Representações de casais interraciais na revista Manchete:

o amor não tem cor?

Autores

  • Joana dos Santos Rosário PPGCOM-UFOP
  • Frederico de Mello Brandão Tavares PPGCOM-UFOP

DOI:

https://doi.org/10.18764/2176-5111v19n33.2024.1

Palavras-chave:

Relacionamentos Inter-raciais, Democracia Racial, Representação, Revista Manchete

Resumo

Entender as representações dos relacionamentos afetivos heterossexuais inter-raciais ao longo de quatro décadas na extinta revista Manchete (1952–2007) é a proposta deste artigo, ancorado em uma reflexão sobre os mecanismos de produção e/ou reprodução de sentidos em torno das relações étnico-raciais no Brasil. Busca-se perceber como tais sentidos foram textualmente produzidos pela revista e seu jornalismo. Constata-se que Manchete, a partir de um olhar individualista e superficial diante das experiências dos 7 Cambiassu, v. 19, n. 33 – Jan./Jun. 2024 casais inter-raciais, representa essas uniões afetivas como um valor a ser conquistado e mantido para a efetivação de uma sociedade brasileira pretensamente plural e multirracial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joana dos Santos Rosário, PPGCOM-UFOP

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Ouro Preto (PPGCOM-UFOP) com bolsa da CAPES. É bacharel em Jornalismo pelo Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da mesma universidade. Integra o GIRO - Grupo de Pesquisa em Mídia e Interações Sociais (CNPq/UFOP).

Frederico de Mello Brandão Tavares, PPGCOM-UFOP

Professor da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), onde integra o Núcleo de Docentes Permanentes do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGCOM), além de atuar no curso de Graduação em Jornalismo. É um dos líderes do GIRO - Grupo de Pesquisa em Mídia e Interações Sociais (CNPq/UFOP). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq (PQ-2)

Referências

ALMEIDA, Silvio. Racismo estrutural. São Paulo: Pólen Produção Editorial LTDA,

Assim Manchete propõe um diálogo, que aponta: se eu amo uma pessoa que é tão diferente de mim

(sendo eu, historicamente, superior) logo é inexistente o preconceito racial.

Cambiassu, v. 19, n. 33 – Jan./Jun. 2024

ANDREWS, George R. Democracia racial brasileira 1900-1990: um contraponto

americano. Estudos Avançados, v. 11, p. 95-115, 1997.

BARROS, Zelinda dos S. Casais inter-raciais e suas representações acerca de raça.

Dissertação de Mestrado. PPG em Ciências Sociais. Salvador: UFBA, 2003.

BAPTISTA, T. & CAMPOS, N. Casais PB. Manchete. Rio de Janeiro, ano 1991,

ed.2064, p.70-74. Disponível em: http://memoria.bn.br/docreader/004120/270942

Acesso em 12 Mar. 2022.

BLOCH, Arnaldo. Os irmãos Karamabloch: ascensão e queda de um império familiar.

São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BÔSCOLE. Ronaldo. Amor em Prêto e branco. Manchete, Rio de Janeiro, 04 de agosto

de 1965. Disponível em: http://memoria.bn.br/docreader/004120/45956 Acesso em 12

Mar. 2022.

CARNEIRO, Sueli. Enegrecer o feminismo: a situação da mulher negra na América

Latina a partir de uma perspectiva de gênero. Racismos contemporâneos. Rio de Janeiro:

Takano Editora, v. 49, p. 49-58, 2003.

CAVALCANTE, G. Amor em preto e branco. Manchete, Rio de Janeiro, ano 1971, ed.

, p.68-73. Disponível em: http://memoria.bn.br/docreader/004120/117107 Acesso

em 12 Mar. 2022.

DAVID, Lillian B. Casais Mistos: Retrato em branco e preto. Manchete, Rio de Janeiro,

de dezembro de 1986. Disponível em: http://memoria.bn.br/docreader/004120/242118

Acesso em 12 Mar. 2022.

DIAS, Ana Rita C.; MACHADO, Carla. Amor e violência na intimidade: da essência à

construção social. Psicologia & Sociedade, v. 23, p. 496-505, 2011. Disponível em:

https://www.scielo.br/j/psoc/a/s5Wfsk8tbpnzMNj6fm4pgSt/?lang=pt Acesso em: 02

Abr. 2024.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Salvador: EdUFBA, 2008.

FREYRE, Gilberto. Casa grande e senzala, 2 vols. Rio de Janeiro: Maia e Schmidt Ltda.,

GUIMARÃES, Antônio S. A. Preconceito racial: modos, temas e tempos. São Paulo:

Cortez, 2012.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio. Democracia racial: o ideal, o pacto e o mito. Novos

Estudos, São Paulo, v. 61, n. 1, p. 147-162, nov. 2001. Disponível em:

Cambiassu, v. 19, n. 33 – Jan./Jun. 2024

https://arquivo.ibccrim.org.br/docs/humano_2014/guimaraes.pdf Acesso em: 02 Mai.

HASENBALG, Carlos Alfredo. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Rio

de Janeiro: Graal, 1979.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do brasil. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1936.

hooks, bell. Vivendo de amor. In: WERNECK, Jurema; MENDONÇA, Maisa; WHITE,

Evelyn C. (orgs.). O livro da saúde das mulheres negras. Nossos passos vêm de longe.

Rio de Janeiro: Pallas: Criola, p. 188-198, 2000.

hooks, bell. Intelectuais Negras. Revista de Estudos Feministas, vol. 3, n. 2,

Florianópolis, UFSC, 1995, p. 464-478.

MAIO, Marcos C. O Brasil no concerto das nações: a luta contra o racismo nos primórdios

da Unesco. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, v. 5, p. 375-413, 1998. Disponível

em: https://www.scielo.br/j/hcsm/a/z8ZdVvMKhtdQkL7qfh6pSTG/ Acesso em: 02 Abr.

MIRA, Maria Celeste. O leitor e a banca de revistas. São Paulo: Olho D'água, 2001.

MOUTINHO, Laura. Razão, “cor” e desejo: uma análise comparativa sobre

relacionamentos afetivo-sexuais “inter-raciais” no Brasil e na África do Sul. Tese de

Doutorado. Universidade Federal do Rio de Janeiro. Instituto de Filosofia e Ciências

Sociais. Rio de Janeiro, 2001.

MUNANGA, Kabengele. Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo,

identidade e etnia. In: BRANDÃO, André Augusto. (Org) Programa de educação sobre o

negro na sociedade brasileira. Ed. UFF: Niterói-RJ, 2004. p. 16-34.

MUNANGA, Kabengele. Ambiguidade Raça/classe e a mestiçagem como mecanismos

de aniquilação da identidade negra e afro-brasileira. In: MUNANGA, Kabengele.

Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra.

Petrópolis: Vozes, 1999. p. 84-89.

NASCIMENTO, Abdias. O branqueamento da raça: uma estratégia de genocídio.

Nascimento A. O genocídio do negro brasileiro. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

NASCIMENTO, Abdias. O Negro revoltado. Rio de Janeiro, Edições GRD, 1968.

NOGUEIRA, Oracy. Preconceito racial de marca e preconceito racial de origem: sugestão

de um quadro de referência para a interpretação do material sobre relações raciais no

Brasil. Tempo Social, Revista de Sociologia da USP, v. 19, n. 1., p. 287-308, 2006.

Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ts/v19n1/a15v19n1.pdf Acesso em: 12 Mai.

Cambiassu, v. 19, n. 33 – Jan./Jun. 2024

PÁDUA, Gesner D. Manchete: a cortesã do poder. Revista Brasileira de História da

Mídia, v. 2, n. 2, p. 213-222,2013. Disponível em:

https://comunicata.ufpi.br/index.php/rbhm/article/view/4121 Acesso em: 04 Abr. 2024.

PENA, Felipe. Seu Adolpho: uma biografia em fractais de Adolpho Bloch, fundador da

TV e Revista Manchete. Rio de Janeiro: Usina de Letras, 2010.

PIERSON, Donald. Brancos e pretos na Bahia. São Paulo: Editora Nacional, 1971.

PRADO, Paulo. Retrato do Brasil. São Paulo: Duprat-Mayença, 1928.

RAMOS, Silvia. Mídia e Racismo. Rio de Janeiro: Pallas, 2007.

RIBEIRO, Carlos Antonio C.; SILVA, Nelson do V. Cor, educação e casamento:

tendências da seletividade conjugal no Brasil, 1960 a 2000. Dados, v. 52, n. 1, pág. 7-51,

Disponível em: https://www.scielo.br/j/dados/a/SgNGd7TZsxGhWrtHJhJffps/

Acesso em: 02 Abr. 2024.

RODRIGUES, Raimundo Nina. As raças humanas e a responsabilidade penal no

Brasil. São Paulo: Companhia Ed. Nacional, 1938.

SCALZO, Marília. Jornalismo de revista. São Paulo: Contexto, 2004.

SCHUCMAN, Lia V.; MANDELBAUM, Belinda; FACHIN, Felipe L. 'Minha mãe

pintou meu pai de branco': afetos e negação da raça em família interraciais. Revista de

Ciências Humanas, v. 52, p. 439-455, 2017. Disponível em:

https://periodicos.ufsc.br/index.php/revistacfh/article/view/2178-

2017v51n2p439/35691 Acesso em: 02 Mai. 2024.

SCHUCMAN, Lia V.; FACHIN, Felipe L. A cor de Amanda: identificações familiares,

mestiçagem e classificações raciais brasileiras. Interfaces Brasil/Canadá, v. 16, p. 182-

, 2016. Disponível em: https://periodicosold.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/interfaces/article/view/10001 Acesso em: 02 Mai. 2024.

SCHUCMAN, Lia V. Famílias Inter-raciais: tensões entre cor e amor. Salvador:

EDUFBA, 2018.

SCHWARCZ, Lilia K. M. Usos e abusos da mestiçagem e da raça no Brasil: uma história

das teorias raciais em finais do século XIX. Afro-Ásia, n. 18, 1996. Disponível em:

https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/20901 Acesso em: 16 Nov.

SCHWARCZ, Lilia M. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial

no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1993. p. 99-133.

Cambiassu, v. 19, n. 33 – Jan./Jun. 2024

SODRÉ, Muniz. Claros e escuros: identidade, povo e mídia no Brasil. Editora Vozes,

SOUZA, Rolf R. As representações do homem negro e suas consequências. Revista

Fórum Identidades, Ano 3, Vol. 6, pp. 97-115, 2009.

SOUZA, Neuza Santos. Tornar-se Negro ou as Vicissitudes da Identidade do Negro

em Ascenção Social. Rio de Janeiro: Ed. Graal, 1983.

TELLES, Edward Eric. Racismo à brasileira: uma nova perspectiva sociológica. São

Paulo: Relume Dumará, 2003.

VIANNA, Oliveira. Evolução do povo brasileiro. Brasília: Companhia Editora

Nacional, 1938

Downloads

Publicado

2024-06-30

Como Citar

ROSÁRIO, Joana dos Santos; TAVARES, Frederico de Mello Brandão.
Representações de casais interraciais na revista Manchete:: o amor não tem cor?
. Cambiassu: Estudos em Comunicação, v. 19, n. 33, p. 6–36, 30 Jun 2024 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cambiassu/article/view/23886. Acesso em: 21 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos