REFERENCIAÇÃO COMO MECANISMO DE COESÃO: ANÁLISES DE POSTAGENS DE PARLAMENTARES MARANHENSES NO TWITTER

Autores

  • José Antônio Vieira Universidade Estadual do Maranhão
  • Anaildo Pereira da Silva PPGLB/UFMA

Palavras-chave:

Linguística Textual, Referenciação, Twitter

Resumo

O Twitter é um site de rede social utilizado por sujeitos das mais diversas camadas sociais no mundo. Por se tratarem de produções textuais em um meio midiático, as publicações realizadas nessa rede desenvolvem sentidos conforme os recursos linguísticos selecionados na escrita. No que diz respeito a essas produções, as que selecionamos foram realizadas por parlamentares maranhenses. Em relação a elas, perguntamos: como os mecanismos de referenciação auxiliam na coesão textual das/nas postagens? Assim, o presente artigo tem por objetivo analisar os mecanismos de referenciação utilizados para dar coesão textual aos tweets postados pelos referidos sujeitos no referido site. Para compreender o objeto, recorremos aos estudos de Bentes (2001) sobre a conceituação e constituição de texto; recorremos também aos estudos de Koch (2004), Fávero (2005) e Cavalcante (2011) para mobilizar o conceito de referenciação, que se constitui na relação que o leitor faz entre um signo e um objeto. Os procedimentos metodológicos utilizados foram os seguintes: a seleção dos textos coletados no site de rede social; a descrição; e  a análise destes, fundamentando, esses procedimentos, na literatura pertinente que descreve o método quantitativo-qualitativo. Por fim, foi possível perceber que os mecanismos de referenciação lexicais e gramaticais (hipônimo e hiperônimo) são os mais recorrentes, e que interferem na construção do sentido da produção textual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Antônio Vieira, Universidade Estadual do Maranhão

Professor Adjunto do Curso de Letras da Universidade Estadual do Maranhão, Centro de Estudos Superiores de Pedreiras, CESPE-UEMA.
Professor do Programa de Pós-Graduação Stricto-Sensu em Letras - Mestrado - PPGL, Universidade Federal do Maranhão -UFMA, Campus Universitáriode Bacabal

Anaildo Pereira da Silva, PPGLB/UFMA

Mentrando em Letras

Referências

AMOSSY, R. Argumentação no discurso. Tradução: Angela M. S. Corrêia [et al.] 3. ed. São Paulo: Contexto, 2018.

BEAUGRANDE, R.; DRESSLER, W. Introduction to Text Linguistics. London: Longman. 1981.

BENTES, A. C. Linguística Textual. In: BENTES, A.; MUSSALIM, F. (org.) Introdução à Linguística: domínios e fronteiras. São Paulo: Cortez, 2005. p. 259-301.

BENTES, A.C.; REZENDE, R. C. Texto: conceitos, questões e fronteiras [con]textuais. In: SIGNORINI, I. (org.). [Re]discutir texto, gênero e discurso. São Paulo: Parábola, 2008. p.18-46.

CAVALCANTE, M. M. Referenciação: sobre coisas ditas e não ditas. Fortaleza: UFC, 2011. Parte 13-50.

ELIAS, V. M. Linguística Textual e Ensino. In: KOCH, I. G. V. Linguística textual: interfaces e delimitações. São Paulo: Cortez, 2017. p. 456-475.

FÁVERO, L. L. Coesão e coerência textuais. São Paulo: Ática, 2005.

KOCH, I. G. V. A coesão textual. 19. ed. São Paulo: Contexto, 2004.

KOCH, I. G. V. Desvendando os segredos do texto. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2003.

KOCH, I. G. V. O texto e a construção dos sentidos. São Paulo: Contexto, 1997.

MARCUSCHI, L. A. Anáfora Indireta: o barco textual e suas âncoras. Revista Letras, Curitiba, n. 56, p. 217-258, jul./dez., 2001.

Downloads

Publicado

2021-01-26

Como Citar

VIEIRA, José Antônio; DA SILVA, Anaildo Pereira.
REFERENCIAÇÃO COMO MECANISMO DE COESÃO: ANÁLISES DE POSTAGENS DE PARLAMENTARES MARANHENSES NO TWITTER
. Afluente: Revista de Letras e Linguística, v. 6, n. 17, p. 196–221, 26 Jan 2021 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/afluente/article/view/15675. Acesso em: 15 jun 2024.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos