O TURISMO ÉTNICO NA MINA DU VELOSO EM OURO PRETO (MG): um estudo do equipamento interpretativo do patrimônio afro

Autores

Resumo

ETHNIC TOURISM AT MINA DU VELOSO IN OURO PRETO (MG):   a study of the interpretive equipment of afro heritage

 

Resumo: O turismo étnico no Brasil traz outras perspectivas históricas para entender os bens culturais afros pertencentes a determinados grupos étnicos no país. O objetivo desse trabalho é mostrar a história silenciada dos africanos mineradores no Brasil colonial, ressignificando, interpretando e preservando as antigas estruturas da mineração aurífera setecentista localizadas em Ouro Preto/MG como patrimônio afro-brasileiro. Situa-se aqui, a Mina Du Veloso como atrativo turístico que utiliza a história afrocentrada para apresentar esse patrimônio aos visitantes. Metodologicamente a pesquisa baseia-se na observação participante realizada por um dos autores que trabalhou como Guia de Turismo da Mina Du Veloso. Como resultado, percebe-se que a junção de indivíduos pertencentes ao mesmo grupo étnico alinhados com a história e o turismo, são capazes de valorizar e apresentar seus bens patrimoniais.

Palavras-Chave: Turismo Étnico Afro; História; Ouro Preto (MG); Patrimônio; Mina Du Veloso.

 

Abstract: Ethnic tourism in Brazil brings other historical perspectives to understand afro cultural goods belonging to certain ethnic groups in the country. The objective of this work is to show the silenced history of african miners in colonial Brazil, giving new meaning to, interpreting and preserving the old structures of eighteenth century gold mining located in Ouro Preto/MG as an afro-brazilian heritage. Here, Mina Du Veloso is a tourist attraction that uses afro-centered history to present this heritage to visitors. Methodologically, the research is based on participant observation carried out by one of the authors who worked as a Tourism Guide at Mina Du Veloso. As a result, it is clear that the joining of individuals belonging to the same ethnic group, aligned with history and tourism, are able to value and present their heritage assets.

Keywords: Afro Ethnic Tourism; History; Ouro Preto (MG); Heritage; Mina Du Veloso.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Cláudio Alves Viana, Universidade Federal de Minas Gerais

Bacharel em Turismo pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e mestrando em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Leandro Benedini Brusadin, Universidade Federal de Ouro Preto/Universidade Federal de Minas Gerais

Graduado em Turismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2001), Mestre em Hospitalidade pela Universidade Anhembi Morumbi (2005) e Doutor em História pela Universidade Estadual Paulista de Franca (2011). Pós-doutorado pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo - EACH | USP (2015). Pós-doutorado em Sociologia pela Université de Paris - Faculté des Sciences Humaines et Sociales - Sorbonne (Paris V). Professor Associado do Departamento de Turismo e do Programa de Pós-Graduação em Turismo e Patrimônio da Escola de Direito, Turismo e Museologia da Universidade Federal de Ouro Preto (EDTM | UFOP). Professor Permanente do Mestrado e do Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável da Universidade Federal de Minas Gerais (PPG-ACPS | UFMG). Líder do grupo de pesquisa Societas -- Turismo, Patrimônio, Relações Sociais e de Trabalho. 

Referências

BOFF, L. A história foi escrita pela mão branca. [S. l.], 2020. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/2020/01/17/artigo-or-a-historia-foi-escrita-pela-mao-branca. Acesso em: 27 ago. 2020.

BRASIL. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Portaria nº 312, de 20 de outubro de 2010.

BRUSADIN, L. B. Da reconstrução do passado à sua refuncionalização no turismo: interfaces pelo campo museológico. In: COSTA, Everaldo Batista; BRUSADIN, Leandro Benedini; PIRES, Maria do Carmo (org.). Valor patrimonial e turismo: limiar entre história, território e poder. São Paulo: Outras Expressões, 2012.

CARSALADE, F. L. A pedra e o tempo: arquitetura como patrimônio cultural. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2014.

CASTRIOTA, L. B. Patrimônio cultural: conceitos, política, instrumentos. Belo Horizonte: AnnaBlume, 2009.

CASTRO, Y. P. A língua Mina-Jeje no Brasil: um falar africano em ouro preto do século XVIII. Belo Horizonte: Mineiriana, 2002.

COSTA, E. B. Cidades da patrimonialização global: simultaneidade totalidade urbana – totalidade-mundo. São Paulo: Humanistas, FAPESP, 2015.

COSTA, F. R. Turismo e patrimônio cultural: interpretação e qualificação. São Paulo: Editora Senac, 2014.

COSTA. E. B. Totalidade urbana e totalidade-mundo: as cidades coloniais barrocas face à patrimonialização global. 2011. 444 f. Tese (Doutorado em Geografia) – Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

ESCHWEGE, W. L. V. Pluto brasiliensis. Belo Horizonte: Ed. Italiana, 1979. 2 v.

ESCHWEGE, W. L. V. Pluto brasiliensis. Belo Horizonte: Ed. Italiana, 1979. v.1.

FERREIRA, E. E. Patrimônio mineiro na Serra do Veloso em Ouro Preto-MG: registro, análise e proposições de circuitos geoturísticos interpretativos. 2017. 148 f. Dissertação (Mestrado em Evolução Crustal e Recursos Naturais) – Departamento de Geologia, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2017.

FRONER, Y. International policies for sustainable development from cultural empowerment. Journal of Cultural Heritage Management and Sustainable Development, [S. l.], v. 7, p. 208-223, maio 2017. Disponível em: https://www.emerald.com/insight/content/doi/10.1108/JCHMSD-10-2016-0056/full/html. Acesso em: 24 ago. 2020.

ICOMOS Cidade do México. Carta internacional sobre o turismo cultural [...]. [S.l], 1999. Disponível em: https://revistas.ulusofona.pt/index.php/cadernosociomuseologia/article/view/338. Acesso em: 20 ago. 2020.

LE GOFF, J. História e memória. Campinas: Ed. Unicamp, 1990.

MACHADO, D. C; PIRES, M. J. Turismo e patrimônio cultural imaterial: a capoeira em Salvador - BA. In: COSTA, Everaldo Batista; BRUSADIN, Leandro Benedini; PIRES, Maria do Carmo (org.). Valor patrimonial e turismo: limiar entre história, território e poder. São Paulo: Outras Expressões, 2012.

MARCONI, M. A; LAKTOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

MARTINS, T. J. Quilombo do Campo Grande: a história de minas, roubada do povo. São Paulo: A Gazeta da Mmçonaria, 1995.

NIETZSCHE, F. Segunda construção intempestiva: da utilidade e desvantagem da história para a vida. Tradução Marco Antônio Casanova. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003.

NOGUEIRA, J. A. N. Estudo diagnóstico do desenvolvimento urbano e do sistema de transportes da cidade de Ouro Preto/MG: subsídios para a implantação de um teleférico. 2014. 159 f. Dissertação (Mestrado em Sustentabilidade) – Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, 2014. Disponível em: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/3682. Acesso em: 30 ago. 2020.

PAIVA, A. M. S.; SOUZA, A. H. M. Manual para quem vive em casas tombada. Ouro Preto, MG. Livraria & Editora Graphar, 2018.

PAULA, Á. T. de; HERÉDIA, V. A. “Turistificação” de um lugar de memória é possível? Um estudo sobre o sítio arqueológico do Cais do Valongo (Rio de Janeiro, Brasil). Revista Anais Brasileiros de Estudos Turísticos/ Abet, Juiz de Fora, p. 8-22, jul. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/abet/article/view/3193. Acesso em: 10 ago. 2020.

QUEIROZ, M D G S; MACHADO, E P. Ouro Preto: Imagens/Pesquisas. Brasília - DF: IPHAN, 2008.

RIBEIRO, R. W. Paisagem Cultural e Patrimônio no contexto Internacional. In: RIBEIRO, Rafael Winter. Paisagem cultural e patrimônio. Rio de Janeiro: Iphan, 2007. p. 33-64.

RIBEIRO, W. A. D; SANTOS, C. F. Patrimônio afro-brasileiro e turismo: comunicando o modo de ser quilombola. Revista do Centro de Pesquisa e Formação, São Paulo, n. 8, p. 71-88, jun. 2018. Disponível em: https://www.sescsp.org.br/online/artigo/12165_DAVID+W+A+RIBEIRO+E+CLAUDIA+FERNANDA+DOS+SANTOS. Acessado em: 20 jun. 2020.

ROCHA, A L C; ECKERT, C. Etnografia: saberes e práticas. Revista Iluminuras, [s. l.], v. 9, ed. 21, p. 1-23, 2008. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/iluminuras/article/view/9301/5371. Acesso em: 21 ago. 2020.

SALGADO, M. Ouro Preto: paisagem em transformação. 2010. Dissertação (Mestrado em Ambiente Construído e Patrimônio Sustentável) - Escola de Arquitetura, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/MMMD-8QCLUV. Acesso em: 11 ago. 2020.

TRIGO, L. G. G.; P. NETTO, A. Turismo étnico afro no Brasil. In: SEMINÁRIO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM TURISMO, 8., 2011, Balneário Camboriú. Anais Eletrônico [...]. Balneário Camboriú: ANPTUR, 2011. p. 1-12. Disponível em: https://www.anptur.org.br/anais/anais/files/8/10.pdf. Acessado em: 3 mai. 2020.

WERKEMA, M. Ouro Preto na história: protagonismos, revisões. Ouro Preto: Livraria & Editora Graphar, 2018.

Downloads

Publicado

2021-06-30

Como Citar

VIANA, Luiz Cláudio Alves; BRUSADIN, Leandro Benedini.
O TURISMO ÉTNICO NA MINA DU VELOSO EM OURO PRETO (MG): um estudo do equipamento interpretativo do patrimônio afro
. Revista Turismo & Cidades, v. 3, n. 6, p. 122–145, 30 Jun 2021 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/turismoecidades/article/view/16344. Acesso em: 23 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos