A NATUREZA DA NATUREZA EM JOÃO ESCOTO ERIÚGENA

Autores

Palavras-chave:

Natureza, Quaternidade, João Escoto Eriúgena, Neoplatonismo

Resumo

A natureza da natureza em João Escoto Eriúgena é o exercício de reflexão proposto neste texto. A análise parte dos quatro modos ou formas da divisão da natureza e a relação de Deus com o mundo que o filósofo irlandês apresenta no Periphyseon. Doravante, a natureza, como realidade universal, é compreendida como uma creatio ex nihilo que, por sua vez, evidencia a diferença fundamental entre o que é e o que não é. A tese segundo a qual a quaternidade da natureza, como manifestação da unidade do mundo, tem como pressupostos fundamentais os conceitos de criação e participação, sustenta o argumento primordial para resolver o controverso problema do panteísmo e compreender o argumento eriugeneano que constitui uma síntese entre a teologia catafática e a teologia apofática, sem negar uma para afirmar a outra; mas, afirmando, sobretudo uma síntese entre ambas as teologias.

Palavras-chave: Natureza; Quaternidade; João Escoto Eriúgena; Neoplatonismo.

LA NATURALEZA DE LA NATURALEZA EN JUAN ESCOTO ERIÚGENA

Resumen

La naturaleza de la naturaleza en Juan Escoto Eriúgena es el ejercicio de reflexión que proponemos en este texto. El análisis parte de los cuatro modos o formas de la división de la naturaleza y la relación de Dios con el mundo que el filósofo irlandés presenta en el Periphyseon. Desde aquí, la naturaleza, como realidad universal, es comprendida como una creatio ex nihilo que, a su vez, patentiza la diferencia fundamental lo que es y lo que no es. La tesis según la cual la cuaternidad de la naturaleza, como manifestación de la unidad del mundo, tiene como presupuestos fundamentales los conceptos de creación y participación, sustenta el argumento fundamental para resolver el controvertido problema del panteísmo y comprender el argumento eriugeneano que
constituye una síntesis entre la teología catafática y la teología apofática, sin negar una para afirmar la otra; sino que, sobretodo, afirma una síntesis entre ambas teologías.

Palabras clave: Naturaleza; Cuaternidad; Juan Escoto Eriúgena; Neoplatonismo.

THE NATURE OF NATURE IN JOHN SCOTTUS ERIUGENA

Abstract

The nature of nature in John Scottus Eriugena is the reflection exercise proposed in this text. The analysis starts from the four modes or forms of the division of nature and the relationship of God with the world the Irish philosopher presents in Periphyseon. Henceforth, nature, as a universal reality, is understood as a creatio ex nihilo that, in turn, highlights the fundamental difference between
what is and what is not. The thesis according to which the quaternity of nature, as a manifestation of the unity of the world, has as fundamental assumptions the concepts of creation and participation supports the primordial argument to solve the controversial problem of pantheism and understand the Eriugenean argument that constitutes a synthesis between cataphatic theology and apophatic theology, without denying one to affirm the other; but, affirming, above all, a synthesis between both theologies.

Keywords: Nature; Quaternity; John Scottus Eriugena; Neoplatonism.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Íris Fátima da Silva Uribe

Doutora em Filosofia pela Universidade Frderal de Rio Grande do Norte (UFRN) com “sanduiche” na Università degli Studi di Torino – Itália e Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisa em Filosofia italiana (GEPFIT) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Downloads

Publicado

2020-11-27

Como Citar

URIBE, Íris Fátima da Silva.
A NATUREZA DA NATUREZA EM JOÃO ESCOTO ERIÚGENA
. Barricadas: Revista de Filosofia e Interdisciplinaridade, v. 1, n. 1, 27 Nov 2020 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/barricadas/article/view/15605. Acesso em: 18 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos