AVALIAÇÃO EXTERNA DE LARGA ESCALA EM MANAUS:

de seus sustentáculos aos efeitos sobre as crianças no cotidiano escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2229v30n1.2023.14

Palavras-chave:

Educação, Sistema Educativo, Avaliação de Larga Escala, Avaliação de Desempenho do Estudante.

Resumo

No Brasil, a avaliação educacional externa passou a ser compreendida como um importante instrumento para garantir qualidade ou melhoria do sistema educativo. Nas últimas três décadas acabamos por consolidar um macrossistema de avaliação de larga escala. Este é o cenário de emergência de nosso objeto e deste artigo, o qual busca compreender os sustentáculos históricos, políticos e educacionais da Avaliação de Desempenho do Estudante (ADE) na cidade de Manaus/AM e seus efeitos sobre as crianças no cotidiano escolar, ao aliar revisão de literatura, análise sócio histórica da ADE e observação participante da realidade escolar. O estudo revelou uma relação íntima entre os movimentos e sistemas avaliativos internacionais, nacionais, estaduais e municipais, bem como uma efetiva incidência da ADE no dia a dia das escolas manauaras, pelo que esta avaliação tem provocado rupturas tanto para as crianças, quanto para os professores e ainda rupturas de ordem curricular, uma vez que o cotidiano das escolas acaba sendo marcado por uma espécie de “treinamento” para as provas da ADE e, dessa forma, acaba por privilegiar determinados componentes curriculares como língua portuguesa e matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Ferreira da Silva, Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

Professora Adjunta da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFAM).

Doutora em Ciências da Educação pela Universidade Nova de Lisboa (UNL), com Bolsa Erasmus Mundus/União Europeia; com Pós-Doutorado em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Referências

AFONSO, Almerindo Janela. Questões, objetos e perspectivas em avaliação. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 19, n. 2, p. 487-507, jul. 2014.

ARAÚJO, Gilda Cardoso de; FERNANDES, Caroline Falco Reis. Qualidade do ensino e avaliações em larga escala no Brasil: os desafios do processo e do sucesso educativo na garantia do direito à educação. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, Madrid, v. 2, p. 124-140, 2009.

BECKER, Fernanda da Rosa. Avaliação educacional em larga escala: a experiência brasileira. Revista Iberoamericana de Educación, Madrid, v. 53, n. 1, p. 1-11, 25 jun. 2010.

BICUDO, Maria Aparecida Viggiani. A pesquisa qualitativa olhada para além dos seus procedimentos. In: BICUDO, Maria Aparecida Viggiani. (Org.). Pesquisa qualitativa: segundo a visão fenomenológica. São Paulo: Cortez, 2011. p. 11-28.

BOURDIEU, Pierre; SAINT-MARTIN, Monique de. As categorias do juízo professoral. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio (Org.). Escritos de educação. Tradução: Vera S. V. Falsetti e José Carlos Garcia Durand. 16. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015. p. 205-241.

BREVES, Núbia do Socorro Pinto; ROCHA, Santana Elvira Amaral; MONTECONRADO, Glenda Martins. Sistema de avaliação de desempenho educacional - SADEM: experiência na rede pública municipal de ensino de Manaus. In: EDUCERE, Congresso Nacional de Educação, 13, 2017, Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR, 2017. p. 16215-16231. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/26282_13459.pdf. Acesso em: 21 de maio de 2020.

CABRAL, Leonor Scliar. Políticas públicas de alfabetização. Ilha do Desterro, Florianópolis, v. 72, n. 3, p. 271-290, set./dez. 2019.

CAED/UFJF. O SADEAM, Juiz de Fora, ca 2016. Disponível em: http://www.sadeam.caedufjf.net/o-sadeam/. Acesso em: 21 de maio de 2020.

CAMINI, Lucia. A política educacional do PDE e do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação-Periódico científico editado pela ANPAE, v. 26, n. 3, p. 535-550, set./dez. 2010.

COELHO, Maria Inês de Matos. Vinte anos de avaliação da educação básica no Brasil: aprendizans e desafios. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 16, n. 59, p. 229-258, abr./jun. 2008.

COSTA, Lilianny Carvalho de Oliveira. Avaliação educacional e a organização do trabalho escolar: polissemias e desafios de integração!? 2018. 164 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Amazonas, 2018.

DIVISÃO DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO. ADE, Manaus, 2019. Disponível em: https://sites.google.com/semed.manaus.am.gov.br/portaldam/ade?authuser=0. Acesso em: 21 de maio de 2020.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Os circuitos da história e o balanço da educação no Brasil na primeira década do século XXI. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 16, n. 46, p. 235-254, jan./abr. 2011.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUIMARÃES DE CASTRO, Maria Helena. Sistemas de avaliação da educação no Brasil: avanços e novos desafios. São Paulo em Perspectiva/Fundação Seade, São Paulo, v.23, n.1, p. 5-18, jan./jun.2009.

