Audiovisual brasileiro sofreu censura? Abordagem exploratória da cobertura midiática entre 2019 e 2020

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2236-9473v21n1.2024.7

Palavras-chave:

Censura, Democracia, Neoconservadorismo, Audiovisual, Arte, Estado

Resumo

Considerando a assunção de um governo neoconservador, que defende o controle direto da produção cultural e artística, apresentaremos uma visão geral de notícias envolvendo ações governamentais que afetaram a produção audiovisual no país, tendo como escopo alguns indícios de práticas de censura. Utilizamos “Alertas do Google” com palavras-chave associadas ao assunto, resultando em um banco de dados com as notícias. Classificamo-las em: arquitetura institucional; nomeações e demissões de cargos essenciais; ações e omissões; pressões e controvérsias; e reclamações de censura envolvendo o governo e outras instâncias do Estado ou da sociedade civil. Além disso, realizamos uma breve discussão teórica sobre censura em diálogo com produções de Maria Cristina Castilho Costa. Provisoriamente, observamos sinais de um boicote à indústria audiovisual pari passu a medidas que sugerem práticas de censura difusa, exigindo mais pesquisas e uma reelaboração do conceito clássico de censura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2024-04-24

Como Citar

BISPO, Bruno Vilas Boas; MOTA, Gabriela Protásio; LOBO, Rafaela Santiago.
Audiovisual brasileiro sofreu censura? Abordagem exploratória da cobertura midiática entre 2019 e 2020
. Revista Pós Ciências Sociais, v. 21, n. 1, p. 143–168, 24 Abr 2024 Disponível em: http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rpcsoc/article/view/23450. Acesso em: 17 jul 2024.