As ocupações formais do setor de turismo no estado de Mato Grosso

Autores

  • Leandro Carvalho Lima Observatório do Desenvolvimento do Estado de Mato Grosso
  • Luciana Pinheiro Viegas Universidade do Estado de Mato Grosso; Universidade Federal de Mato Grosso https://orcid.org/0000-0001-5793-6027

DOI:

https://doi.org/10.18764/2674-6972v4n10.2022.10

Palavras-chave:

Turismo, Ocupações formais, Atividades características do turismo, Empregos, Estado de Mato Grosso

Resumo

A dificuldade em mensurar as ocupações do mercado de trabalho no turismo é um desafio constante para a pesquisa acadêmica. Assim sendo, este trabalho tem como objetivo central analisar o desenvolvimento dos empregos na atividade turística no estado de Mato Grosso, em termos salariais, quantitativos e características da mão de obra formal das Atividades Características do Turismo (ACTs), no período de 2012 a 2018, haja vista a escassez de um aprofundamento teórico-metodológico e epistemológico sobre essas ocupações. A estratégia metodológica utilizada foi de abordagem quantitativa, de natureza descritiva. Por consequência, a pesquisa terá como base o Sistema Integrado de Informações sobre o Mercado de Trabalho no Setor Turismo (SIMT). Portanto, observa-se que os principais resultados demonstraram que existe uma relação positiva entre qualificação e rendimento nas ocupações, visto que os maiores salários estão concentrados nas ocupações de maior escolaridade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Carvalho Lima, Observatório do Desenvolvimento do Estado de Mato Grosso

Bacharel em Turismo pela Universidade do Estado de Mato Grosso; MBA em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável pela Universidade Cândido Mendes; Mestre em Políticas Públicas pela Faculdade Latinoamericana de Ciências Sociais; e Analista no Observatório do Desenvolvimento do Estado de Mato Grosso.

Luciana Pinheiro Viegas, Universidade do Estado de Mato Grosso; Universidade Federal de Mato Grosso

Graduação em Turismo pela Universidade Federal de Pernambuco / Mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco / Doutorado em Geografia pela Universidade Federal Fluminense / Pós Doutorado pela Universidade Fedderal de Mato Grosso e Professora da Universidade do Estado de Mato Grosso.

Referências

BENI, M. C. Análise estrutural do turismo. 3. ed. São Paulo, SP: Editora Senac São Paulo, 2000.

BRAGA, H. M. C. B. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos de

investigação, elaboração de trabalhos acadêmicos e publicações. São Paulo: Laços, 2015.

BRASIL, Marinha do Brasil (Agência Fluvial de Cáceres). Mapa de entrada e saída de barcos-hotéis de Cáceres: 2019. 18 de fev. 2020.

BRASIL. Consolidação das Leis do Trabalho. Decreto-Lei nº 5.442, de 01.mai.1943. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del5452.htm. Acesso em: 05 abr. 2021.

CARDOSO, A. C. M.; OLIVEIRA, M. C. B. E-economia e suas empresas-plataformas: modus operandi e precarização do mercado de trabalho no setor de turismo. Revista Anais Brasileiros de Estudos Turísticos / ABET. Juiz de Fora, MG, v. 10, p. 1-17, jan./dez. de 2020. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/abet/article/view/30151. Acesso em: 31 mai. 2022.

COSTA, J. C. et al. Trabalho (in)decente no turismo: reflexões para a construção de uma agenda de pesquisa. Rosa dos Ventos Turismo e Hospitalidade. Caxias do Sul, RS, v. 13, n. 4, p. 1213-1233, 2021. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18226/21789061.v13i4p123. Acesso em: 01 jun. 2022.

CRUZ, R. C. A. Trabalho no turismo: reflexões acerca do caso brasileiro. Revista do Centro de Pesquisa e Formação. São Paulo, SP, nº 12021, junho de 2021. Disponível em: https://centrodepesquisaeformacao.sescsp.org.br/revista/edicao_especial_2.php?cor=verde. Acesso em: 31 mai. 2022.

FGV. Fundação Getúlio Vargas. Impacto econômico do COVID-19: propostas para o turismo brasileiro. Rio de Janeiro, RJ: abril de 2020, 25p.

FRATUCCI, A. C.; CARNEIRO, J. Trabalhadores do turismo: de quem estamos falando? Revista Turismo Estudos & Práticas. Mossoró, RN, v. 9, (Dossiê Temático 2), pp. 1-12, 2020. Disponível em: http://geplat.com/rtep/index.php/tourism/article/view/655. Acesso em: 01 jun. 2022

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed., São Paulo: Atlas, 2002.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Extrator de dados. 2020. Disponível em: http://extrator.ipea.gov.br/. Acesso em: 23 nov. 2020.

RABAHY, W. A. Análise e perspectivas do turismo no Brasil. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo, São Paulo, SP, v. 14, n.1, p. 1 – 13, jan./abr. 2019. Disponível em: http://dx.doi.org/10.7784/rbtur.v14i1.1903. Acesso em: 14 dez. 2021.

RUECKERT, R. A. O. A dinâmica socioespacial das atividades características do turismo – ACTs, no Estado de Santa Catarina. 2014. 302f. Tese (Doutorado em Geografia) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

SAKOWSKI, P. A. M. Aspectos metodológicos do sistema integrado de informações sobre o mercado de trabalho no setor de turismo. Texto para discussão, nº 1842, Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada – IPEA, Rio de Janeiro, RJ, 2013.

SAKOWSKI, P. A. M. Mensurando o emprego no setor turismo no Brasil: do nível nacional ao regional e local. Texto para discussão, nº 2073, Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada – IPEA, Brasília, DF, 2015.

TAKASAGO, M. et al. O potencial criador de emprego e renda no turismo no Brasil. Pesquisa e planejamento econômico – PPE, v. 40, n. 3, dez. 2010.

WTTC - World Travel & Tourism Council. Travel & tourism regional performance, 2019. Disponível em: https://wttc.org/. Acesso em: 10 jun. 2020.

Downloads

Publicado

2022-12-30

Como Citar

LIMA, L. C.; VIEGAS, L. P. As ocupações formais do setor de turismo no estado de Mato Grosso. Revista Turismo & Cidades, [S. l.], v. 4, n. 10, p. 29–47, 2022. DOI: 10.18764/2674-6972v4n10.2022.10. Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/turismoecidades/article/view/18807. Acesso em: 7 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos