Necropolítica e as imagens da morte no filme a gente se vê ontem (2019)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2176-5111v16n28.2021.22

Palavras-chave:

Cenas de morte, cinema, necropolítica, racismo, temporalidade.

Resumo

O presente artigo reflete os conceitos de necropolítica (MBEMBE, 2017) e wake-work (SHARPE, 2016) partindo do filme A Gente Se Vê Ontem (2019). Através da análise interpretativa das cenas de assassinato e da aproximação com os conceitos revisados, entendemos que a obra utiliza múltiplas visualidades da morte para construir uma ambientação necropolítica. Vislumbramos que a necropolítica se apresenta no filme como uma condição perturbadora da habitação das personagens no tempoespaço, assim como também afeta as vivências negras no mundo em que compartilhamos.

Necropolitics and images of death in the film see you yesterday (2019)

Abstract

This article reflects the concepts of necropolitics (MBEMBE, 2017) and wake-work (SHARPE, 2016) based on the film See You Yesterday (2019). Through the interpretive analysis of the murder scenes and the approach to the revised concepts, we conclude that the work uses multiple visualities of death to build a necropolitical setting. We glimpse that necropolitics appear not to film as a disturbing condition of the room of personagens not time-space, as well as it also affects black lives in the world in which we share.

Keywords: Death scenes; movies; necropolitics; racism; temporality.

  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josué Victor dos Santos Gomes, Universidade Federal de Minas Gerias

Translator  Translator  Translator  Translator  Translator  Translator  Translator  Translator  Translator  Mestrando em Comunicação Social no PPGCOM UFMG com bolsa CAPES-Proex. Atua nas áreas profissionais do audiovisual, da fotografia, das mídias sociais e da Educomunicação. Integrou o Grupo de Pesquisa Tramas Comunicacionais com vínculo de Iniciação Científica entre 2018 e 2019. Atualmente, integra o Insurgente: Grupo de Pesquisa em Comunicação, Redes Textuais e Relações de Poder/Saber e grupo Coragem UFMG. Tem interesse de pesquisa em Afrofuturismo, Narrativas Audiovisuais, Cinema Negro, Cinema Brasileiro e Filosofias Africanas.Translator  Translator  

Carlos Alberto de Carvalho, Universidade Federal de Minas Gerais

Translator  Translator  Translator  Translator  Translator  Translator  Translator  Professor Associado do Curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais, na graduação e no programa de pós-graduação. Graduado em Comunicação Social - Jornalismo - pela Universidade Federal de Minas Gerais (1990), mestre (2000) e doutor (2010) em Comunicação Social pela mesma Instituição. Pós-doutorado realizado na Universidade do Minho, Portugal, com bolsa Capes (Processo: CAPES/FCT nº 9680/14-4 )

Verônica Soares da Costa, Pontífice Universidade Católica de Minas Gerais

Translator  Translator  Translator  Translator  Translator Jornalista, graduada em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF - 2007), Mestre em História, Política e Bens Culturais pelo Centro de Pesquisa e Documentação da História Contemporânea do Brasil (CPDOC / FGV - 2011) e doutora em Textualidades Midiáticas pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação Social da Universidade Federal de Minas Gerais (PPGCOM / UFMG - 2019). Professora no curso de Jornalismo da PUC Minas.

Downloads

Publicado

2021-12-28

Como Citar

GOMES, Josué Victor dos Santos; CARVALHO, Carlos Alberto de; COSTA, Verônica Soares da.
Necropolítica e as imagens da morte no filme a gente se vê ontem (2019)
. Cambiassu: Estudos em Comunicação, v. 16, n. 28, p. 122–140, 28 Dez 2021 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cambiassu/article/view/17867. Acesso em: 20 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos