POLÍTICAS E HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: onde estamos, como chegamos e para onde vamos?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2229.v26n4p45-59

Palavras-chave:

Estado de exceção, Contrarreformas educacionais, História da educação profissional

Resumo

O artigo aborda as políticas atuais da educação profissional no Brasil, na perspectiva da totalidade, da historicidade e da contradição, procurando entender as contrarreformas educacionais em seus sentidos e conteúdo, considerando sua relação orgânica com as demais contrarreformas que atingem o núcleo do Estado democrático de direito que se buscou erigir no país especialmente após o fim da ditadura civil-militar. O conceito de “estado de exceção” é utilizado para destacar o enfraquecimento dos direitos garantidos ao menos formalmente na Constituição Federal de 1988. As análises privilegiam o período dos anos de 1990 a 2000, destacando os movimentos de avanços e retrocessos da política de educação básica e profissional, à luz da capacidade de organização e mobilização da sociedade civil nesse período. Visa-se, assim, problematizar virtuosamente a capacidade de resistência dos educadores no atual contexto. Dividindo-se a exposição em três momentos conforme sugere o título – onde estamos, como chegamos e para onde vamos – o texto é finalizado retomando-se a última pergunta, com a expectativa de que seu conteúdo contribua para a elaboração da resposta.

Palavras-chave: Estado de exceção. Contrarreformas educacionais. História da educação profissional.

PROFESSIONAL EDUCATION POLICIES AND HISTORY: where we are, how we arrived and where we are goning?

Abstract

The article focuses the current policies of professional education in Brazil, from the perspective of totality, historicity and contradiction, seeking to understand educational counter-reforms in their meanings and content, considering their organic relationship with other counter-reforms that reach the core of the democratic state of Brazil, buited in the country especially after the end of the civil-military dictatorship. The concept of “state of exception” is used to highlight the weakening of rights guaranteed at least formally in the Federal Constitution of 1988. The analyzes focus on the period from 1990 to 2000, highlighting the movements of advances and setbacks of basic education and professional policies, in the light of civil society's capacity for organization and mobilization during this period. Thus, it aims to virtuously problematize the resilience of educators in the current context. Dividing the exhibition into three moments as the title suggests - where we are, how we arrived and where we are going - the text concludes by resuming the last question, with the expectation that its content will contribute to the elaboration of the answer.

Keywords: State of exception. Educational counter-reforms. Professional education history.

POLITICAS E HISTORIA DE EDUCACIÓN PROFESIONAL: dónde estamos, cómo llegamos y hacia dónde vamos?

Resumen

El artículo aborda las políticas actuales de educación profesional en Brasil, desde la perspectiva de la totalidad, la historicidad y la contradicción, buscando comprender las contrarreformas educativas en su significado y contenido, considerando su relación orgánica con las otras contrarreformas que alcanzan el núcleo del estado democrático de derecho que se buscaba erigir en el país, especialmente después del fin de la dictadura civil-militar. El concepto de "estado de excepción" se utiliza para resaltar el debilitamiento de los derechos garantizados al menos formalmente en la Constitución Federal de 1988. Los análisis favorecen el período de 1990 a 2000, destacando los movimientos de avances y retrocesos de la política de educación básica. y profesional, a la luz de la capacidad de la sociedad civil para organizarse y movilizarse durante este período. Por lo tanto, su objetivo es virtualmente problematizar la resiliencia de los educadores en el contexto actual. Al dividir la exposición en tres momentos, como sugiere el título: dónde estamos, cómo llegamos y hacia dónde vamos, el texto concluye resumiendo la última pregunta, con la expectativa de que su contenido contribuirá a la elaboración de la respuesta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marise Nogueira Ramos, PPFH/UERJ

Possui graduação em Licenciatura em Química pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1990), mestrado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (1995) e doutorado em Educação pela Universidade Federal Fluminense (2001). Pós-doutorado em Etnossociologia do Conhecimento Profissional na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro/Portugal (2012). É Especialista em Ciência, Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde Pública da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio da Fundação Oswaldo Cruz (EPSJV/Fiocruz) e professora associada da Faculdade de Educação da UERJ. Docente credenciada no quadro permanente dos Programas de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH/UERJ) e de Educação Profissional em Saúde (EPSJV/Fiocruz), do qual foi coordenadora no período de 2008 a 2012. Foi Diretora de Ensino Médio do Ministério da Educação (2003-2004), coordenadora do GT Trabalho e Educação da Anped (2008-2010) e representante do mesmo GT no Comitê Científico dessa associação (2011-2012). É uma das coordenadoras do Grupo THESE - Projetos Integrados de Pesquisa em Trabalho, História, Educação e Saúde UFF/UERJ/FIOCRUZ. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Profissional, atuando principalmente nos seguintes temas: educação profissional em saúde, educação profissional integrada ao ensino médio, ensino médio, ensino técnico, reformas educacionais, saberes profissionais. É bolsista de produtividade do CNPq.

Downloads

Publicado

2019-12-20

Como Citar

RAMOS, Marise Nogueira.
POLÍTICAS E HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL: onde estamos, como chegamos e para onde vamos?
. Cadernos de Pesquisa, v. 26, n. 4, p. 45–59, 20 Dez 2019Tradução . . Disponível em: . Acesso em: 21 abr 2024.

Edição

Seção

Artigos