SERVIÇO DE FICHA CATALOGRÁFICA AUTOMATIZADO

análise dos módulos FiCat 2.0 da Universidade Federal do Pará e da Universidade Federal Rural da Amazônia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18764/2526-6160v22n1.2023.1

Palavras-chave:

representação descritiva da informação, ficha catalográfica, produto da informação

Resumo

Vivemos em um mundo onde os fluxos de dados e informação se tornam cada vez maiores, e nos fazem refletir nos antigos e pensar em novos métodos e sistemas de organização para que essa informação seja armazenada e acessível. A motivação da escolha do tema se deu por meio da percepção do arranjo da informação feita em fichas catalográficas de livros e pela percepção de que alguns usuários têm na ficha um guia direto para elaboração de referências e que para tal faz-se necessário que a informação esteja não padronizada, mas organizada. O estudo tem como objeto a ficha catalográfica e se estende aos serviços e produtos informacionais oferecidos pelas Instituições de Ensino Superior, tanto no serviço de ficha catalográfica manual ou automatizado. Quanto à metodologia, a pesquisa classifica-se como descritiva, de abordagem qualitativa e de natureza básica. Dentre os procedimentos utilizados para o estudo, optou-se pela revisão bibliográfica para contextualização e conceitualização do tema e subtemas, com base nos autores: Mey (1995), Borges (2019; 2020), Alves (2009) e, Lima e Alvares (2012). Além disso, foi realizada a geração de fichas cartográficas no sistema FICAT 2.0 das instituições para posterior análise e comparação com o que é prometido e orientado nos manuais de acesso. É certo que a tecnologia ao longo dos anos impulsionou muito a área e o serviço da informação, o FICAT da UFPA e da UFRA está na sua versão 2.0, depois de receber upgrades e ser comparado com outros sistemas de igual funcionalidade. Autonomia e operacionalidade são as palavras-chave para o FICAT, pois é um sistema de fácil manuseio que possibilita a alimentação do formulário por pessoas que não possuem conhecimento aprofundado na temática Representação da Informação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eddie Carlos Saraiva da Silva, Universidade Federal do Pará

Mestrando em Ciência da Informação pela Universidade Federal do Pará. Graduado em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Pará. Bibliotecário no Instituto Tecnológico Vale.

João Batista Ernesto de Moraes, Universidade Federal do Pará

Doutor em Estudos Literários, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professor Visitante do Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação, da Universidade Federal do Pará.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6029: informação e documentação: livros e folhetos: apresentação. 2. ed. Rio de Janeiro: ABNT, 2006. 10 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. 2. ed. Rio de Janeiro: ABNT, 2005. 9 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR ISO/IEC 9126-1: engenharia de software: qualidade de produto. Rio de Janeiro: ABNT, 2003. 21 p.

ASSUMPÇÃO, Fabrício Silva. AACR2, MARC 21 e controle de autoridade: um guia de estudo. Florianópolis, 2020. Disponível em: https://fabricioassumpcao.com/guia-de-estudo. Acesso em: 13 maio 2021.

BORGES, Graciane Silva Bruzinga; MIRANDA, Letícia dos Santos; CARVALHO, Mariana Freitas Canielo de; ARAÚJO, Celsiane Aline Vieira; MACULAN, Benildes Coura Moreira dos Santos. Ficha catalográfica dinâmica como recurso educacional para cursos de biblioteconomia. In: CONGRESSO DE INOVAÇÃO E METODOLOGIAS NO ENSINO SUPERIOR, 4., 2019, Belo Horizonte. Anais […]. Belo Horizonte: UFMG, 2019. Disponível

em: https://congressos.ufmg.br/index.php/congressogiz/IVCIM/paper/view/811/402.

Acesso em: 13 abr. 2021.

BRASIL. Lei n. 10.753, de 30 de outubro de 2003. Institui a Política Nacional do Livro. Diário Oficial da União, Brasília, DF, p. 180-181(Edição extra), 31 out. 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.753.htm. Acesso em: 13 abr. 2021.

