RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS, PRODUÇÕES DOCUMENTAIS E ARQUIVOS PESSOAIS = AFRO-BRAZILIAN RELIGIONS, DOCUMENTARY PRODUCTIONS AND PERSONAL ARCHIVES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2526-6160v21n1.2022.2

Palavras-chave:

arquivos pessoais, Candomblé e Umbanda, cadernos de fundamentos, documento, etnografias

Resumo

Os cadernos de fundamentos são instrumentos essenciais para a memória e conflitam com a tradição oral, que está ligada fortemente à ancestralidade e à resistência às novas tecnologias no âmbito religioso. Pode-se entender esses documentos como arquivos pessoais, que são objetos de estudo da Arquivologia e ainda podem ser tratados como diários, onde possivelmente os membros da umbanda e do candomblé retratam o dia a dia e as atividades nos locais sagrados. O cerne da pesquisa está em analisar bibliografias referentes às religiões afro-brasileiras, a fim de demonstrar a proximidade desses documentos com os requisitos e critérios da Arquivologia, assim como, nesses espaços, os membros e adeptos produzem documentos de grande importância para a memória religiosa.

ABSTRACT

Cadernos de Fundamentos are essential instruments for memory and conflict with oral tradition, which is strongly linked to ancestry and resistance to new technologies in the religious sphere. These documents can be understood as personal archives, which are objects of archival study and can also be treated as diaries, where members of Umbanda and Candomblé possibly portray the daily life and activities in sacred places. The core of the research is to analyze bibliographies referring to Afro-Brazilian religions, in order to demonstrate the proximity of these documents with the requirements and criteria of Archivology, as well as, in these spaces, members and adherents produce documents of great importance for religious memory.

Keywords: personal archives; Candomblé and Umbanda; cadernos de fundamentos; document; ethnographies.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Corteze, Universidade Federal Fluminense

Graduado em Arquivologia pela Universidade Federal Fluminense e graduando em Bilioteconomia e Documentação pela mesma universidade. Membro do grupo “Sociedade, Memória e Poder”.

Carlos Juvêncio, Universidade Federal Fluminense

Doutor (2016) e mestre (2014) pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCINF) da Universidade de Brasília (UnB), possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atualmente é professor do Programa de Pós-Graduação de Ciência da Informação (PPGCI) e do Departamento de Ciência da Informação, ambos da Universidade Federal Fluminense.

Referências

ANDRADE, L. L. de. Da tradição oral à escrita: cultura, resistência e cadernos de fundamentos. Ideias e Inovação - Lato Sensu, v. 3, n. 3, p. 37, 2017. Disponível em: https://periodicos.set.edu.br/ideiaseinovacao/article/view/4368. Acesso em: 22 set. 2021.

ARAÚJO, Leandro. LIMA, Ari. Caderno de fundamentos: arquivos do sagrado e dos segredos. Revista do GT de Literatura Oral e Popular da ANPOLL. BOITATÁ, Londrina, n. 25, jan.-jun. 2018. Disponível em: www.uel.br/revistas/uel/index.php/boitata/article/view/35136/0. Acesso em: 22 set. 2021.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro, 2005. 232 p. (Publicações Técnicas; n. 51).

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Conselho Nacional de Arquivos. Modelo de requisitos para sistemas informatizados de gestão arquivística de documentos: e-ARQ Brasil. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Arquivos pessoais são arquivos. Revista do Arquivo Público Mineiro, p. 27-39, 2009. Disponível em: http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/acervo/rapm_pdf/2009-2-A02.pdf. Acesso em: 22 set. 2021.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Sobre Arquivos Pessoais. Arq. & Adm., Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, jul./dez. 2008.

CAMPOS FILHO, Emanoel. A Importância do intelectual orgânico do candomblé e do estudo de etno-botânica na obra de José Flávio Pessoa de Barros. Dissertação (Mestrado em História) - Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2019.

CASTILLO, Lisa Earl. Entre a oralidade e a escrita: a etnografia nos candomblés da Bahia. Salvador: EDUFBA, 2010.

CUNHA, Murilo Bastos da; CAVALCANTI, Cordélia Robalinho de Oliveira. Dicionário de Biblioteconomia e Arquivologia. Brasília: Briquet de Lemos, 2008.

GONÇALVES. Janice. Lugares de memória, memórias concorrentes e leis memoriais. Revista Memória em Rede, Pelotas, v.7, n.13. 2015.

HAMPATÉ BÂ, Amadou. A Tradição viva. História geral da África. 2. ed. Brasília: UNESCO, 2010.

MOREIRA, Ana Paula Cabral. SILVA, Francisco Thiago. O estudo das religiões afro-brasileiras e seus aspectos no ambiente escolar. Periódico Científico Projeção e Docência, v. 6, n. 1, p. 63-82, 2015.

NASCIMENTO, Alessandra Amaral Soares. Candomblé e Umbanda: Práticas religiosas da identidade negra no Brasil. RBSE, 923 a 944, dez. 2010. Disponível em: http://www.cchla.ufpb.br/grem/AlessandraArt.pdf. Acesso em: 24 set. 2021.

OLIVEIRA, O. L. O léxico da língua de santo: a língua do povo de santo em terreiros de candomblé de Rio Branco, Acre. Rio Branco: Edufac, 2019. Disponível em: http://www2.ufac.br/editora/livros/OLXICO_OCLIO.pdf. Acesso em: 19 set. 2021.

ODÉ KILEUY, VERA DE OXAGUIÃ. O Candomblé bem explicado: nações Bantu, Iorubá e Fon. Rio de Janeiro: Pallas, 2009.

RIO DE JANEIRO. Decreto nº 42.557/2016, de 07 de novembro de 2016. Declara Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial a Umbanda e cria o cadastro dos terreiros de umbanda. Diário Oficial do Rio de Janeiro, 08 nov. 2016. Disponível em: http://www.rio.rj.gov.br/dlstatic/10112/4368015/4176955/40DECRETO42557CadastrodosTerreirosdeUmbanda08112016.pdf. Acesso em: 25 set. 2021.

RODRIGUES, Nina. O animismo fetichista dos negros baianos. Rio de Janeiro: UFRJ/Biblioteca Nacional, 2006.

SILVA, Vagner Gonçalves da. Os Orixás da metrópole. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

Bandeira, F. C. de S., & Juvêncio, C. H. (2022). RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS, PRODUÇÕES DOCUMENTAIS E ARQUIVOS PESSOAIS = AFRO-BRAZILIAN RELIGIONS, DOCUMENTARY PRODUCTIONS AND PERSONAL ARCHIVES. Revista Bibliomar, 21(1), 30–46. https://doi.org/10.18764/2526-6160v21n1.2022.2

Edição

Seção

Artigos