A AMAZÔNIA SUBORDINADA AOS IMPERATIVOS DO CAPITAL FINANCEIRO

Autores

  • Artur Bispo dos Santos Neto
  • Everton Melo Silva Universidade Federal de Sergipe
  • Renalvo Cavalcante Silva

DOI:

https://doi.org/10.18764/2178-2865.v27n1.2023.2

Palavras-chave:

Amazônia, capital financeiro, commodities, espoliação, comunidades tradicionais

Resumo

Este texto pretende abordar, primeiramente, a capilaridade da conquista da Região Amazônica aos propósitos da reprodução ampliada do capital num contexto de crise e como os megaprojetos de infraestrutura e desenvolvimento constituem mecanismos de ativação sistemática de controle da extração de recursos naturais para atender às demandas da financeirização. A seguir, busca(-se) entender a peculiaridade da intervenção do capital chinês nessa região, objetivando garantir a celeridade do circuito das commodities para seu mercado e a necessidade de aprofundar os processos de superacumulação mediante espoliações das riquezas naturais. Por fim, salienta(-se) como se inscrevem os processos de acumulação por espoliações nas Unidades de Conservação, nas Terras Indígenas e nos Territórios Quilombolas, para contemplar a reprodução em larga escala do capital financeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-12-17

Como Citar

Santos Neto, A. B. dos ., Silva, E. M., & Silva, R. C. (2023). A AMAZÔNIA SUBORDINADA AOS IMPERATIVOS DO CAPITAL FINANCEIRO. Revista De Políticas Públicas, 27(1), 28–46. https://doi.org/10.18764/2178-2865.v27n1.2023.2