CATALOGAÇÃO na fonte: um brilhante projeto que não alcançou os objetivos propostos: o problema da falta de padronização. São Paulo: FEBAB, [2015]. Disponível em: http://repositorio.febab.org.br/items/show/1528. Acesso em: 13 abr. 2021.

CONSELHO FEDERAL DE BIBLIOTECONOMIA. Resolução n. 184, de 29 de setembro de 2017. Dispõe sobre a obrigatoriedade da indicação do nome e do registro profissional do bibliotecário nos documentos de sua responsabilidade e nas fichas catalográficas em publicações de qualquer natureza. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 180-181, 6 out. 2017. Disponível em: http://repositorio.cfb.org.br/bitstream/123456789/1298/1/Resolu%c3%a7%c3%a3o%20184%20Cataloga%c3%a7%c3%a3o%20na%20Fonte.pdf. Acesso em: 5 jan. 2021.

CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA (CRB). 3. região. Perguntas

frequentes. Fortaleza, [20--?]. Disponível em: http://crb3.org.br/perguntas-frequentes/. Acesso em: 1 ago. 2022.

CUNHA, Murilo Bastos da; CAVALCANTI, Cordélia Robalinho de Oliveira. Dicionário de biblioteconomia e arquivologia. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 2008.

DIAS, Eduardo Wense; NAVES, Madalena Martins Lopes. Análise de assunto: teoria e prática. Brasília, DF: Thesaurus, 2007. (Estudos avançados em Ciência da Informação, 3).

FERREIRA, Carla et al. Catalogação na fonte. Goiás: UFG, 2010. 28 slides. Disponível em: https://pt.slideshare.net/carlaferreira66/catalogao-na-fonte. Acesso em: 9 abr. 2021.

GARVIN, David A. Gerenciando a qualidade: a visão estratégica e competitiva. Rio de Janeiro: Qualitymark Editora, 1992.

GALEFFI, Agnese et al. Declaração dos Princípios Internacionais de Catalogação (PIC). Tradução de Marcelo Votto Teixeira. Revisão de Jorge Moisés Kroll do Prado. [S.l.]: IFLA, 2016. Disponível em: https://www.ifla.org/files/assets/cataloguing/icp/icp_2016-pt.pdf. Acesso em: 10 abr. 2021.

INTHURN, Cândida. Qualidade & teste de software. Florianópolis: Visual Books, 2001.

MACHADO, Raildo de Sousa; ZAFALON, Zaira Regina. Catalogação: dos princípios e teorias ao RDA e IFLA LRM. João Pessoa: Editora UFPB, 2020.

MEY, Eliane Serrão Alves. Introdução à catalogação. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 1995.

SANTOS, Plácida Leopoldina Ventura Amorim da. Catalogação, formas de representação e construções mentais. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, [ s. l.], v. 6, n. 1, p. 1-24, 2013. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/115044. Acesso em: 21 maio 2021.

SILVA, José Fernando Modesto da. O AACR não dá, mas o RDA dará vitaminação ao catalogador. INFOhome. Cariri: 2008. Disponível em: https://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=334. Acesso: 10 abr. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA. Biblioteca Lourenço José Tavares Vieira da Silva. Como preencher o formulário para elaboração da ficha catalográfica. Belém: UFRA, [20--?a]. Disponível em: https://ficat.ufra.edu.br/pdf/Preencher.pdf. Acesso em: 20 set. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA. Sobre. FICAT 2.0. Belém: UFRA, [20--?b]. Disponível em: https://ficat.ufra.edu.br/Sobre.php. Acesso em: 20 set. 2021.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Biblioteca Central. Sobre. FICAT 2.0. Belém: UFPA, [20--?c]. Disponível em: http://bcficat.ufpa.br/sobre/. Acesso em: 20 set. 2021.

Downloads

Publicado

2023-06-28

Como Citar

Silva, E. C. S. da, & Moraes, J. B. E. de. (2023). SERVIÇO DE FICHA CATALOGRÁFICA AUTOMATIZADO: análise dos módulos FiCat 2.0 da Universidade Federal do Pará e da Universidade Federal Rural da Amazônia. Revista Bibliomar, 22(1), 13–34. https://doi.org/10.18764/2526-6160v22n1.2023.1

Edição

Seção

Artigos