GUSMÃO, Joana Buarque. Significados da noção de qualidade da educação na arena educacional brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 94, n. 236, p. 100-124, jan./abr. 2013.

HENCHEN, Anne Kellyn; BRASIL, Davi do Socorro Barros. Os desafios ambientais das escolas do campo municipais fomentados pelo Instituto Áquila nos resultados das avaliações externas municipais da cidade de Manaus/AM. Revista Eletrônica Pesquisaeduca, v. 9, n. 17, p. 201-211, jan./abr. 2017.

HORTA NETO, João Luiz. Um olhar retrospectivo a avaliação externa no Brasil: das primeiras medições em educação até o SAEB de 2005. Revista Iberoamericana de Educación, v. 42, n. 5, p. 1-13, abr. 2007.

INEP. Relatório SAEB/ANA 2016: panorama do Brasil e dos estados. Brasília : Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2018.

LIMA, Iana Gomes de; GANDIN, Luís Armando. O contexto da consolidação das avaliações em larga escala no cenário brasileiro. Educ. Soc., Campinas, v. 40, p. 1-28, jul. 2019.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e pressupostos. São Paulo: Cortez, 2011.

LUCKESI, Cipriano Carlos. O que é mesmo o ato de avaliar a aprendizagem? Pátio On-line, Porto alegre, ano 3, n. 12, p. 1-7, fev./abr. 2000.

MACHADO, Cristiane. Políticas estaduais de avaliação externa: tendências e implicações. Quaestio, Sorocaba, v. 22, n. 1, p. 205-223, jan./abr. 2020.

NOVAES, Ivan Luiz; FIALHO, Nadia Hage. Descentralização educacional: características e perspectivas. RBPAE, Brasília, v.26, n.3, p. 585-602, set./dez. 2010.

PACHECO, José Augusto. Políticas de avaliação e qualidade da educação. Uma análise crítica no contexto da avaliação externa de escolas, em Portugal. Avaliação, Campinas, Sorocaba, SP, v. 19, n. 2, p. 363-371, jul. 2014.

PERBONI, Fábio. Avaliações externas e em larga escala nas redes de educação básica dos estados brasileiros. 2016. 268 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, 2016.

RODRÍGUEZ, Margarita Victoria. Reformas educacionais e proletarização do trabalho docente. Acta Sci. Human Soc. Sci., Maringá, v. 30, n. 1, p. 45-56, 2008.

SAVIANI, Dermeval. Escola e Democracia. 43. ed. Campinas: Autores Associados, 2018.

SELLAR, Sam. Data infrastructure: a review of expanding accountability systems and large-scale assessments in Education. Discourse: Studies in the Cultural Politics of Education, Illinois, v. 36, n. 5, p. 765-777, 2015.

SEMED-Manaus. ADE, Manaus, ca 2019. Disponível em: https://sites.google.com/semed.manaus.am.gov.br/portaldam/ade?authuser=0. Acesso em: 21 de maio de 2020.

SILVA, Angela Maria Ferreira da; LOPES, Pedro Isaac Ximenes; CASTRO, Alda Maria Duarte Araújo. Avaliação da educação no brasil: a centralidade dos testes em larga escala. HOLOS, Natal, ano 32, v. 7, p. 388-401, nov. 2016.

SILVA, Helaine Aparecida da; SOUZA, Marcus Vinicius Pereira de. Escola pública: de avaliadora a avaliada. Cadernos para o professor, Juiz de Fora, ano XXI, n. 27, p. 9-18, jan./jul. 2014.

SILVA, Isabelle Fiorelli. O sistema nacional de avaliação: características, dispositivos legais e resultados. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 21, n. 47, p. 427-448, set./dez. 2010.

SOUZA, Sandra Zákia Lian de; OLIVEIRA, Romualdo Portela de. Políticas de avaliação da educação e quase mercado no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 24, n. 84, p. 873-895, set. 2003.

TORRES, Carlos Alberto. Teoria Crítica e Sociologia Política da Educação. São Paulo: Cortez, 2011.

WERLE, Flávia Obino Corrêa. Políticas de avaliação em larga escala na educação básica: do controle de resultados à intervenção nos processos de operacionalização do ensino. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 19, n. 73, p. 769-792, out./dez. 2011.

WHYTE, William Foote. Sociedade de esquina: a estrutura social de uma área urbana pobre e degradada. Trad. Maria Lúcia de Oliveira. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

Downloads

Publicado

2023-11-15

Como Citar

Silva, C. F. da, Souza, M. C. de, & Santos, V. S. dos. (2023). AVALIAÇÃO EXTERNA DE LARGA ESCALA EM MANAUS: : de seus sustentáculos aos efeitos sobre as crianças no cotidiano escolar. Cadernos De Pesquisa, 30(1), 317–341. https://doi.org/10.18764/2178-2229v30n1.2023.14

Edição

Seção

Artigos