Sexualidade e gênero: o que a Biologia tem a enunciar?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2229.v27n1p259-289

Palavras-chave:

Sexualidade, Gênero, Currículo, Biologia

Resumo

Este artigo é um recorte de uma pesquisa mais abrangente que articula os campos de estudos de sexualidade, gênero, currículo e os estudos culturais pós-estruturalistas com aporte em teorizações foucaultianas, para analisar os modos pelos quais a Educação Sexual vem sendo abordada no currículo de licenciatura em Biologia na Universidade Federal X. A produção do material empírico envolveu exame de documentos, grupos focais com sete licenciandos/as e/ou recém-licenciados/as e 14 entrevistas semiestruturadas, utilizamos a análise foucaultiana do discurso para problematizar os discursos acerca de sexualidade e gênero que perpassam esse cenário curricular. Desse modo, ao questionarmos ‘o que a biologia tem a enunciar’ sobre sexualidade e gênero, os ditos dos/as (futuros/as) biólogos/as anunciaram confl itualidades e contradições decorrentes de uma multiplicidade de discursos essencialistas, fundacionalistas e universalistas, que instituem binarismos e normatizações acerca dessas dimensões da vida. Entretanto, evidenciamos também um incessante exercício de problematização e desconstrução desses discursos que parecem deixar marcas nesse currículo para além do que a Biologia costumava ‘enunciar’, principalmente ao incitar o reconhecimento de sexualidade e gênero como “constructos socioculturais”.

Palavras-chave: Sexualidade. Gênero. Currículo. Biologia.

Sexuality and gender: what does Biology has to say?

Abstract

This article is a cross-section of a more comprehensive research that articulates the fields of studies of sexuality, gender, curriculum and poststructuralist cultural studies with the contribution of Foucaultian theorizations, to analyze the ways in which Sexual Education has beenapproached in the curriculum of degree in Biology at Federal University X. The production of the empirical material involved the examination of documents, focus groups with seven graduates and recent graduates and 14 semi-structured interviews, using the Foucauldian discourse analysis to problematize speeches about sexuality and gender that permeate this curricular scenario. Thus, by questioning ‘what biology has to say’ about sexuality and gender, the sayings of future biologists have announced conflicts and contradictions stemming from a multitude of essentialist, foundationalist and universalist discourses that institute binarisms and norms about these dimensions of life. However, there is also an incessant exercise of problematization and deconstruction of these discourses that seems to leave marks in this curriculum beyond what Biology used to ‘enunciate’, mainly by inciting the recognition of sexuality and gender as ‘sociocultural constructs’.

Keywords: Sexuality. Gender. Curriculum. Biology.

Sexualidad y género: ¿qué la Biología tiene en enunciar?

Resumen

Este artículo es un recorte de una investigación más amplia que articula los campos de estudios de sexualidad, género, currículo y los estudios culturales post-estructuralistas con aporte en teorizaciones foucaultianas, para analizar los modos por los cuales la Educación Sexual viene siendo abordada en el currículo de la educación sexual en la Universidad Federal X. La producción del material empírico involucró el examen de documentos, grupos focales con siete licenciandos/as y/o recién licenciados/as y 14 entrevistas semiestructuradas, utilizando el análisis foucaultiana del discurso para problematizar los discursos acerca de sexualidad y género que atraviesan ese escenario curricular. De este modo, al cuestionar ‘lo que la biología tiene que enunciar’ sobre sexualidad y género, los dichos de los biólogos/as anunciaron conflictos y contradicciones derivadas de una multiplicidad de discursos esencialistas, fundacionalistas y universalistas, que instituyen binarismos y normatizaciones acerca de esas dimensiones de la vida. Sin embargo, se evidencia también un incesante ejercicio de problematización y deconstrucción de esos discursos que parece dejar huellas en ese currículo más allá de lo que la Biología solía “enunciar”, principalmente al incitar el reconocimiento de sexualidad y género como “constructos socioculturales”.

Palabras clave: Sexualidad. Género. Plan de estudios. Biología.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elaine de Jesus Souza, Universidade Federal do Cariri - UFCA

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul/UFRGS. Mestra em Psicologia
Social pela Universidade Federal de Sergipe (UFS). Graduada em Ciências Biológicas pela UFS. Professora
Adjunta do Instituto de Formação de Educadores (IFE) na Universidade Federal do Cariri (UFCA).
Professora Adjunta do Instituto de Formação de Educadores (IFE) na Universidade Federal do Cariri
(UFCA).

Dagmar Elisabeth Estermann Meyer, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Pós-Doutorado no Departamento de Medicina Preventiva da USP (2005), Doutora (UFRGS - 1999) e
Mestre em Educação (UFRGS - 1991) e Graduada em Enfermagem (PUCSP - 1979). Foi professora,
com dedicação exclusiva, no Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso
(1980 - 1991) e, depois, na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, de
1992 até se aposentar em 2011, à qual permaneceu vinculada como docente colaboradora voluntária até
julho de 2019.

Downloads

Publicado

2020-08-07

Como Citar

SOUZA, Elaine de Jesus; MEYER, Dagmar Elisabeth Estermann.
Sexualidade e gênero: o que a Biologia tem a enunciar?
. Cadernos de Pesquisa, v. 27, n. 1, p. 259–289, 7 Ago 2020 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/14755. Acesso em: 14 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos