OS IMPACTOS ECONÔMICOS DA COVID-19 NO SETOR DE TURISMO DO MARANHÃO

Autores

  • Julia Cristina Lucas Leite UFMA
  • Saulo Ribeiro dos Santos UFMA
  • Angela Roberta Lucas Leite UFMA

Resumo

Objetiva-se apresentar os resultados e conclusões da pesquisa sobre os impactos econômicos da COVID-19 no setor de Turismo no estado do Maranhão. Na pesquisa de cunho exploratório e de abordagem quantitativa, utilizou-se do levantamento bibliográfico e aplicação de questionários via Googleforms com empreendimentos turísticos localizados em diversos municípios que compõem algum dos polos turísticos do estado do Maranhão. Nos resultados, destacou-se que as empresas entrevistadas possuem similaridades quanto ao perfil sendo a maioria localizada nos polos turísticos indutores do Maranhão, de serviços relacionados a alojamento e agenciamento, com tempo de existência entre 1 a 3 anos. Além disso, a pandemia não causou forte impacto econômico e social durante o período de realização da pesquisa, nem os preços dos produtos/serviços não sofreram alteração. Conclui-se que as empresas demonstraram preocupação devido a possível redução de mais de 75% do faturamento anual e as demissões para os próximos meses, com estimativa de mais de 52% desempregos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENI, Mário Carlos. Análise estrutural do turismo. 7.ed. São Paulo: SENAC, 2002.

BORELLI, Elizabeth. Economia do turismo: São Paulo como capital do turismo de negócios. São Paulo: PUC, 2010.

BRASIL. Ministério da Economia. Foram destinados serão R$ 88,2 bilhões em recursos para estados e municípios, dos quais R$ 8 bilhões serão distribuídos para ações emergenciais de saúde nos próximos quatro meses, entre outras medidas. Brasília, DF: ME, 2020. Disponível em: https://www.gov.br/economia/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/boletins/covid-19/timeline/marco/23-de-marco-de-2020. Acesso em: 6 ago. 2020.

BRASIL. Ministério do Turismo. Boletim de Estatísticas Turísticas - 1º Trimestre de 2020. Brasília, DF: MTur, 2020. Disponível em: http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/boletins.html. Acesso em: 6 ago. 2020.

BRASIL. Ministério do Turismo. Cadastur. Brasília, DF: MTur, 2015. Disponível em: www.cadastur.turismo.gov.br. Acesso em: 6 ago. 2020.

CASIMIRO FILHO, Francisco; GUILHOTO, Joaquim José Martins. Matriz de insumo-produto para a economia turística brasileira: construção e análise das relações intersetoriais. 2003. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/AnaliseEconomica/article/view/10743. Acesso em: 7 ago. 2020.

CASTILHA, Eduardo Dalcin. O turismo como propulsor do desenvolvimento regional: o caso de Foz do Iguaçu-PR. Revista Orbis Latina, v.7, n. 1, 2017.

COOPER, C.; FLETCHER, J.; WANHILL, S.; GILBERT, D.; SHEPHERD, R. Turismo: princípios e práticas. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

DENCKER, Ada de Freitas M. Métodos e técnicas de pesquisa em turismo. São Paulo: Futura, 1998.

DUARTE, V. V. Administração de sistemas hoteleiros: conceitos básicos. São Paulo: SENAC, 1996.

FGV. 2º edição: impactos econômicos da COVID-19: propostas para o turismo-julho 2020. Rio de Janeiro: FGV, 2020. Disponível em: https://fgvprojetos.fgv.br/artigos/2a-edição-impactos-economicos-da-covid-19-proposta-para- turismo-junho-2020. Acesso em: 6 ago 2020.

G1 MA. Governo confirma o primeiro caso do novo coronavírus no Maranhão. São Luís: G1Globo-MA, 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2020/03/20/governo-confirma-o-primeiro-caso-do-novo-coronavirus-no-maranhao.ghtml. Acesso em: 6 ago. 2020.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

GULLO, Maria Carolina R. A economia na pandemia covid-19: algumas considerações. Rosa dos Ventos – Turismo e Hospitalidade, v. 12, n. 3, p. 1-8, 2020. Especial COVID-19.

IBGE. Com queda de 50% no faturamento em junho, setor de turismo aguarda crédito do Fungetur, ainda pouco acessível. Rio de Janeiro: IBGE, 2020. Disponível em: https://www.fecomercio.com.br/noticia/com-queda-de-50-no-faturamento-em-junho-setor-de-turismo-aguarda-credito-do-fungetur-ainda-pouco-acessivel. Acesso em: 26 ago. 2020.

IBGE. Economia do turismo: análise das atividades características do turismo 2003. Rio de Janeiro: IBGE, Coordenação de Contas Nacionais, 2006. Disponível em: http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/images/pdf/outros_estudos/economia_do_turismo/economia_turismo___dados_de_2003.pdf. Acesso em: 6 ago. 2020.

LAGE, Beatriz Helena Gelas; MILONE, Paulo Cesar. Economia do turismo. 7. ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas, 2001.

LIMA, Fernanda Cristina da Silva; SANTOS, Saulo Ribeiro dos; RIBEIRO, Ruan Tavares. Hospitalidade e Gestão Hoteleira Familiar: percepção de colaboradores em empreendimento de pequeno porte. Revista Iberoamericana de Turismo- RITUR, v. 8, n. 1, p.206-220, abr. 2018.

MARANHÃO. Polos turísticos. São Luís, 2020. Disponível em: http://www.turismo.ma.gov.br/polos-turisticos-2/. Acesso em: 1 ago. 2020.

MECCA, Marlei Salete; GEDOZ, Maria Gorete do Amaral. Covid-19: reflexos no turismo. Rosa dos Ventos Turismo e Hospitalidade, Rosa dos Ventos – Turismo e Hospitalidade, v. 12, n. 3, p. 1-5, 2020. Especial COVID-19.

SANTOS, Glauber Eduardo de Oliveira; KADOTA, Décio K. Economia do turismo. São Paulo: Aleph, 2012.

SEBRAE. Confira as diferenças entre micro empresa, pequena empresa e MEI, em 15 de julho de 2020. Brasília, DF: SEBRAE, 2020. Disponível em: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/entenda-as-diferencas-entre-microempresa-pequena-empresa-e-mei,03f5438af1c92410VgnVCM100000b272010aRCRD. Acesso em: 6 ago. 2020.

SEBRAE. Panorama das agências de viagens e operadores turísticos no Brasil. Brasília, DF: SEBRAE, 2017.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

LEITE, Julia Cristina Lucas; SANTOS, Saulo Ribeiro dos; LEITE, Angela Roberta Lucas.
OS IMPACTOS ECONÔMICOS DA COVID-19 NO SETOR DE TURISMO DO MARANHÃO
. Revista Turismo & Cidades, v. 2, p. 104–122, 1 Out 2020 Disponível em: http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/turismoecidades/article/view/15182. Acesso em: 22 jul 2024.

Edição

Seção

Edição especial