O TRABALHO ANÁLOGO AO ESCRAVO E OS FUNDAMENTOS DA ORDEM ECONÔMICA

Autores

  • Marcela Andresa Semeghini Pereira Universidade de Marília – UNIMAR.

Resumo

As condições de escravidão permanecem na sociedade contemporânea, manifestando-se através do superindividamento, posse da pessoa através dos contratos de trabalho, que submetem o trabalhador a condições degradantes. A homogeneização das opções de fruição do Direito ao Lazer, do comportamento e do pensamento são consequências da padronização cultural e do discurso dominante, propagados pela indústria cultural sendo fator que auxilia no conformismo do homem a condição de escravo. É importante conceituar e distinguir a escravidão ou escravidão contemporânea no intuito de demonstrar que a não efetivação dos princípios constitucionais consubstanciados no conceito de dignidade conduzem a construção do trabalho escravo, no contexto de uma nova realidade, formada a partir da noção de alienação da própria escravidão, que não é revelada, por ser apresentada e conceituada sob as matrizes de um contexto social não mais existente. Concluindo, sob o pretexto de uma sociedade aparentemente livre, desclassifica-se a existência do trabalho escravo ajustando-o às matrizes de uma sociedade de consumo. Apropriou-se do método dedutivo, com pesquisas em variadas fontes bibliográficas.

Palavras-chave: Escravidão. Direito ao Lazer. Consumo. Indústria Cultural.

 

The conditions of slavery remained in contemporary society, manifesting itself through over-indebtedness, possession of the person through the employment contracts that the employee submit to degrading conditions. Homogenization of options for enjoyment of the Right to Leisure, behavior and thinking are consequences of cultural standardization and the dominant discourse, propagated by the culture industry and factor that assists in conformity man's slave status. It is important to conceptualize and distinguish contemporary slavery or slavery in order to demonstrate that the non- enforcement of constitutional principles embodied in the concept of dignity lead the construction of slave labor in the context of a new reality , formed from the notion of alienation of slavery itself which is not disclosed and shown to be conceptualized in the matrices of a no longer existing social context. In conclusion , under the guise of a seemingly free society, disqualifies the existence of slave labor adjusting it to the headquarters of a consumer society . Appropriated the deductive method , with surveys in various literature sources.

Keywords: Slavery. Right to Leisure. Consumption. Cultural industry.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcela Andresa Semeghini Pereira, Universidade de Marília – UNIMAR.

Graduada em Direito e em Ciências Sociais, MBA em Desenvolvimento Regional Sustentável, atualmente Mestranda em Direito pela Universidade de Marília – UNIMAR. Residente na Rua Antonio Alpino, n. 270, Jardim América. Cep 17.505-240, Marília/SP. Endereço Eletrônico: masemeghini@bb.com.br.

Downloads

Publicado

2015-03-19

Como Citar

PEREIRA, Marcela Andresa Semeghini.
O TRABALHO ANÁLOGO AO ESCRAVO E OS FUNDAMENTOS DA ORDEM ECONÔMICA
. Revista Publius, v. 1, n. 1, 19 Mar 2015 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rpublius/article/view/3291. Acesso em: 17 jul 2024.

Edição

Seção

Artigos