ANÁLISE DOS SÍMBOLOS DO BATISMO À LUZ DA TEORIA DO IMAGINÁRIO DE GILBERT DURAND

Autores

  • Cleiane Silva Araújo UFMA
  • Josenildo Campos Brussio UFMA
  • Thiago Pereira Lima UFMA
  • Sylvana Kelly Marques da Silva UFMA

Palavras-chave:

Batismo. Imaginário. Símbolos. Catolicismo.

Resumo

Este trabalho tem por objetivo desenvolver uma análise dos símbolos do batismo à luz da teoria do imaginário de Gilbert Durand. Propõe-se abordar, com um olhar de alguém de dentro do contexto cristão, os rituais por trás de cada símbolos do batismo, relatando assim, os elementos simbólicos latentes e atrelar à luz da teoria do imaginário de Gilbert Durand o olhar do imaginário com relação aos elementos e rituais simbólicos. Partindo desta perspectiva, é notório destacar que assim como qualquer outra instituição, a Igreja Católica Apostólica Romana possui um discurso ideológico, com uma finalidade específica, nos fazendo compreender o motivo pelo qual essa instituição nunca perdeu espaço dentro da sociedade. A igreja teceu em torno destes símbolos da graça um cerimonial bastante elaborado, rico em devoção e poesia, a partir de uma estrutura que também é pedagógica. Portanto, as orações, gestos e ritos próprios acentuam a ação da misericórdia e do poder divino. Justamente, por pertencerem à dimensão do simbólico possuem uma carga de imagens arquetípicas muito rica, que merece ser estudada à luz do imaginário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleiane Silva Araújo, UFMA

Licenciada em Ciências Humanas/Sociologia, da Universidade
Federal do Maranhão – UFMA, Campus São Bernardo - MA.

Josenildo Campos Brussio, UFMA

Professor Associado I do Curso de Licenciatura em Ciências Humanas/Sociologia da UFMA/Campus de São Bernardo. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Meio Ambiente, Desenvolvimento e Cultura (GEPEMADEC) e coordenador da linha de pesquisa 1: "Imaginário, Cultura e Meio Ambiente".

Thiago Pereira Lima, UFMA

Doutor em Políticas Públicas pelo Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas (Conceito 6), Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Mestre em Ciências Sociais, pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, UFMA. Especialista em Meio Ambiente e Recursos Aquáticos pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). Graduado em Geografia pela UFMA e em História pela UEMA. É professor adjunto classe C em regime de dedicação exclusiva da Universidade Federal do Maranhão - Campus São Bernardo - do Curso de Licenciatura em Ciências Humanas - Sociologia. Principais temas de interesse: História do pensamento e Epistemologias da Geografia, Ensino de Geografia, Estudos Feministas e de Gênero, Tráfico de Mulheres, Estado e Políticas Públicas, Movimentos Sociais, Religião e Religiosidades e estudos sobre Desenvolvimento e Meio Ambiente.

Sylvana Kelly Marques da Silva, UFMA

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, na área de dinâmicas sociais, práticas culturais e representações sob orientação de Maria Lúcia Bastos Alves. Realizou Doutorado Sanduíche na Universidade de Washington (EUA) no Henry M. Jackson School of International Studies - Latin American and Caribbean Studies, sobre orientação do Professor Jonathan Warren. Mestre em Turismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, na área de concentração: Turismo, Desenvolvimento regional/local e Gestão. Especialista em Gestão e Estratégia de Marketing pelas Faculdades Integradas de Jacarepaguá do Rio de Janeiro. Bacharel em Turismo pela Faculdade de Ciências Cultura e Extensão do Rio Grande do Norte e Bacharelanda em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Referências

AGOSTINHO, Santo. Confissões. São Paulo: Folha de São Paulo, 2010. (Coleção Folha: Livros que mudaram o mundo).

AQUINO, Felipe Rinaldo Queiroz de. História da Igreja- Idade Moderna e Contemporânea. Lorena: Cleófas, 2017. Ano 1° edição, 2017.

BUYST, Ione. Símbolos na Liturgia. São Paulo: Paulinas, (Coleção Celebrar), 1998.

BACHELARD, Gaston. A Epistemologia. São Paulo: Edições 70, 2001.

_________. A Formação do Espírito Científico. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

_________. A Poética do Espaço. São Paulo: Martins Fontes,1998

_________. A Psicanálise do Fogo. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

BARROS, João de Deus Vieira; BRUSSIO, Josenildo Campos, CAVALCANTI, Alberes Siqueira. LENDAS DE SÃO LUÍS DO MARANHÃO: imagens e constelações. Maceió: UFAL, 2007. (Disponível em CD-ROM no Mestrado em Educação da Universidade Federal do Maranhão).

BRUSSIO, Josenildo Campos. Imagens arquetípicas na relação professor-aluno: em busca de um encantamento no processo ensino-aprendizagem. São Luís. Novas edições acadêmicas, 2014.

CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. 3°. Ed. Petrópolis. Vozes; São Paulo: Paulinas, Loyola, Ave-Maria, 1993.

DURAND, Gilbert. AS ESTRUTURAS ANTROPOLÓGICAS DO IMAGINÁRIO: introdução à arquetipologia geral. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

_________. A imaginação simbólica. São Paulo: Editora Cultrix, 1988.

DURKHEIM, Émile. Educação e Sociologia. 3ª ed. Tradução de Stephania Matousek. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012. (Coleção Textos Fundantes de Educação).

EVARISTO, Paulo. (Cardeal Arns). “O Que é Igreja”, Colaboração do Pe. José Oscar Beozzo, na elaboração de “História da Igreja no Brasil”. 1°edição 1981.

ELIADE, Mircea. Imagens e símbolos: ensaios sobre o simbolismo mágico-religioso.

São Paulo: Martins Fontes, 1991.

FRANCO, Renato. CAMPOS, Adalgisa Arantes. Notas sobre os significados religiosos do Batismo. VARIA HISTORIA, nº 31 Janeiro, 2004.

JUNG, Carl Gustav. O homem e seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

KNOWLES, David e OBOLENSKY, Dimitri. Nova História da Igreja. Petrópolis: Editora Vozes, 1974, v.2.

LEMOS, Lúcia. COSTA, Edwaldo. Noções do Imaginário: Perspectivas de Bachelard, Durand, Maffesoli e Corbin. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. 2019.

MATOS, Ana Paula de. Os símbolos e a simbologia religiosa: o papel da Igreja Católica. ANAIS DO II ENCONTRO NACIONAL DO GT HISTÓRIA DAS RELIGIÕES E DAS RELIGIOSIDADES. Revista Brasileira de História das Religiões – ANPUH, Maringá (PR) v. 1, n. 3, 2009. Disponível em: <http://www.dhi.uem.br/gtreligiao/pub.html>. Acesso em: 23 jan. 2020.

MARCONDES, José Maria. O imaginário simbólico e construção da transcendência. Ciberteologia - Revista de Teologia & Cultura - Ano V, n. 25. Disponível em: <http://ciberteologia.paulinas.org.br/ciberteologia/wp-content/uploads/2009/09/03ImaginarioSimbolico.pdf>. Acesso em: 19 jan. 2020.

NIETZSCHE, Friedrich. A Gaia Ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

PASTRO, Claudio. O espaço sagrado hoje, arte sacra. São Paulo: Paulinas, 1993.

PEREIRA, José Carlos. Religião e poder: os símbolos do poder. Revista eletrônica de Ciências Sociais. Ano 2, vol. 3, maio de 2008. Disponível em: <https://csonline.ufjf.emnuvens.com.br/csonline/article/download/366/339>. Acesso em: 21 jan. 2020.

ROCHA PITTA, Danielle Perini. Imaginário, Cultura e Comunicação. Revista Labirinto. Porto Velho. Fund. Univ. Fed. De Rondônia, Ano IV, N° 6, 2004.

SANCHEZ TEIXEIRA, Maria Cecília. Entre o Real e o Imaginário: processo simbólicos e corporeidade. Revista Espaço Aberto, São Paulo: USP, N° 21, Junho/ 2004.

TOURAINE, Alain. Crítica da modernidade. 5ª ed. Petrópolis/RJ: Editora Vozes, 1998.

WEBER, Max. A “objetividade” do conhecimento na ciência social e na ciência política, In: Metodologia das ciências sociais - Parte 1. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade Estadual de Campinas, 2001.

Downloads

Publicado

2021-10-09

Como Citar

Araújo, C. S., Brussio, J. C., Lima, T. P., & Silva, S. K. M. da. (2021). ANÁLISE DOS SÍMBOLOS DO BATISMO À LUZ DA TEORIA DO IMAGINÁRIO DE GILBERT DURAND. Infinitum: Revista Multidisciplinar, 4(6), 102–129. Recuperado de http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/infinitum/article/view/17851

Edição

Seção

Artigos