REDES E ATIVISMO EM POLÍTICAS PÚBLICAS: a construção da Política Nacional de Educação Museal (PNEM)

Autores

  • Luciana Conrado Martins Universidade de São Paulo - USP
  • Oswaldo Gonçalves Junior Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2865.v22n1p307-330

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar o resultado de uma pesquisa teórico-empírica sobre o processo de construção da Política Nacional de Educação Museal (PNEM). Publicada no fi nal de 2017, a PNEM consolida os anseios dos educadores de museus por instituições e processos museológicos voltados para a educação de seus públicos. Sua construção revela uma rede em âmbito nacional, envolvendo sub-redes estaduais e atores locais, cujos papéis de formuladores e implementadores da política coincidem. O ativismo de atores-chave, empreendedores de políticas, com trânsito nas estruturas governamentais, respondem pela estratégia de ativação da rede. Utilizando análise documental e observação, o artigo descreve esse processo de construção e procura analisá-lo sob a ótica da governança de redes de políticas públicas. Busca ampliar a compreensão
sobre o potencial e os limites de arranjos desse tipo, apontando o caráter
performático da rede quando confrontada com a literatura.
Palavras-chave: políticas públicas culturais, Política Nacional de Educação
Museal, educação em museus, rede de políticas públicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-06-28

Como Citar

Martins, L. C., & Junior, O. G. (2018). REDES E ATIVISMO EM POLÍTICAS PÚBLICAS: a construção da Política Nacional de Educação Museal (PNEM). Revista De Políticas Públicas, 22(1), 307–330. https://doi.org/10.18764/2178-2865.v22n1p307-330