OS DIREITOS DO LEITOR: uma análise a partir da obra como um romance de Daniel Pennac = READER'S RIGHTS: an analysis from the work reads like a novel, by Daniel Pennac

Autores

  • Sofia Frahlich Cavalleiro
  • Natasha Coutinho Revoredo Ribeiro
  • Isabella Henrique Lima Pereira

Palavras-chave:

Daniel Pennac, Direitos do leitor, Leitura

Resumo

A leitura tem o poder de nos conectar às histórias, de nos transportar para outros universos, de ser uma fuga da realidade. Por outro lado, ler um livro por obrigação só tem um efeito, que não poderia ser pior: afastar o leitor do universo literário. Assim, é necessário retirar o caráter opressor e obrigatório da leitura; existem direitos no que se refere ao ato de ler. Tomando como ponto de partida os dez direitos do leitor apresentados por Pennac (1997) em sua obra Como um romance, o presente artigo tem por objetivo explicitar e discutir os dez direitos do leitor propostos pelo autor. A metodologia utilizada foi a realização de uma pesquisa qualitativa de cunho exploratório, na qual utilizamos alguns preceitos da abordagem temática para tratar a obra Como um romance de Daniel Pennac. Durante a análise da obra, buscamos analisar cada capítulo de forma a esclarecer e interpretar cada direito do leitor, visando instruir os leitores e acabar com pré-conceitos atrelados a leitura e ao ato de ler. Em síntese, todos os direitos propostos e discutidos por Pennac, em sua obra Como um Romance (1997), são de extrema importância e relevância para incentivar as práticas e o desenvolvimento do hábito de leitura, assim como garantir que os leitores estejam cientes dos seus direitos.

Palavras-chave: Daniel Pennac. Direitos do leitor. Leitura.

Abstract

Reading has the power to connect us to stories, to transport us to other universes, to be an escape from reality. On the other hand, reading a book as an obligation has only one effect, which could not be worse: to take the reader away from the literary universe. Thus, it is necessary to remove the oppressive and mandatory character from reading; there are rights with regard to the act of reading. Taking as a starting point the ten rights of the reader presented by Pennac (1997) in his work Reads like a novel, this article aims to explain and discuss the ten rights of the reader proposed by the author. The methodology used was to carry out a qualitative research of an exploratory nature, in which we used some precepts of the thematic approach to treat the work Reads like a novel by Daniel Pennac. During the analysis of the work, we seek to analyze each chapter in order to clarify and interpret each right of the reader, aiming at instructing readers and ending prejudices linked to reading and the act of reading. In summary, all the rights proposed and discussed by Pennac, in his work Reads like a novel (1997), are extremely important and relevant to encourage the practices and the development of the reading habit, as well as to ensure that readers are aware of their rights.

Keywords: Daniel Pennac. Reader’s rights. Reading.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sofia Frahlich Cavalleiro

Graduada em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

Natasha Coutinho Revoredo Ribeiro

Graduada em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

Isabella Henrique Lima Pereira

Graduada em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

Referências

BAYARD, Pierre. Como falar dos livros que não lemos? Tradução: Rejane Janowitzer. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007. 207 p.

BRASIL perde 4,6 milhões de leitores em quatro anos, com queda puxada por mais ricos. G1, [s. l.], 11 set. 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2020/09/11/brasil-perde-46-milhoes-de-leitores-em-quatro-anos-com-queda-puxada-por-mais-ricos.ghtml. Acesso em: 1 nov. 2020.

BRISTOL, Brian. Por que amamos ler?: grandes escritores tentam explicar nosso fascínio pela leitura. Tradução: Thereza Christina Rocque da Motta. São Paulo: Novo Conceito, 2008. 104 p.

CHARTIER, Roger. A aventura do livro: do leitor ao navegador: conversas com Jean Lebrun. Tradução: Reginaldo Carmello Corrêa de Moraes. São Paulo: Editora Unesp, 2009. 159 p.

MARIANI, Bethania Sampaio Corrêa. Leitura e condição do leitor. In: YUNES, Eliana (org.). Pensar a leitura: complexidade. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2005. 178 p.

ORSINI, Maria Stella. O uso da literatura para fins terapêuticos: biblioterapia. Comunicações e Artes, São Paulo, n. 11, p. 145-149, 1982.

PENNAC, Daniel. Como um romance. Tradução: Leny Werneck. Rio de Janeiro: Rocco, 1993. 167 p.

RATTON, N. M. L. Biblioterapia. Revista da Escola de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 4, n. 2, p. 198-214, 1975. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/ index.php/article/view /0000002656/0b3da86eac29ee0efde1c066b4026a84/. Acesso em: 16 set. 2018.

SILVA, Ezequiel Theodoro da. O ato de ler: fundamentos psicológicos para uma nova pedagogia da literatura. 6. ed. São Paulo: Cortez, 1992. 104 p.

YUNES, Eliana. Leitura, a complexidade do simples: do mundo à letra e de volta ao mundo. In: YUNES, Eliana. Pensar a leitura: complexidade. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2005. 178 p.

Downloads

Publicado

2020-12-14

Como Citar

CAVALLEIRO, Sofia Frahlich; RIBEIRO, Natasha Coutinho Revoredo; PEREIRA, Isabella Henrique Lima.
OS DIREITOS DO LEITOR: uma análise a partir da obra como um romance de Daniel Pennac = READER’S RIGHTS: an analysis from the work reads like a novel, by Daniel Pennac
. Revista Bibliomar, v. 19, n. 2, p. 166–177, 14 Dez 2020Tradução . . Disponível em: . Acesso em: 19 abr 2024.

Edição

Seção

Artigos