou a revolução de gênero no Brasil?: implicações demográficas e questões sociais. [S.l.]: ABEP, 2016. p. 81-94.

BARBOSA, Maria Ligia de Oliveira; SANTOS, Clarissa Tagliari. A permeabilidade social das carreiras do ensino superior. Cad. CRH, Salvador, v. 24, n. 63, p. 535-554, Dez. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-49792011000300006&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15 dez. 2020.

BARRETO, A. A mulher no Ensino Superior: Distribuição e representatividade. Cadernos do GEA, Rio de Janeiro: Flacso/Brasil - Cadernos do GEA, n. 6, jul./dez. 2014.

BELTRÃO, Kaizô Iwakami; ALVES, José Eustáquio Diniz. A reversão do hiato de gênero na educação brasileira no século XX. Cad. Pesqui.,São Paulo, v. 39, n. 136, p. 125-156 abr. 2009 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742009000100007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 03 jan. 2021.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior 2011-2016. Brasília/DF. INEP/MEC. Disponível em: http://inep.gov.br/censo-da-educacao-superior. Acesso em: 15 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Análise sobre a Expansão das Universidades Federais 2003-2012. Brasília, 2012. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=12386-analise-expansao-universidade-federais-2003-2012-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 5 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005. Institui o Programa Universidade para Todos - PROUNI, regula a atuação de entidades beneficentes de assistência social no ensino superior; altera a Lei no 10.891, de 9 de julho de 2004, e dá outras providências. Brasília, 2005a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/lei/l11096.htm. Acesso em: 24 out. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria Normativa nº 1, de 2 de janeiro de 2015. Regulamenta os processos seletivos do Programa Universidade para Todos – Prouni. Brasília, 2015. Disponível em: http://prouniportal.mec.gov.br/legislacao/legislacao-2015/215-portaria-normativa-n-1-de-2-de-janeiro-de-2015/file. Acesso em: 28 out. 2020.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior. Resumo Técnico 2016. Brasília: MEC/INEP, 2018a. 97 p. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/resumo_tecnico/resumo_tecnico_censo_

da_educacao_superior_2016.pdf. Acesso em: 7 dez. 2019.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da Educação Superior. Resumo Técnico 2015. Brasília: MEC/INEP, 2018b. 90 p. Disponível em: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/resumo_tecnico/resumo_tecnico_censo_

da_educacao_superior_2015.pdf. Acesso em: 7 dez. 2019.

BREDA, Davieli Chagas. A inclusão no ensino superior: Um estudante surdo no Programa de Pós-Graduação em Educação. 2013. 182 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013.

CASTRO, Sabrina Fernandes. Ingresso e permanência de alunos com deficiência em universidades públicas brasileiras. 2011. 278 f. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Universidade Federal de São Carlos, 2011.

COSTA, Fabiana de Souza. O Prouni e seus egressos: uma articulação entre educação, trabalho e juventude. 2012. 201 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012.

DANTAS, Taísa Caldas.; SILVA Jackeline Suzann Souza; CARVALHO, Maria Eulina. Entrelace entre gênero, sexualidade e deficiência: uma história feminina de rupturas e empoderamento. Revista brasileira de educação especial, Marília, v. 20, n. 4, p. 555-568, dez. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382014000400007&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 21 dez. 2019.

DUBET, François. Qual democratização do ensino superior? Cad. CRH, Salvador, v. 28, n. 74, p. 255-266, 2015. Acesso em: 28 out 2020. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010349792015000200255&lng=en&nrm=iso.

FERREIRA, N. T. Programa Universidade para Todos (Prouni): uma avaliação sobre a efetividade da política pública. 2012. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LACERDA. Guilherme Brito de. Políticas de acesso, autonomia e permanência da pessoa com deficiência nas instituições públicas de ensino superior da região metropolitana do Cariri. 2013. 141f. Dissertação (Mestrado Profissional em Políticas Públicas e Gestão da Educação Superior) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

MARTINS, Raísa Maria de Arruda. Prouni: Uma política de democratização do ensino superior? Mestrado acadêmico em educação. Universidade Federal de Viçosa, Minas Gerais. 2011.

MOEHLECKE, Sabrina. As políticas de diversidade na educação no governo Lula. Cad. Pesqui. [online]. 2009, vol.39, n.137, pp.461- 487. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742009000200008&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 5 dez. 2019.

PASTORIZA, Taís Buch.Estudantes com deficiência na educação superior: estudo do perfil e do ingresso via Prouni. 2020. 221f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2020.

PEREIRA, Michelle Melina Gleica Del Pino Nicolau. Deficiência, raça e gênero: análise de indicadores educacionais brasileiros. 2016. 142 f. Tese (Doutorado em Educação: História, Política, Sociedade) – Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação: História, Política, Sociedade, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2016.

RANGEL, Aline Batista. Inclusão de pessoas com deficiência na Universidade Federal Fluminense: acesso e permanência, possibilidades e desafios. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2015.

RENDERS, Elizabete Cristina Costa. Invisibilidade e emergência da universidade inclusiva na tessitura de uma rede de memórias. 2012. 211f. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2012.

RICOLDI, A.; ARTES, A. Mulheres no ensino superior brasileiro: espaço garantido e novos desafios. Ex aequo, Lisboa, n. 33, p. 149-161, jun. 2016. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0874-55602016000100011&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 30 abr. 2019.

RISTOFF, Dilvo. Vinte e um anos de educação superior: expansão e democratização. In: Cadernos do GEA, n.3, jan./jun. 2013.

RODRIGUES, Rogéria Pereira. O movimento inclusivo no ensino superior na perspectiva de alunos cegos. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação) –Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2013.

SACCARO, Alice; FRANÇA, Marco Túlio Aniceto. Crédito ou tipo de escola de ensino médio? Os efeitos do FIES sobre a sobrevivência de estudantes de ensino superior de acordo com a escola de conclusão do ensino médio. Anais do XXI Encontro de Economia da Região Sul - ANPEC/SUL,

Disponível em: http://www.anpec.org.br/novosite/br/xxi-encontro-de-economia-da-regiao-sul-artigos-selecionados. Acesso em 1 dez. 2020.

SILVA, Michelle Mayara Praxedes; RIBEIRO, Karen. Escolarização de pessoas com deficiência: questões de gênero. Simpósio Gênero e Políticas Públicas, 3, 2014, Londrina. Anais do III Simpósio Gênero e Políticas Públicas. Londrina, 2014. p. 1-7. Acesso em: 14 out. 2020. Disponível em: http://www.uel.br/eventos/gpp/pages/arquivos/GT6_Michelle%20Mayara%20Praxedes%20Silva.pdf. Acesso em: 10 jan 2021.

SOUSA, Dayanne. Crédito estudantil privado após o novo Fies: desafios e oportunidades. Monografia (Pós-Graduação Lato Sensu, MBA informações econômico-financeiras e mercado de capitais para jornalistas) – Faculdade UBS, UBS Escola de Negócios, São Paulo, 2016

Downloads

Publicado

2023-11-15

Como Citar

Pastoriza, T. B., & Prieto, R. G. (2023). ESTUDANTES COM DEFICIÊNCIA NO PROUNI: : cursos acessador por sexo. Cadernos De Pesquisa, 30(1), 225–243. https://doi.org/10.18764/2178-2229v30n1.2023.10

Edição

Seção

Artigos