ASPECTOS SÓCIO-HISTÓRICOS E A FALA DE CAROLINA MARIA DE JESUS EM QUARTO DE DESPEJO: DIÁRIO DE UMA FAVELADA (1960)

Autores

  • Claudia Letícia Gonçalves Moraes Universidade Federal do Maranhão
  • Assíria Almeida Costa Universidade Federal do Maranhão image/svg+xml

DOI:

https://doi.org/10.18764/2595-9549v7n12.2024.6

Palavras-chave:

Aspectos sócio-históricos, Contexto histórico, Representação, Mulher negra, Crítica literária dialética

Resumo

O presente artigo pretende analisar a partir da obra de Carolina Maria de Jesus, Quarto de despejo: diário de uma favelada (1960) aspectos sócio-históricos presentes na obra, como o contexto histórico e as condições sociais e políticas que Carolina vivenciou durante a escrita de seu diário; as condições precárias de vida dos marginalizados na favela; as questões de raça e gênero abordadas por ela no fim da década de 50, bem como perceber a fala da autora, mulher negra e pobre, de forma hostilizada, mas também sensível e autêntica, visando compreender como a voz da autora retrata e denuncia as condições de vida nas favelas. A obra será analisada através da perspectiva da crítica literária dialética. De acordo com a metodologia adotada, a pesquisa é de cunho bibliográfico, caracterizada como análise-crítica qualitativa. Dessa forma, tem-se como procedimento recorrer à leitura atenta e minuciosa da obra Quarto de despejo sob a perspectiva e diálogo com os autores: Cândido (2006), Leeds e Leeds (2015), Meihy (1998), Meihy e Levine (2015), Carvalho (2016), Tavares (2010), Cardoso (1977), Bahia (2000), González (1984), Sousa e Dias (2013) e Evaristo (2014).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Letícia Gonçalves Moraes, Universidade Federal do Maranhão

Doutora em Literatura pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade de Brasília (bolsista pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Maranhão - FAPEMA). Mestra pelo Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade da Universidade Federal do Maranhão. Graduada em Letras - Licenciatura pela Universidade Federal do Maranhão. Professora Adjunta da Universidade Federal do Maranhão, Campus São Bernardo - Licenciatura Interdisciplinar em Linguagens e Códigos e professora colaboradora do mestrado interdisciplinar em Cultura e Sociedade (PGCult - UFMA), atuando na área de Língua Portuguesa com ênfase em estudos discursivos e literaturas de língua portuguesa. Líder do Grupo de Pesquisa Literatura e outras artes: identidade, alteridade e decolonialidade (UFMA). Integrante dos Grupos de Pesquisa Historiografia, cânone e ensino (UnB) e Estudos de Paisagem nas Literaturas de Língua Portuguesa (UFF-UFMA). Organizadora do I e do II Colóquio Interdisciplinar de Literatura e Cultura Negra do Baixo Parnaíba (2018-2019) e da I Jornada Interdisciplinar de Linguagens (2023).

Assíria Almeida Costa, Universidade Federal do Maranhão

Graduada em Linguagens e Códigos - Língua Portuguesa, pela Universidade Federal do Maranhão.

Referências

BAHIA, Mariza Ferreira. O legado de uma linhagem: A literatura memorialística feminina. Tese de Doutorado em Literatura Comparada. Faculdade de Letras da UERJ. Rio de Janeiro. Junho de 2000.

CANDIDO, Antônio. Literatura e Sociedade. Rio de Janeiro: Ouro sobre azul, 2006.

CARDOSO. Míriam Limoeiro. Ideologia do Desenvolvimento – Brasil: JK-JQ. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

CARVALHO, Anna Karoline Santos de. Carolina Maria de Jesus: cultura popular e prática educativa na educação de jovens e adultos – Joao Pessoa: UFPB, 2016.

EVARISTO, Conceição. Olhos d’Água. Rio de Janeiro: Pallas/Fundação Biblioteca Nacional, 2014.

GONZÁLEZ, Lélia, “Racismo e sexismo no Brasil”, Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, 1984.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada / Carolina Maria de Jesus; 10. ed. - São Paulo: Ática, 2014. 200p.

LEEDS, Anthony; LEEDS, Elizabeth. Favelas e Comunidade Política: a continuidade da estrutura de controle social. In: LEEDS, Anthony; LEEDS, Elizabeth; LIMA, Nísia Trindade (org.). A sociologia do Brasil urbano. 2ª edição – Editora Fiocruz. Rio de Janeiro, 2015.

LEVINE, Robert M.; MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Cinderela Negra: a saga de Carolina Maria de Jesus. Sacramento/MG: Editora Bertolucci, 2015. 2ª Edição.

MEIHY, J. C. S. B. CAROLINA MARIA DE JESUS: EMBLEMA DO SILÊNCIO. Revista USP, 1998. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/27047.

Acesso em: 10 jan. 2024.

SOUSA, Dignamara Pereira de Almeida; DIAS, Daise Lilian Fonseca. Quando a mulher começou a falar: Literatura e crítica feminista na Inglaterra e no Brasil. Gênero na Amazônia. Belém: n.3, janeiro/junho 2013.

TAVARES, Maria da Conceição. Desenvolvimento e igualdade: homenagem aos 80 anos de Maria da Conceição Tavares. Organizado por João Sicsú e Douglas Portari. Rio de Janeiro: IPEA, 2010.

Downloads

Publicado

2024-06-12

Como Citar

MORAES, Claudia Letícia Gonçalves; COSTA, Assíria Almeida.
ASPECTOS SÓCIO-HISTÓRICOS E A FALA DE CAROLINA MARIA DE JESUS EM QUARTO DE DESPEJO: DIÁRIO DE UMA FAVELADA (1960)
. Infinitum: Revista Multidisciplinar , v. 7, n. 12, p. 112–130, 12 Jun 2024 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/infinitum/article/view/23260. Acesso em: 15 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)