REFLEXÕES SOBRE A ARQUIVOLOGIA BRASILEIRA E SUA VERTENTE SOCIAL NA CONTEMPORANEIDADE = REFLECTIONS ON BRAZILIAN ARCHIVOLOGY AND ITS SOCIAL SITUATION IN CONTEMPORARITY

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2526-6160v21n1.2022.5

Palavras-chave:

Arquivologia, memória, função social

Resumo

O artigo tem como objetivo discutir criticamente o cenário atual da Arquivologia brasileira, visando perceber como a área está se afastando da sua vertente social e cultural para atender prioritariamente às demandas primárias da administração. Outrossim, pretende-se ainda, problematizar o papel do Estado na consolidação do esquecimento nos arquivos brasileiros. Para atingir tal finalidade, o procedimento metodológico foi a análise bibliográfica e documental. Conclui-se que é urgente a necessidade de ampliar o conhecimento do arquivista em direção a conceber a função social de sua profissão para que os arquivos apresentem documentos que possam ser relevantes para a preservação da memória coletiva.

 ABSTRACT

The article aims to critically discuss the current scenario of Brazilian Archival Science, aiming to understand how the area is moving away from its social and cultural aspect to primarily meet the primary demands of the administration. Furthermore, it is also intended to discuss the role of the State in the consolidation of oblivion in Brazilian archives. To achieve this purpose, the methodological procedure was bibliographic and documental analysis. It is concluded that there is an urgent need to expand the knowledge of the archivist towards conceiving the social function of his profession so that the archives present documents that may be relevant for the preservation of the collective memory.

 Keywords: Archival science; memory; social role.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danielle Alves de Oliveira, Universidade Federal da Paraíba

Doutoranda em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Arquivista pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Atualmente, é professora do Departamento de Ciência da Informação da UFPB.

Diego Andres Salcedo, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor em Comunicação. Professor no DCI da UFPE. Coordenador do Grupo de Pesquisa METIC.

Referências

ALBUQUERQUE, M. E. B. C. de; OLIVEIRA, B. M. J. F. de; GAUDÊNCIO, S. M. Memória de poetas populares na internet: uso da plataforma Wordpress na preservação e acesso a artefatos poéticos da literatura de cordel brasileira. LIINC em Revista. v. 11, n. 11, p. 233-254., 2015. Disponível em: https://bit.ly/3sKVL0l. Acesso em: 12 nov. 2021.

ARAÚJO, C. A. Á. Correntes teóricas da Arquivologia. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianópolis, v. 18, n. 37, p. 61-82, mai./ago., 2013.

ARQUIVO NACIONAL. (Brasil). Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro, 2005.

ASSMANN, A. Espaços da recordação: formas e transformações da memória cultural. Campinas [SP]: Unicamp, 2011.

BELLOTTO, H. L. Arquivo: estudos e reflexões. Belo Horizonte [MG]: UFMG, 2017.

BOURDIEU, P. Esboço de uma teoria da prática. In: ORTIZ, R. (Org.). Pierre Bourdieu: sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

FONSECA, M. O. Arquivologia e Ciência da Informação. Rio de Janeiro: FGV, 2011.

HOTTIN, C. L’archivistique est-elle une science? Réactions aux journées d’études organisées par l’École des chartes et l’Association des archivists français à la Sorbonne (salle Louis-Liard) les 30 et 31 janvier 2003. Labyrinthe, n.16, p.99-105, 2003.

IANNI, O. A sociologia e o mundo moderno. Tempo Social; Rev. Sociológica. USP: São Paulo. n. 1., 1989.

JARDIM, J. M.; FONSECA, M. O. Arquivos. In: Formas e expressões do conhecimento. Belo Horizonte [MG]: Escola de Biblioteconomia, 1998.

JARDIM, J. M. A invenção da memória nos arquivos públicos. Ciência da Informação, Brasília, v.25, n.12, p.1-13, 1995.

KOBASHI, N. Y.; AMARAL, C. Organização da Informação nos Arquivos: Indexação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 18., 2017, Marília. Anais... Marília, UNESP, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3Jxzo4i. Acesso: 22 out. 2020.

LISBOA, Pablo Fabião. Memória e arquivos digitais: outras maneiras de lembrar e esquecer. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE MEMÓRIA E PATRIMÔNIO, 5, 2011, Pelotas. Anais...Pelotas [PR]: UFPel, 2011. p. 864-874

RASTAS, P. Manuals and textbooks of Archives Administration and Records Management: RAMP Study. UNESCO: Paris, 1992.

RICOEUR, P. A Memória, a história, o esquecimento. Campinas [SP]: UNICAMP, 2007.

ROUSSEAU, J.-Y.; COUTURE, C. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa: Dom Quixote, 1994.

SALCEDO, D. A. Lacunas na Arquivologia contemporânea: uma perspectiva da Filatelia. Arquivística.net, Rio de Janeiro, v.2, n.1, p.104-113, jan./jun., 2006. Disponível em: https://bit.ly/3mNRHbR. Acesso: 22 out. 2020

SANTOS, P. R. E. dos. Arquivística no laboratório: história, teoria e métodos de uma disciplina. Rio de Janeiro: Teatral, 2010.

SCHELLENBERG, T. R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Tradução Nilza Teixeira Soares. 6. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

THIESEN, I. Memória institucional. João Pessoa [PB]: UFPB, 2013.

TRACE, C. Dentro ou fora do documento: noções de valor arquivístico. In: EASTWOOD, T.; MACNEIL, H. Correntes atuais do pensamento Arquivístico. Belo Horizonte [MG]: UFMG, 2016.

Downloads

Publicado

2022-06-30

Como Citar

Oliveira, D. A. de, & Salcedo, D. A. (2022). REFLEXÕES SOBRE A ARQUIVOLOGIA BRASILEIRA E SUA VERTENTE SOCIAL NA CONTEMPORANEIDADE = REFLECTIONS ON BRAZILIAN ARCHIVOLOGY AND ITS SOCIAL SITUATION IN CONTEMPORARITY. Revista Bibliomar, 21(1), 77–87. https://doi.org/10.18764/2526-6160v21n1.2022.5

Edição

Seção

Artigos