ASPECTOS ESTRUTURAIS DO JARDIM BOTÂNICO DE TERESINA NA INTERFACE COM O TURISMO

Autores

  • Anna Beatriz Silva Castro Ferreira Universidade Estadual do Piauí
  • Antonio Rafael Barbosa de Almeida Universidade Estadual do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.18764/2674-6972v5n11.2023.2

Palavras-chave:

turismo de jardins, atrativo turístico, área verde, Teresina, PI

Resumo

O estudo apresenta uma análise da estrutura do Jardim Botânico de Teresina, ampliando as reflexões para dotá-lo de atratividade, com vistas ao estímulo a uma modalidade de visitação emergente - o turismo de jardins. Destarte, buscou-se analisar situacionalmente as estruturas físicas e as ações em torno da visitação pública do Jardim Botânico de Teresina enquanto lócus para o lazer e o turismo. A investigação se relaciona com os pressupostos da pesquisa qualitativa, por meio da revisão da literatura e do estudo de campo, com o uso das técnicas da observação e da entrevista, esta última realizada com a gestora do referido equipamento. Como resultados, foram identificadas as carências e restrições à visitação e a necessária ação para que o equipamento reestabeleça de modo pleno as atividades inerentes ao uso público, a partir da reconfiguração e requalificação em seus aspectos físicos, bem como o desenvolvimento de ações recreativas e educativas que promovam a maior atratividade, ocupação e envolvimento perante o público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anna Beatriz Silva Castro Ferreira, Universidade Estadual do Piauí

Graduação em Turismo pela Universidade Estadual do Piauí.

Referências

BARRADAS, M. T. T.; NUNES, P. B.; LOPES, L. C. A importância do viveiro de plantas do jardim botânico de Teresina (PI) como instrumento criador de áreas verdes. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, [S. l.], v. 14, n. 5, 2018. Disponível em: https://publicacoes.amigosdanatureza.org.br/index.php/forum_ambiental/article/view/1957. Acesso em: 8 out. 2022.

BOTANIC GARDEN CONSERVATION INTERNATIONAL (BGCI). GardenSearch, 2022. Disponível em: https://tools.bgci.org/garden_search.php. Acesso em: 10 out. 2022.

BUENO, J. L. de C.; COSTA, L. M. S. A. Teresina e os parques públicos urbanos: uma análise a partir dos planos urbanos. Revista Equador (UFPI), Teresina, v. 10, ed. 3, p. 26 - 44, 2021. Disponível em: https://revistas.ufpi.br/index.php/equador/article/view/11814/8086. Acesso em: 10 set. 2022.

CATAHAN, N.; WOODRUFFE-BURTON, H. Strategically Managing Sustainable and Innovative Business Development in Uncertain Times: An Exploratory Study of Botanic Gardens. In: THE 50TH ACADEMY OF MARKETING CONFERENCE, 2017. Freedom through marketing: looking back, going forward, Hull. [S. l.]: Hull University Business School, 2017.

GASTAL, S.; ROCHA, V.; CASTROGIOVANNI, A. C. Jardins botânicos e turismo de jardins: pesquisa de audiência em Porto Alegre e Caxias do Sul, RS. Caderno Virtual de Turismo. Rio de Janeiro, v. 18, n. 1, p. 170-186, abr. 2018. Disponível em: http://www.ivt.coppe.ufrj.br/caderno/index.php/caderno/article/view/1314. Acesso em 01 de set. 2022.

JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO. História. Rio de Janeiro: JBRJ, 2014. Disponível em: https://www.gov.br/jbrj/pt-br/assuntos/299. Acesso em: 15 set. 2022.

KONDRAT, H.; MACIEL, M. Educação ambiental para a escola básica: contribuições para o desenvolvimento da cidadania e da sustentabilidade. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n.55, p. 825-846, dez. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/dz6fZcCbh9Y6bYTLySgyKSv/abstract/?lang=pt#. Acessos em: 8 out. 2022.

KRISHNAN, S.; NOVY, A. The role of botanic gardens in the twenty-first century. CAB Reviews, v. 11, n. 23, p. 1-10, 2016. Disponível em: https://www.cabidigitallibrary.org/doi/10.1079/PAVSNNR201611023. Acesso em: 15 out. 2022.

LAZZARI, G.; GONZATTI, F.; SCOPEL, J. M.; SCUR, L. Trilha ecológica: um recurso pedagógico no ensino da Botânica. Scientia cum Industria, v. 5, n.3. 7. p. 161-167, 2017.

LOBODA, C. R.; DE ÂNGELIS, B. L. D. de. Áreas verdes públicas urbanas: conceitos, usos e funções. Ambiência - Revista do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais, v. 1, n. 1, jan/jun, 2005. Disponível em: https://revistas.unicentro.br/index.php/ambiencia/article/viewFile/157/185. Acesso em: 9 set. 2022.

MACIEL, T. T.; BARBOSA, B. C. Áreas verdes urbanas: história, conceitos e importância ecológica. CES Revista, Juiz de Fora, v. 29, n. 1. p. 30-42, jan./jul. 2015. Disponível em: https://seer.uniacademia.edu.br/index.php/cesRevista/article/view/87. Acesso em: 1 set. 2022.

MATTIUZ, C. Introdução ao Paisagismo. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2017.

MOUNCE, R.; SMITH, P.; BROCKINGTON, S. Ex situ conservation of plant diversity in the world‘s botanic gardens. Nat Plants, [S. l.], v. 3, p. 795-802, 2017. Disponível em: https://www.nature.com/articles/s41477-017-0019-3#citeas. Acesso em: 5 out. 2022.

PAIVA, P. D. de O.; SOUSA, R. de B.; CARCAUD, N. Flores e jardins como contexto e potencial turístico. Ornamental Horticulture, v. 26, n. 1, p. 121-133, 2020. [online], Disponível em: www.scielo.br/j/oh/a/X4ggKStVhgk5jccTKC4kZqd/?format=pdf&lang=en. Acesso: 1 set. 2022.

PANAZZOLO, F. de B. Turismo de massa: um breve resgate histórico e a sua importância no contexto atual. In: SEMINÁRIO DE PESQUISA EM TURISMO DO MERCOSUL, 3., 2005, Caxias do Sul. Anais [...]. Caxias do Sul: Universidade de Caxias do Sul, 2005, p. 1-13. Disponível em: https://www.ucs.br/site/midia/arquivos/gt8-turismo-de-massa.pdf. Acesso em: 18 set. 2022.

PEREIRA, T. S.; COSTA, M. L. M. N. da. Os jardins botânicos brasileiros – desafios e potencialidades. Ciência e Cultura. [on-line], v. 62, n.1, p. 23-25, 2010. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/pdf/cic/v62n1/a10v62n1.pdf. Acesso em: 15 set. 2022.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C de. Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo, RS: Associação Pró-Ensino Superior em Novo Hamburgo - ASPEUR Universidade Feevale, 2013.

ROCHA, Y. T.; CAVALHEIRO, F. Aspectos históricos do Jardim Botânico de São Paulo. Brazilian Journal of Botany [on-line], 2001, v. 24, n. 4. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbb/a/YTrV9ZbX5FyLz6LMPpGxkYR/?lang=pt. Acesso em: 18 set. 2022.

TERESINA. Prefeitura Municipal. DE TERESINA (PMT). Decreto nº 11.396, de 1º de agosto de 2011. Dispõe sobre a criação do Jardim Botânico de Teresina, na forma que especifica. Teresina, 5 ago. 2011.

TERESINA. Prefeitura Municipal. DE TERESINA (PMT). Decreto nº 19.503, de 12 de março de 2020. Altera dispositivo do Decreto nº 11.396, de 01.08.2011, que criou o Jardim Botânico de Teresina, para reavaliá-lo para “Área de Relevante Interesse Ecológico”, na forma da Lei Federal nº 9.985, de 18.07.2000, na forma que especifica. Teresina, 18 mar. 2020.

TERESINA. Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. DE TERESINA (SEMAM). Parques municipais administrados pela SEMAM. Teresina: SEMAM, 2021. (Manifestação Técnica nº 002/2021, de 12 de julho de 2021).

SILVA, S. M. P. A dimensão patrimonial e o potencial turístico dos jardins históricos: o caso de Portugal. Biblio 3W Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales, [on-line], v. 18, n. 1053, 2013. Disponível em: http://www.ub.edu/geocrit/b3w-1053.htm. Acesso em: 20 set. 2022.

SILVA, A. F. da. Potencial turístico das unidades de conservação piauienses: Jardim Botânico de Teresina. In: IVANOV, M. M. M. (org.). Unidades de conservação do estado do Piauí. Teresina: EDUFPI, 2020. p. 327-350. Disponível em: https://www.ufpi.br/arquivos_download/arquivos/edufpi/AF_201210_02_MMM_Livro.pdf. Acesso em: 1 out. 2022.

SMITH, P. P.; HARVEY-BROWN, Y. The economic, social and environmental impacts of botanic gardens. Surrey: Botanic Gardens Conservation International. 2018. Disponível em: https://www.bgci.org/wp/wp-content/uploads/2019/04/BGCI%20Technical%20Review-The%20economic,%20social%20and%20environmental%20impacts%20of%20botanic%20gardens.pdf. Acesso em: 7 out. 2022.

Downloads

Publicado

2023-05-21

Como Citar

FERREIRA, Anna Beatriz Silva Castro; ALMEIDA, Antonio Rafael Barbosa de.
ASPECTOS ESTRUTURAIS DO JARDIM BOTÂNICO DE TERESINA NA INTERFACE COM O TURISMO
. Revista Turismo & Cidades, v. 5, n. 11, 21 Mai 2023 Disponível em: http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/turismoecidades/article/view/20684. Acesso em: 14 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos