A CONSTRUÇÃO DO VALOR ASPECTUAL NA MARCA SEMPRE SOB O ENFOQUE DA TEORIA DAS OPERAÇÕES PREDICATIVAS E ENUNCIATIVAS

Autores

Palavras-chave:

Linguística, Língua Portuguesa, Sempre, Valores aspecto-temporais, TOPE.

Resumo

É forte a tradição dos estudos gramaticais que, ao abordar a marca sempre, classifica esse elemento como advérbio de tempo que expressa, normalmente, um valor genérico, no sentido de em todo o tempo, e não trata do valor aspectual. Se assim for classificado, o que se pode dizer sobre os casos em que essa marca exprime a ideia de frequência ou afirmação, por exemplo? Diante dessa realidade, passou-se a refletir acerca de duas questões: qual a abordagem das gramáticas sobre a marca sempre? Qual a contribuição da marca sempre no processo de construção dos valores referenciais? Para responder a essas questões, propõe-se a investigar o modo como as gramáticas concebem o elemento em estudo e analisar o funcionamento aspectual da marca sempre em enunciados do português, fundamentando-se nos pressupostos da Teoria das Operações Predicativas e Enunciativas (TOPE). Para isso, investiga-se como sempre é tratado em sete gramáticas da Língua Portuguesa e, em seguida, analisa-se vinte enunciados, coletados do Corpus do Português e do Google. Os resultados obtidos evidenciaram que a marca sempre pode indicar diferentes instantes temporais, caráter permanente ou não permanente de uma propriedade atribuída, agir como qualificador, entre outros valores, tendo em vista que esses valores dependem da relação de localização que sempre estabelece com as demais unidades do enunciado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alcenir de Sousa Luz, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Mestranda em Letras/Linguística pela Universidade Federal do Piauí - UFPI, campus de Teresina - PI.

Maria Auxiliadora Ferreira Lima, Universidade Federal do Piauí - UFPI

Doutora em Linguística pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP; Professora da Universidade Federal do Piauí – UFPI, campus de Teresina-PI.

Referências

AZEREDO, J. C. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2013.

BAZERMAN, C. Gêneros textuais, tipificação e interação. DIONÍSIO, Â. P.; HOFFNAGEL, J. C. (Orgs.); Tradução e adaptação de HOFFNAGEL, J. C. São Paulo: Cortez, 2005.

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37 ed. rev., ampl. e atual. conforme o novo Acordo Ortográfico. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BENVENISTE, É. Problemas de linguística geral II. Tradução de Eduardo Guimarães. et al. 2ª edição. Campinas, SP: Pontes Editores, 2006.

CAMPOS, M. H. C. Tempo, Aspecto e Modalidade: Estudos de Linguística Portuguesa. Portugal: Porto Editora, 1997.

CASTILHO, A. T. Introdução ao estudo do aspecto verbal na língua portuguesa. Marília, 1968.

CORÔA, M. L. M. S. O tempo nos verbos do português: uma introdução à sua interpretação semântica. São Paulo: Parábola, 2005.

CORPUS DO PORTUGUÊS. Disponível em: <https://www.corpusdoportugues.org/xp.asp?c=3>. Acesso em: 15 jun. 2020.

CULIOLI, A. Pour une linguistique de l’énonciation: Opérations et représentations – Tome 1. Paris: Éditions Ophrys, 1990.

GIACOMOZZI, G.; VALÉRIO, G.; REDA, C. M. Descobrindo a gramática: volume único. 1. ed. São Paulo: FTD, 2016.

LE QUERLER, N. Typologie des modalités. Presses Universitaires de Caen, 1996.

LIMA, R. Gramática normativa da língua portuguesa. 49. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2011.

NEVES, M. H. de M. Gramática de usos do português. 2ª ed. atualizada conforme o novo acordo ortográfico da língua portuguesa. São Paulo: editora Unesp, 2011.

PERINI, M. A. Gramática descritiva do português. 4. ed. São Paulo: Ática, 2005.

ROCHA, M. A. F.; LOPES, R. E. V. Adjunção. In: CASTILHO, A. T. Gramática do português culto falado no Brasil. Vol. 3. KATO, M. A.; NASCIMENTO, M. (Org.) Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2009. p. 189-236.

VARGAS, M. V. Verbo e práticas discursivas. São Paulo: Contexto, 2011.

Downloads

Publicado

2021-01-26

Como Citar

LUZ, Alcenir de Sousa; LIMA, Maria Auxiliadora Ferreira.
A CONSTRUÇÃO DO VALOR ASPECTUAL NA MARCA SEMPRE SOB O ENFOQUE DA TEORIA DAS OPERAÇÕES PREDICATIVAS E ENUNCIATIVAS
. Afluente: Revista de Letras e Linguística, v. 6, n. 17, p. 66–89, 26 Jan 2021 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/afluente/article/view/15504. Acesso em: 15 jun 2024.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos