LOBBY E GRUPOS DE INTERESSE NA COOPERAÇÃO BRASIL-ÁFRICA

o caso do Programa Mais Alimentos

Autores

  • Letícia Cunha de Andrade Oliveira

Palavras-chave:

Cooperação Brasil-África, grupos de interesse, Governo Federal, países recipiendários, setor privado

Resumo

No Brasil, o primeiro movimento em favor de setores empresariais de que se tem registro aconteceu no governo de D. Pedro I, tendo como intermediária sua amante Domitila de Castro Canto e Melo, que mais tarde se tornou a Marquesa de Santos. Este artigo pretende analisar como grupos de interesse atuaram na negociação e na implementação do Programa Mais Alimentos no continente africano. Para tanto, entrevistas, pesquisa de campo feita em onze municípios moçambicanos e banco de telegramas trocados entre os governos brasileiro e africanos, decorrentes de pesquisa de doutoramento, foram resgatados e analisados sob novo olhar. Identificou-se a atuação de três grupos de interesse na negociação e na estratégia de aproximação comercial entre Brasil a Moçambique - o próprio governo federal, os potenciais países recipiendários da cooperação brasileira e o setor privado

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Cunha de Andrade Oliveira

Graduação em Relações Internacionais na PUC-GO (2011), Mestrado em Relações Internacionais na UnB (2013), Doutorado em Relações Internacionais na USP (2019), professora e coordenadora do curso de Relações Internacionais da UNIP de São José dos Campos e professora dos cursos de Relações Internacionais, Logística e Administração do Instituto Nacional de Pós-Graduação (INPG).

Downloads

Publicado

2024-07-11

Como Citar

OLIVEIRA, Letícia Cunha de Andrade.
LOBBY E GRUPOS DE INTERESSE NA COOPERAÇÃO BRASIL-ÁFRICA: o caso do Programa Mais Alimentos
. Revista de Políticas Públicas, v. 28, n. 1, p. 379–397, 11 Jul 2024 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rppublica/article/view/23982. Acesso em: 22 jul 2024.