Educação Musical em Adorno: um grito fetichizado do inconsciente

Autores

  • Alan Barcelos Ribeiro Conservatório Estadual de Música Juscelino Kubistchek de Oliveira, Pouso Alegre – MG.

DOI:

https://doi.org/10.18764/2358-4319.v10n2p261-277

Palavras-chave:

Educação Musical. Fetichismo. Adorno.

Resumo

O presente artigo tem por objetivo demonstrar o caráter fetichizante da música a partir de sua apropriação pelo sistema capitalista, conforme evidenciado pelo filósofo alemão Theodor W. Adorno. Considerações relevantes para compor o âmbito de argumentações em torno da educação musical em que a música é considerada uma fonte de conhecimento capaz de contribuir para a formação do tão almejado homem emancipado. Nesta perspectiva, a educação musical não pode ser pensada e nem desenvolvida a partir do conhecimento vulgar, ao contrário, deve ser pensada a partir de sua relevância social, política e subsidiar o processo de formação do homem crítico e reflexivo. Esta é a proposta impulsionada por Adorno no texto O fetichismo na música e a regressão da audição, que por hora subsidia o palco de reflexões deste artigo.

Palavras-chave: Educação Musical. Fetichismo. Adorno.

Music Education in Theodor Adorno: a fetish cry of the unconscious

ABSTRACT

The present article aims to demonstrate the fetishizing character of music from its appropriation by the capitalist system, as evidenced by the German philosopher Theodor W. Adorno. Relevant considerations to compose the scope of arguments about music education in which music is considered a source of knowledge capable of contributing to the formation of the longed for emancipated man. In this perspective, musical education cannot be thought and not even developed from vulgar knowledge, rather, it must be thought from its social, political relevance and subsidize the process of formation of the critical and reflective man. This is the proposal propelled by Adorno in the text Fetishism in music and the regression of hearing, which per hour subsidizes the stage of reflections of this article.

Keywords: Music Education. Fetishism.Adorno.

Educación Musical en Adorno: un grito fetichizado del inconsciente

RESUMEN

El presente artículo tiene por objetivo demostrar el carácter fetichizante de la música a partir de su apropiación por el sistema capitalista, tal como lo evidenció el filósofo alemán Theodor W. Adorno. Consideraciones relevantes para componer el ámbito de argumentaciones en torno a la educación musical en que la música es considerada una fuente de conocimiento capaz de contribuir a la formación del tan deseado hombre emancipado. En esta perspectiva, la educación musical no puede ser pensada y ni desarrollada a partir del conocimiento vulgar, al contrario, debe ser pensada a partir de su relevancia social, política y subsidiar el proceso de formación del hombre crítico y reflexivo. Esta es la propuesta impulsada por Adorno en el texto El fetichismo en la música y la regresión de la audición, que por hora subsidia el escenario de reflexiones de este artículo.

Palabras clave: Educación Musical. Fetichismo. Adorno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alan Barcelos Ribeiro, Conservatório Estadual de Música Juscelino Kubistchek de Oliveira, Pouso Alegre – MG.

Mestre em Educação pela UFLA. Licenciado em Música com habilitação em violino pela UNICOR.Especialista em Ensino de Filosofia pela FACAPA.E-mail: alan.piano@bol.com.br

Downloads

Publicado

2017-08-01

Como Citar

Ribeiro, A. B. (2017). Educação Musical em Adorno: um grito fetichizado do inconsciente. Revista Educação E Emancipação, p.261–277. https://doi.org/10.18764/2358-4319.v10n2p261-277

Edição

Seção

Artigos