O TELETRABALHO INTEGRAL E COMPULSÓRIO DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19 TORNARÁ A JUSTIÇA FEDERAL DA 4ª REGIÃO MAIS SUSTENTÁVEL?

Autores

  • Carolina Medeiros Bahia Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Erika Giovanini Reupke Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.18764/2236-4358v12n35.2022.1

Palavras-chave:

sociedade de consumo, sociedade de risco, teletrabalho, pandemia da Covid-19, sustentabilidade da Justiça Federal da 4ª Região

Resumo

O presente estudo, partindo da caracterização da sociedade de consumo de Zygmund Bauman e da Sociedade de Risco de Ulrich Beck, pretende analisar os efeitos sociais e ambientais negativos gerados por esses modelos de sociedade e, a partir dos referidos aportes teóricos, investigar se a adoção do teletrabalho integral e compulsório durante a pandemia da Covid-19 tornou a Justiça Federal da 4ª Região mais sustentável. Para tanto, emprega o método indutivo, com pesquisa bibliográfica em livros e artigos científicos, além da análise da legislação pertinente ao tema e conclui que, na realidade pós-pandemia, o teletrabalho deve se consolidar como mais uma forma de trabalho disponível a magistrados e servidores, possibilitando a redução de poluentes e a economia de bens e serviços e tornando o trabalho no âmbito da Justiça Federal da 4ª Região mais sustentável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carolina Medeiros Bahia, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Possui graduação em Direito pela Universidade Federal da Bahia (2002), mestrado (2004) e doutorado em em Direito, Estado e Sociedade, sub-área Direito e Meio Ambiente, pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012). Atualmente é professora Adjunto C, nível III, do Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Federal de Santa Catarina, atuando nos cursos de graduação, mestrado acadêmico e mestrado profissional, membro do Grupo de Pesquisa Direito Ambiental na Sociedade de Risco (GPDA) e Diretora do Instituto "O Direito Por Um Planeta Verde". Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direito Civil, Direito do Consumidor e Direito Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: sociedade de massa e hiperconsumo - responsabilidade no âmbito da relações de consumo - responsabilidade civil ambiental.

Erika Giovanini Reupke, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Mestranda pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em Acesso à Justiça e Formas Alternativas de Resolução de Conflitos. Professora da Escola Superior da Magistratura Federal de Santa Catarina (ESMAFESC) e da Escola Superior da Magistratura do Estado de Santa Catarina (ESMESC) em Direito Administrativo. Juíza Federal, atualmente lotada na 2ª Turma Recursal de Florianópolis.

Downloads

Publicado

2022-05-12

Como Citar

Bahia, C. M., & Reupke, E. G. (2022). O TELETRABALHO INTEGRAL E COMPULSÓRIO DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19 TORNARÁ A JUSTIÇA FEDERAL DA 4ª REGIÃO MAIS SUSTENTÁVEL?. Revista Húmus, 12(35). https://doi.org/10.18764/2236-4358v12n35.2022.1

Edição

Seção

Perspectivas do Desenvolvimento Regional