CARTOGRAFIA SOCIAL NA REGIÃO ECOLÓGICA DO BABAÇU: estratégias de quebradeiras de coco e processos sociais atinentes aos babaçuais

Autores

  • Jurandir Santos de Novaes Universidade Federal do Maranhão - UFMA
  • Helciane de Fátima Abreu Araujo

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2865.v20nEp179-188

Resumo

Pretende-se refletir sobre estratégias de resistência constituídas por quebradeiras de coco babaçu, que têm assegurado a sua existência frente a diferentes agentes em situações de impedimento e restrição de acesso aos babaçuais. Inscrevem-se evidências da presença de quebradeiras de coco e ao mesmo tempo de desmatamento; a convivência de babaçuais mais densos ou mais rarefeitos ou ainda a sua eliminação decorrente da ação de agentes vinculados à pecuária, à indústria. Ressalta-se a relação das mulheres com o Estado por meio de políticas compensatórias. Tais reflexões têm por base pesquisa em curso sobre a representação das mulheres quebradeiras acerca das mencionadas situações.

Palavras-chave: Estratégias, quebradeiras de coco babaçu, resistência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-01-09

Como Citar

Novaes, J. S. de, & Araujo, H. de F. A. (2017). CARTOGRAFIA SOCIAL NA REGIÃO ECOLÓGICA DO BABAÇU: estratégias de quebradeiras de coco e processos sociais atinentes aos babaçuais. Revista De Políticas Públicas, 20, 179–188. https://doi.org/10.18764/2178-2865.v20nEp179-188