A infância em face da racionalidade neoliberal: midiatização e dessimbolização da linguagem em sociedades complexas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2358-4319v17n1.2024.10

Palavras-chave:

neoliberalismo, midiatização, infância

Resumo

Neste artigo de caráter bibliográfico discute-se a interface entre a midiatização e a infância à luz da racionalidade neoliberal, dando especial ênfase aos processos de empobrecimento da linguagem e dessimbolização do imaginário ocorridos no contexto contemporâneo. Em consonância com Dardot e Laval (2016), entende-se o neoliberalismo como uma racionalidade que transborda os limites do mercado e transversaliza as diferentes instituições, fenômenos e relações sociais. Na primeira seção discorre-se sobre o fenômeno da midiatização da infância, buscando identificar de que modo as normas neoliberais fazem-se presentes nesse processo. Na segunda seção, analisa-se a inter-relação existente entre midiatização, o empobrecimento da linguagem e as mutações no imaginário. À guisa de conclusão, aponta-se que as mídias digitais consistem em uma estratégia eficiente de produção da subjetividade neoliberal, na medida que permitem a interiorização de normas de conduta, desenvolvimento de hábitos psíquicos que almejam a satisfação imediata e o apelo ao consumo. Essas mudanças, por sua vez, refletem no empobrecimento do imaginário que, consequentemente, torna-se um empecilho na busca de racionalidades alternativas ao neoliberalismo. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mateus Lorenzon, Universidade de Passo Fundo

Mestre em Ensino pela Univates. Doutorando em Educação pela Universidade de Passo Fundo. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal em Nível Superior (PROSUC/CAPES II).  Integrante dos Grupos de Pesquisa "Educação Científica e Tecnológica (UPF)" e "A Representação do Olhar da Criança sobre a Escola de Educação Infantil" (UNIVATES).

Angelo Vitório Cenci, Universidade de Passo Fundo

Doutorado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (2006) e pós-doutorado pela UNICAMP/SP (2012). Mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1997). Professor da Universidade de Passo Fundo (UPF). Coordena o Núcleo de Pesquisas em Filosofia e Educação (NUPEFE-UPF), o Grupo de Estudos em Ética, Democracia e Educação (GEEDE-UPF).

Referências

ALMEIDA, Maíra Lopes. et al. Intervenção Educativa sobre uso de mídias digitais na primeira infância. Rev. SPAGESP, Ribeirão Preto , v. 23, n. 1, p. 103-116, jun. 2022 . Disponível em:http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-29702022000100009&lng=pt&nrm=iso. acessos em 22 dez. 2022.

ANDREOLI, Vittorino. Homo stupidus stupidus. Milão/Itália: Mondadori Libri S.p.A., 2018.

ANTUNES, Ricardo. O caracol e sua concha. Ensaios sobre a nova morfologia do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2005.

BOLTANSKI, Luc; CHIAPELLO, Ève. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

CASARA, Rubens R. Contra a miséria neoliberal. São Paulo: Autonomia Literária, 2021.

CASARA, Rubens R. Sociedade sem lei: Pós-democracia, personalidade autoritária, idiotização e barbárie. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: Ensaio sobre a sociedade neoliberal. 1 ed. São Paulo: Boitempo, 2016.

DOWBOR, Ladislau. A era do capital improdutivo. A nova arquitetura do poder, sob denominação financeira, sequestro da democracia e destruição do planeta. São Paulo: Autonomia Literária, 2017.

DUFOUR, Dany-Robert. A arte de reduzir as cabeças. Sobre a nova servidão na sociedade ultraliberal. Rio de Janeiro: Companhia Freud, 2008.

DUFOUR, Dany-Robert. O Divino mercado. A revolução cultural liberal. Rio de Janeiro: Companhia Freud, 2005.

FAYE, Jean-Pierre. Introdução à Linguagem Totalitária: teoria e transformação do relato. São Paulo: Perspectiva, 2009.

HAN, Byung-Chul. A expulsão do outro. Sociedade, percepção e comunicação hoje. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2022a.

HAN, Byung-Chul. Capitalismo e impulso de morte: Ensaios e Entrevistas. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2021.

HAN, Byung-Chul. Hiperculturalidade. Cultura e globalização. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2019.

HAN, Byung-Chul. Infocracia. Digitalização e a crise da democracia. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2022b.

HAN, Byung-Chul. Não-coisas: Reviravoltas do mundo da vida. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2022c.

HAN, Byung-Chul. No enxame: Perspectivas do digital. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2018.

HAN, Byung-Chul. Psicopolítica - O neoliberalismo e as novas técnicas de poder. 7 ed. Belo Horizonte, MG: Editora yiné, 2020.

HAN, Byung-Chul. Sociedade da transparência. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2017.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do Cansaço. Petrópolis, RJ: Editora Vozes, 2017b.

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa: O neoliberalismo em ataque ao ensino público. São Paulo: Boitempo, 2019.

LEBRUN, Jean-Pierre. A perversão comum: Viver juntos sem outro. Rio de Janeiro: Campo Matêmico, 2008.

MALLMANN, Manoela. Y.; FRIZZO, Giana. B. O uso das novas tecnologias em famílias com bebês.: um mal necessário? Revista Cocar. Edição Especial. nº 7. Set/Dez. 2019. p. 26-46.

MELMAN, Charles. O homem sem gravidade. Gozar a qualquer preço. Rio de Janeiro: Companhia Freud, 2008.

NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E COORDENAÇÃO DO PONTO BR. Relatório da Pesquisa sobre o uso da Internet por crianças e adolescentes no Brasil. TIC Kids Online Brasil - 2021. Disponível em http://cetic.br/pt/arquivos/kidsonline/2021/criancas. Acesso 20 de dezembro de 2022.

O’NEIL, Cathy. Algoritmos de destruição em massa: Como o Big Data aumenta a desigualdade e ameaça a democracia. Santo André, SP: Rua do Sabão, 2020.

ORWELL, George. 1984. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

PETRY, Cleriston.; CENCI, Ângelo. V. Comum: por um princípio pedagógico. Educação Unisinos. v. 23. n. 3. Jul/Set. 2019. p. 439-454.

POSTMAN, Neil. Divertirse hasta morir: El discurso público en la era del show business. 2 ed. Barcelona/Espanha: Ediciones de la Tempestad, 2001.

SADIN, Eric. Entrevista O Tecnoliberalismo lança-se à conquista integral da vida. Instituto Humanitas Unisinos. Junho de 2017. Disponível em: https://www.ihu.unisinos.br/78-noticias/568991-o-tecnoliberalismo-lanca-se-a-conquista-integral-da-vida-entrevista-com-eric-sadin Acesso: 19 de dezembro de 2022.

SADIN, Eric. La siliconizacion del mundo. La irresistible expansión del liberalismo digital. Buenos Aires/Argentina: Caja Negra, 2018.

SENNETT, Richard. A corrosão do caráter: consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. São Paulo: Editora Record, 2019.

SOBRAL, Jacqueline. “Não tem como não dar”: crianças pequenas, tecnologias móveis e estratégias de mediação familiar. Revista Cocar. Edição Especial. nº 7. Set/Dez. 2019. p. 153-167.

Downloads

Publicado

2024-03-31

Como Citar

LORENZON, Mateus; CENCI, Angelo Vitório.
A infância em face da racionalidade neoliberal: midiatização e dessimbolização da linguagem em sociedades complexas
. Revista Educação e Emancipação, v. 17, n. 1, p. 187–205, 31 Mar 2024 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/21877. Acesso em: 24 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos