BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR:

concepções e implicações para a educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2229v30n1.2023.5

Palavras-chave:

Políticas públicas para Educação Infantil, Currículo, Base Nacional Comum Curricular.

Resumo

Com a aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no ano de 2017, muitas foram as discussões e análises tanto pelo modo como o documento foi finalizado quanto pelas alterações e modificações que o mesmo sofreu. A partir de uma análise documental e de entrevistas com consultoras da 1ª e 2ª versões da BNNC, esse artigo buscou compreender quais as concepções norteadoras na versão final da BNCC e quais as possíveis implicações para a Educação Infantil. Os resultados das análises apontam que o currículo para a Educação Infantil na versão final da BNCC tem como foco os objetivos de aprendizagem atrelados a lógica de educação por competências, o que rompe com a 1ª e 2ª versão da BNCC. Embora não seja possível avaliar ainda os desdobramentos da BNCC e do currículo no cotidiano das instituições de Educação Infantil, a formatação da versão final do documento, sua filiação conceitual, nos dão pistas de alguns impactos que poderão ocorrer na Educação Infantil, entre os quais destacamos: a possibilidade de os Campos de Experiência serem tomados como disciplina, de o currículo ser concebido enquanto documento prescritivo, da centralidade no processo de aquisição da linguagem escrita e indícios da implementação de avaliação em larga escala para esta etapa. Destacamos que esses impactos estão em desencontro com o que defendemos e pensamos como um currículo adequado para a Educação Infantil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Giovanella Fagundes, UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE – UNIVILLE

Psicóloga pela Associação Catarinense de Ensino - ACE, Especialista em Psicologia Clínica pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PUC/PR, mestranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE da Universidade da Região de Joinville /UNIVILLE. Membro do Grupo de Pesquisa em Políticas e Práticas para Educação e Infância – GPEI.

Rosania Campos, Universidade da Região de Joinville/UNIVILLE

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGE da Universidade da Região de Joinville/UNIVILLE. Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Políticas e Práticas para Educação e Infância – GPEI.

Melissa Daiane Hans Sasson, Universidade da Região de Joinville/UNIVILLE

Mestre em Educação pela Universidade da Região de Joinville (UNIVILLE). Especialista em Gestão Pública pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Graduada em Psicologia pela Universidade Estadual do Centro Oeste (UNICENTRO). Membro do Grupo de Pesquisa em Políticas e Práticas para Educação e Infância – GPEI

Referências

AGOSTINI, Camila Chiodi. As artes de governar o currículo da Educação Infantil: A Base Nacional Curricular em discussão. Orientador: Jerzy André Brzozowski. 2017. 166 f. Dissertação (Mestrado Interdisciplinar em Ciências Humanas) – Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu Interdisciplinar em Ciências Humanas, Universidade Federal da Fronteira Sul, Erechim, 2017.

ALVES, Eliane Fernandes Gadelha. Concepções de diversidade na base nacional comum curricular – anos inicias do ensino fundamental. Orientador: Dorivaldo Alves Salustiano. 2019. 134f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Humanidades, 2019.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Práticas cotidianas na educação infantil: bases para a reflexão sobre as orientações curriculares. Projeto de cooperação técnica MEC e UFRGS para construção de orientações curriculares para a educação infantil. Brasília, DF: MEC, 2009.

BARBOSA, Maria Carmem Silveira. Os resultados da avaliação de proposta curriculares para a educação infantil dos municípios brasileiros. Anais do I Seminário Nacional: Currículo em Movimento. Perspectivas Atuais, Belo Horizonte, nov. 2010. p. 1-8. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7150-1-1-artigo-mec-proposta-curricular-maria-carmem-seb/file. Acesso em: 12 jun. 2020.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira et al. Base Nacional Comum Curicular – avanços para qual direção? Abaixo Assinado ao Ministério da Educação. 2016. Disponível em: https://www.change.org/p/minist%C3%A9rio-da-educa%C3%A7%C3%A3o-base-nacional-comum-curricular-avan%-C3%A7os-para-qual-dire%C3%A7%C3%A3o. Acesso em: 28 set. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Consulta Pública. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2015. Disponível em: Acesso em: 01 nov. 2019. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/BNCC-APRESENTACAO.pdf. Acesso em: 01 nov. 2015.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Segunda versão revista. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2016. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/relatorios-analiticos/bncc-2versao.revista.pdf. Acesso em: 02 nov. 2019.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 10 ago. 2019.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília, 2001.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FOCHI, Paulo Sergio. Ludicidade, continuidade e significatividades nos Campos de Experiência. In: FINCO, Daniela; Barbosa Maria Carmem; FARIA, Ana Lúcia Goulart de. Campos de Experiência na escola da infância: contribuições para inventar um currículo de educação infantil brasileiro. Campinas, SP: Edições Leitura Crítica, 2015, p. 221-232.

FOCHI, Paulo Sergio. BNCC para a Educação Infantil. Publicado em 20 de julho de 2018. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=HLk7hsj3LUk&t=63s. Acesso em: 25 ago. 2020.

GIURIATTI, Patrícia. Direitos de aprendizagem e desenvolvimento: contextos educativos para as infâncias no século XXI. Orientadora: Nilda Stecanela. 2018. 219 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, 2018.

LIMA, Iana Gomes de. Caminhos teóricos-metodológicos para pesquisas sobre Estado e educação: a política pública como “janela” e o uso de entrevista realista como procedimento metodológico. Jornal de Políticas Educacionais, Curitiba, v. 10, n. 20. P. 83-93, jul./dez. 2016.

LIMA, Telma Cristiane Sasso de; MIOTO, Regina Célia Tamaso. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 10, n. esp., p. 37-45, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-49802007000300004&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 13 abr. 2020.

LUDVIG, Daiana. Currículo para a educação infantil: uma análise a partir dos documentos curriculares de municípios catarinenses. Orientadora: Rosânia Campos. 2017. 152 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade da Região de Joinville, Joinville, 2017.

MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão; PINA, Leonardo Docena; MACHADO, Vinícius de Oliveira; LIMA, Marcelo. A Base Nacional Comum Curricular: um novo episódio de esvaziamento da Escola no Brasil. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 9, n. 1, p. 107-121, abr. 2017. Disponível em https://portalseer.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/21835. Acesso em: 31 ago. 2020.

ROSA, Luciane Oliveira de. Continuidades e Descontinuidades nas versões da BNCC para a Educação Infantil. Orientadora: Valéria Silva Ferreira. 2019. 162 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2019.

SACRISTÁN, José. Gimeno. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SILVA-SÁ, Jackson Ronie; ALMEIDA, Cristóvão Domingos de; GUINDANI, Joel Felipe. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História e Ciências Sociais, Santa Vitória do Palmar, v. 1, n. 1, p. 1-15, jul. 2009. Disponível em: https://periodicos.furg.br/rbhcs/article/view/10351. Acesso em: 13 abr. 2020.

TRICHES, Eliane de Fatima. A formação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e concepções em disputa sobre o processo alfabetizador da criança (2015 – 2017). Orientadora: Maria Alice de Miranda Aranda. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação. Universidade Federal da Grande Dourados. Dourados: UFGD, 2018.

Downloads

Publicado

2023-11-15

Como Citar

FAGUNDES, Vanessa Giovanella; CAMPOS, Rosania; SASSON, Melissa Daiane Hans.
BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR: : concepções e implicações para a educação infantil
. Cadernos de Pesquisa, v. 30, n. 1, p. 109–139, 15 Nov 2023 Disponível em: http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/15720. Acesso em: 14 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos