“POR FAVOR, AGORA PODEMOS FALAR?” - O OLHAR DAS FAMÍLIAS SOBRE A GESTÃO ESCOLAR E SUA PARTICIPAÇÃO NO ÂMBITO INSTITUCIONAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2229v29n2.2022.31

Palavras-chave:

famílias, gestão escolar, participação democrática

Resumo

No presente artigo, analisamos a percepção das famílias dos educandos de uma Escola Estadual de Minas Gerais sobre o trabalho da equipe gestora, além de instigar uma autoavaliação dos participantes a respeito da participação no âmbito institucional. Trata-se de um estudo de caso, de cunho descritivo, com enfoque quali-quantitativo, sendo aplicados 56 questionários aos familiares, no formato online, com questões abertas e fechadas, utilizando-se a Análise de Conteúdo e a Triangulação dos dados para tratamento dos resultados obtidos. A partir dos dados, constatamos que as famílias buscam uma participação mais contínua na escola, sendo, inclusive, sugerida a criação de canais para comunicação com a equipe gestora. Além disso, notamos que documentos e leis concernentes ao ambiente escolar, no entendimento participativo dos principais atores, privam para essa interação. Porém, na realidade, compreendemos que muitas medidas não são colocadas em prática e que as vozes da comunidade, nesse caso, das famílias, são desconsideradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valdirene Eliane Bailon Souza, Universidade Federal de Viçosa (UFV)

Licenciada em Pedagogia e mestra em Educação pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Doutoranda na linha de pesquisa Famílias, Políticas Públicas e Desenvolvimento Humano e Social pelo programa de Pós-graduação em Economia Doméstica da UFV – Viçosa/MG. Integrante dos grupos de pesquisa “Contextos da infância, adolescência e juventude e suas inter-relações na família e na sociedade”, do PPGED / UFV e do grupo de pesquisa “Políticas Públicas e a formação de profissionais da Educação”(GEPPFOR), do DPE / UFV.  

Rita Márcia Andrade Vaz de Mello, Universidade Federal de Viçosa (UFV)

Doutora em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Pós-Doutora pela Université Paris Descartes (Sorbonne). Professora e pesquisadora do Programa de Pós-graduação em Economia Doméstica e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Coordenadora do grupo de pesquisa Políticas Públicas e a formação de profissionais da Educação (GEPPFOR).

Maria de Lourdes Mattos Barreto, Universidade Federal de Viçosa (UFV)

Possui graduação em Economia Doméstica pela Universidade Federal de Viçosa (1986), mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2001). Atualmente é professora Associada IV da Universidade Federal de Viçosa. Coordenadora do grupo de pesquisa Contextos da infância, adolescência e juventude e suas inter-relações na família e na sociedade.

Referências

ABRUCIO, F. L. A singularidade da gestão educacional. GV Executivo, v. 17, p. 16, 2018. BARBETTA, P. A. Estatística Aplicada às Ciências Sociais. 6 ed. Editora da UFSC, 2011.

BOURDIEU, P. A dominação Masculina. 2 ed. Tradução de Maria Helena Kuhner. Rio de Janeiro:

Bertrand Brasil, 2002.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. C. A Reprodução. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

BRASIL. Resolução da Câmara dos Deputados nº 20, de 1971. Ementa: Dispõe sobre a organização administrativa da Câmara dos Deputados e determina outras providências. Disponível em: <https://www2.camara.leg.br/legin/fed/rescad/1970-1979/resolucaodacamaradosdeputados-20-30-novembro-1971-321275-norma-pl.html>. Acesso em: 17 dez. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. organização administrativa da Câmara dos Deputados e determina outras providências. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.

html>. Acesso em: 17 dez. 2020.

CHAVES, V. L. J.; NOVAIS, V. S. de M. ; GUEDES, G. B . A gestão escolar e formas de provimento

ao cargo de diretor escolar: o Plano de Ações Articuladas em foco. Revista Eletrônica de Educação (São Carlos), v. 12, p. 653-670, 2018.

CRESWELL, J. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DIAS, E.; PINTO, F. C. F. A Educação e a COVID-19. Ensaio (Rio de Janeiro. Online), v. 28, p. 545-

, 2020.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução Joice Elias Costa. 3 ed. Porto Alegre:

Artmed, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz

e Terra, 1997.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro:

Paz e Terra, 1992.

FRIEDAN, B. “O problema sem nome”. In_______. A Mística Feminina. Petrópolis – RJ: Vozes,

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GÜNTHER, H. Pesquisa qualitativa versus pesquisa quantitativa: esta é a questão? Psicologia:

Teoria e Pesquisa (UnB. Impresso), v. 22, p. 201-209, 2006.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de instituições de Ensino Superior. Rio de Janeiro,

LEVIN, J. Estatística para ciências humanas. 9 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. Goiânia. 6 ed. São Paulo. Ed.

Heccus, 2013.

LIMA DA CONCEIÇÃO, A. C. Teorias Feministas: da “questão da mulher” ao enfoque de gênero.

RBSE, v. 8 n. 24, p. 738-757, 2009.

LUCK, H. Liderança em gestão escolar. 9 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

p.

MATTAR, F. N. Pesquisa de marketing: metodologia, planejamento. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MINAYO, M. C. de S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M.C.S.

(Org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 23 ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

SILVA NETO, C. M. da.; BARRETTO, E. S de S. (In)disciplina e violência escolar: um estudo de

caso. Educação e Pesquisa, v. 44, p. 1-18, 2018.

SETTON, M. G. J.; MARTUCCELLI, D. A escola: entre o reconhecimento, o mérito e a excelência.

Educação e Pesquisa (USP. Impresso), v. 1, p. 1-5, 2015.

SOUZA, V. E. B. de. O Programa Nacional Escola de Gestores da Educação Básica na Universidade Federal de Viçosa – MG: impasses e perspectivas na visão do Gestor. Dissertação

(Mestrado) – Universidade Federal de Viçosa, Departamento de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação, 2016.

SZYMANZKI, H. A contribuição de Paulo Freire para o desenvolvimento de práticas psicoeducativas no encontro escola, comunidade, família. Revista e-Curriculum (PUCSP), v. 7, p. 01-17, 2011.

ONU. Organização das Nações Unidas. Um estudo do Fundo de População das Nações Unidas. 2018. Disponível em: <https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2018/10/17/estudo-da-onu-aponta-que-tamanho-das-familias-no-brasil-esta-abaixo-da-media-mundial.ghtml >. Acesso em: 12 nov. 2020.

OLIVEIRA, A. C. P. As relações entre Direção, Liderança e Clima Escolar em escolas municipais do Rio de Janeiro. Tese (Doutorado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro,

Departamento de Educação, 2015.

OLIVEIRA, A. C. P.; PAES DE CARVALHO, C. Gestão escolar, liderança do diretor e resultados

educacionais no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 23, p. 12, 2018.

PARO, V. H. Qualidade do ensino: a contribuição dos pais. 2 ed. São Paulo: Editora Intermeios,

v. 1. 176 p.

TRIVINÕS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1995.

UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. A Comissão

Futuros da Educação da Unesco apela ao planejamento antecipado contra o aumento das

desigualdades após a COVID-19. Paris: Unesco, 16 abr. 2020. Disponível em: <https://pt.unesco.org/news/comissao– futuros– da– educacao– da– unesco– apela– ao– planejamento– antecipado–o– aumento– das>. Acesso em: 11 dez. 2020.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Tradução: Ana Thorell. 4 ed. Porto Alegre:

Bookman, 2010.

ZAGO, N.; CARVALHO, M. P.; TEIXEIRA, R. A. (Orgs). Itinerários de pesquisa: abordagens qualitativas em Sociologia da Educação. 2 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2011.

Downloads

Publicado

2022-07-05

Como Citar

SOUZA, Valdirene Eliane Bailon; MELLO, Rita Márcia Andrade Vaz de; BARRETO, Maria de Lourdes Mattos.
“POR FAVOR, AGORA PODEMOS FALAR?” - O OLHAR DAS FAMÍLIAS SOBRE A GESTÃO ESCOLAR E SUA PARTICIPAÇÃO NO ÂMBITO INSTITUCIONAL
. Cadernos de Pesquisa, v. 29, n. 2, p. 207–227, 5 Jul 2022 Disponível em: http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/16164. Acesso em: 14 jul 2024.