UMA ANÁLISE DAS VARIEDADES LINGUÍSTICAS NOS TEXTOS DE PATATIVA DO ASSARÉ

Autores

  • Paulo Santiago de Sousa UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

Palavras-chave:

Variedades linguísticas, Patativa do Assaré, Poemas.

Resumo

O trabalho tem como objetivo apresentar uma análise dos níveis de variedades linguísticas presentes em cinco poemas de Patativa do Assaré. Foram retirados versos dos poemas em que se pode constatar o fenômeno da variação intralinguística fonético-fonológica, morfológica, sintática, lexical, semântica e estilístico-pragmática. A análise parte do pressuposto de que a diversidade linguística é inerente à língua e utiliza os textos de Patativa com o propósito de averiguar as motivações do poeta ao usar tais níveis de variações na escrita de seus textos. Por ser um poeta do meio rural, com pouca escolaridade, Patativa quis mostrar a língua usada por seus conterrâneos como marca de uma identidade linguística ou sua escrita é marca de uma falta de possibilidade fora do não padrão? Para fomentar a discussão sobre os níveis de variação linguística buscamos os seguintes suportes teóricos: Bagno (2003; 2007), Bortoni-Ricardo (2005), Mollica (2003), Loures (2000), Mattos e Silva (1995). A pesquisa é de cunho bibliográfico e exploratório na medida em que se analisaram os níveis de variedades linguísticas numa amostra de cinco poemas de Patativa do Assaré. Como resultado, apresenta-se uma discussão do questionamento levantado, que pode permitir um diálogo com outros autores, como os de cordel, por exemplo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Santiago de Sousa, UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

Licenciatura em Letras (UFPA); Especialista em Letras (UFPA); Mestrado em Linguagens e Saberes na Amazônia (UFPA); Doutorando em Linguística e Língua Portuguesa (UNESP/Araraquara).

Referências

BAGNO, Marcos. Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística. São Paulo: Parábola Editorial, 2007. p. 40.

BAGNO, Marcos. A norma oculta: língua & poder na sociedade brasileira. São Paulo, Parábola Editorial, 2003.

BORTONI – RICARDO, Stella Maris. Nós cheguemu na escola, e agora? : sociolinguística & educação. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

CÂMARA JR., J. Mattoso. Dicionário de Linguística e gramática: referente à língua portuguesa. 13ª ed. Petrópolis: Vozes, 1986.

CARVALHO, Gilmar de. Patativa do Assaré: Um poeta cidadão. 1ª ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

DEBS, Sylvie. Patativa do Assaré uma voz do Nordeste. São Paulo: Hedra, 2000.

LOURES, L.H.R. Análise contrastiva de recursos morfológicos com função expressiva em francês e português. Tese de Doutorado. UFRJ, 2000.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. Variação e mudança no português arcaico: TER ou HAVER em estruturas de posse. In: PEREIRA, C. C.; PEREIRA, P. R. D. (Org.). Miscelânea in memorian de Celso F. da Cunha. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995, p. 288-298.

MOLLICA, Maria Cecília. Fundamentação Teórica: conceituação e delimitação. In: MOLLICA, Maria Cecília. BRAGA, Maria Luíza. (org.) São Paulo: Contexto, 2003.

PAIVA, M. A. & SCHERRE, M. M. P. Retrospectiva sociolinguística: contribuições do PEUL. Linguística. Alfal, 1999. Vol.11, p.203-230.

PATATIVA DO ASSARÉ:

Cante lá que eu canto cá, Filosofia de um trovador nordestino, Editora Vozes, Petrópolis, 1978, p. 355.

REBOUÇAS, Myrlla Muniz. Patativa do Assaré: poesia, canção e consciência. Dissertação de Mestrado. UnB, 2017. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/31530/1/2017_MyrllaMunizRebou%C3%A7as.pdf. Acesso em 10 jan. 2019.

SANDMANN, A. J. Morfologia geral. São Paulo: Contexto, 1989.

https://www.infoescola.com/biografias/patativa-do-assare/. Acesso em 10 jan. 2019.

https://www.ebiografia.com/patativa_assare/. Acesso em 10 jan. 2019.

Downloads

Publicado

2019-12-18

Como Citar

SANTIAGO DE SOUSA, Paulo.
UMA ANÁLISE DAS VARIEDADES LINGUÍSTICAS NOS TEXTOS DE PATATIVA DO ASSARÉ
. Afluente: Revista de Letras e Linguística, v. 4, n. 13, p. 130–146, 18 Dez 2019Tradução . . Disponível em: . Acesso em: 21 abr 2024.

Edição

Seção

Estudos Linguísticos