O PAPEL DO PLANEJAMENTO URBANO NO DESENVOLVIMENTO DE CURITIBA EM UM DESTINO INTELIGENTE

Autores

  • Mateus José Alves Pinto Universidade Federal do Paraná
  • Marcia Shizue Massukado Nakatani Universidade Federal do Paraná

Resumo

O trabalho tem o objetivo de verificar se Curitiba (Paraná) pode ser considerada uma cidade e/ou um destino turístico inteligente para as organizações de turismo e planejamento urbano que atuam no município. O tema é importante para Curitiba, porque a cidade flerta com os conceitos base relacionados às cidades inteligentes. No âmbito metodológico foram entrevistados nove gestores de entidades das áreas de turismo e planejamento urbano de Curitiba. Com as entrevistas semiestruturadas foi possível identificar o histórico de inovação na cidade, além de ações e projetos relacionados ao turismo e ao planejamento urbano que Curitiba realiza e que estão de acordo com os conceitos de cidades e destinos inteligentes. Os resultados levantados mediante pesquisa identificaram que Curitiba ainda não é considerada uma cidade inteligente para todos os cidadãos e, consequentemente, ainda não pode ser considerada um destino turístico inteligente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mateus José Alves Pinto, Universidade Federal do Paraná

Discente do Programa de Pós-Graduação em Turismo - Mestrado Acadêmico em Turismo da Universidade Federal do Paraná (Bolsista CAPES). Bacharel em Turismo pela Universidade Federal do Paraná.

Marcia Shizue Massukado Nakatani, Universidade Federal do Paraná

Professora do Departamento de Turismo da Universidade Federal do Paraná. Doutora em Administração pela Universidade Federal do Paraná.

Referências

AENOR. Asociación Española de Normalización y Certificación. El papel de las normas en las ciudades inteligentes: relatório. Madrid, 2014. Disponível em: http://twixar.me/zzNK. Acesso em: 26 ago. 2019.

AMBIENS COOPERATIVA. Plano de desenvolvimento integrado do turismo sustentável: resumo executivo. Curitiba, 2013. Disponível em: http://twixar.me/p5NK. Acesso em: 26 ago. 2019.

BASTOS H. Z. L. Análise de desempenho e projeto de uma infraestrutura de cidade inteligente para transporte público de Curitiba. 2015. 89 f. Dissertação (Mestrado em Informática) - Setor de Ciências Exatas, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015. Disponível em: http://twixar.me/jy8K. Acesso em: 26 ago. 2019.

BOES, K.; BUHALIS, D.; INVERSINI, A. Conceptualising smart tourism destination dimensions. In: TUSSYADIAH, I.; INVERSINI, A. Information and communication technologies in tourism 2015. Lugano: Springer International Publishing Switzerland, 2015. p. 391-403. Disponível em: http://twixar.me/6zNK. Acesso em: 26 ago. 2019.

BRASIL. Ministério do Turismo. Caracterização e dimensionamento do turismo internacional no Brasil 2013-2017: relatório. Brasília, DF. 2018. Disponível em: http://twixar.me/FSNK. Acesso em: 26 ago. 2019.

BRASIL. Índice de Competitividade do Turismo Nacional: relatório. Curitiba. Brasília, DF: Ministério do Turismo, SEBRAE e FGV, 2015. Disponível em: <http://twixar.me/wSNK>. Acesso em: 26 ago. 2019.

AGÊNCIA DE CURITIBA. Guia do investidor. Relatório. Curitiba, 2012. Disponível em: http://twixar.me/z5NK. Acesso em: 26 ago. 2019.

DENCKER, A. F. M. Pesquisa em turismo: planejamento, métodos e técnicas. 9. ed. São Paulo: Futura, 2007.

F. FILHO, M. C. ; A. FILHO, E. J. M. Planejamento da pesquisa científica. São Paulo: Atlas, 2013.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5.ed. São Paulo: Atlas. 2010.

GOMES, E. L.; GÂNDARA, J. M.; IVARS-BAIDAL, J. A. É importante ser um destino turístico inteligente? A compreensão dos gestores públicos dos destinos do Estado do Paraná. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, v. 11, n. 3, p. 503-536, 2017. Disponível em: http://twixar.me/n5NK. Acesso em: 26ago. 2019.

LUQUE GIL, A. M.; ZAYAS FERNÁNDEZ, B.; CARO HERRERO, J. L. Los destinos turísticos inteligentes en el marco de la inteligencia territorial: conflictos y oportunidades. Investigaciones Turísticas, v. 10, p. 1-25, 2015. Disponível em: http://twixar.me/T5NK. Acesso em: 26 ago. 2019.

MCLAREN, D.; AGYEMAN, J. Sharing cities: a case for truly smart and sustainable cities. Cambridge: The MIT Press, 2015.

NTU - Associação nacional das empresas de transportes urbanos. Avaliação comparativa das modalidades de transporte público urbano: relatório. Curitiba, 2009. Disponível em: http://twixar.me/PSNK. Acesso em: 26 ago. 2019.

OLIVEIRA D. Curitiba e o mito da cidade modelo. 1.ed. Curitiba: Editora UFPR, 2000.

PARANÁ TURISMO. Paraná turístico 2026: pacto para um destino inteligente. Curitiba, 2016. Disponível em: http://twixar.me/bzNK. Acesso em: 26 ago. 2019.

PINTO, M. J. A. Destinos turísticos inteligentes: o caso de Curitiba/PR (Brasil). Turismo & Sociedade, v. 10, n. 3, p. 1-22, 2017. Disponível em: http://twixar.me/NzNK. Acesso em: 26 ago. 2019.

RUIZ, T. C. D. A dinâmica evolutiva da competitividade do destino turístico Curitiba. 354 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Setor de Ciências da Terra, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2015. Disponível em: http://twixar.me/pSNK. Acesso em: 26 ago. 2019.

SEGITTUR. Informe destinos turísticos inteligentes: construyendo el futuro: relatório. Madrid, 2015. Disponível em: http://twixar.me/wy8K. Acesso em: 26 ago. 2019.

SHARK, A. R. What makes smart cities smart?.In: SHARK, A. R.; TOPOTKOFF, S.; LÉVY, S. Smarter cities for a bright sustainable future: A global perspective. Alexandria: Public Technology Institute, 2014. p. 1-9.

STIMMEL, C. L. Building smart cities: analytics, ICT and design thinking. Boca Raton: Auerbach Publications, 2015.

TRIBE, J.; DANN, G.; JAMAL, T. Paradigms in tourism research: a trialogue. Tourism Recreation Research, v. 40, n. 1, p. 28-47, 2015. Disponível em: http://twixar.me/fXNK. Acesso em: 26 ago. 2019.

VIENNA UNIVERSITY OF TECHNOLOGY. Centre of Regional Science. Smart cities: ranking of European medium-sized cities. Viena, 2007. Relatório. Disponível em: http://twixar.me/jzNK. Acesso em: 26ago. 2019.

XIANG, Z.; TUSSYADIAH, I.; BUHALIS, D. Smart destinations: Foundations, analytics and applications. Journal of Destination Marketing & Management, v. 4, n. 3, p. 143-144, 2015. Disponível em: http://twixar.me/By8K. Acesso em: 26 ago. 2019.

WANG, D.; LI, X.; LI, Y. China's “smart tourism destination” initiative: a taste of the service-dominant logic. Journal of Destination Marketing & Management, v. 2, n. 2, p. 59-61, 2013. Disponível em: http://twixar.me/lXNK. Acesso em: 26 ago. 2019.

ZHU W.; ZHANG L.; LI, N. Challenges, Function Changing of Government and Enterprises in Chinese Smart Tourism. e-Review of Tourism Research, v. 5, p. 1-4, 2014. Disponível em: http://twixar.me/Vy8K. Acesso em: 26 ago. 2019

Downloads

Publicado

2020-02-02

Como Citar

Pinto, M. J. A., & Nakatani, M. S. M. (2020). O PAPEL DO PLANEJAMENTO URBANO NO DESENVOLVIMENTO DE CURITIBA EM UM DESTINO INTELIGENTE. Revista Turismo & Cidades, 1(2), 3–23. Recuperado de http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/turismoecidades/article/view/12157

Edição

Seção

Artigos