Entre "liberais" e "déspotas"

as revoluções liberais europeias nos periódicos do Brasil de 1821

Autores

  • Arthur Reis UFES

Palavras-chave:

Independência, Imprensa, Era das Revoluções

Resumo

A passagem do século XVIII para o XIX foi marcada por modificações políticas e sociais nos países americanos e europeus, conectando realidades distantes e permitindo o compartilhamento de experiências. O artigo analisa como os movimentos liberais europeus foram abordados pelos periódicos do Brasil entre 1821 e a chegada da notícia do Fico nas províncias em que foram publicados. A pesquisa utiliza dados quantitativos de referências e extratos de jornais estrangeiros, além de análise qualitativa dos textos para mostrar como os editores usavam essas notícias em prol de causas políticas. Os periodistas criaram uma identidade liberal para mobilizar o público em defesa de seus interesses, com base no compartilhamento de experiências entre os dois lados do Atlântico. Essa identidade foi marcada pela polarização entre "liberais" e "déspotas", estimulada em 1821 em defesa do movimento político constitucionalista em Portugal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARMITAGE, David; SUBRAHMANYAM, Sanjay. The Age of Revolutions in Global Context, c.1760-1840. Londres: Palgrave MacMillan, 2009.

COSTA, Emília Viotti da. Introdução ao Estado da Emancipação Política do Brasil. In: NOVAIS, Fernando. (Ed.) O Brasil nos Quadros do Antigo Sistema Colonial. São Paulo: DIFEL, 1969.

COLLEY, Linda. A letra da lei: guerras, constituições e a formação do mundo moderno. São Paulo: Zahar, 2022.

GAMES, Alison. Atlantic History: definitions, challenges, and opportunities. The New World History. Oxford: Oxford University Press, v. 111, n. 3, 2006. Disponível em: <https://academic.oup.com/ahr/article/111/3/741/13790>. Acesso em 12/09/2021. Doi: https://doi.org/10.1086/ahr.111.3.741.

GODECHOT, Jacques. A independência do Brasil e a Revolução do Ocidente. In: MOTA, Carlos Guilherme. 1822: dimensões. São Paulo: Perspectiva, 1972.

GODECHOT, Jacques. As revoluções (1770-1799). São Paulo: Pioneira, 1976.

GRANJA, Lúcia; LUCA Tânia Regina de. Suportes e Mediadores: a circulação transatlântica dos impressos (1789-1914). Campinas: Editora da UNICAMP, 2018.

JANCSÓ, István. A Sedução da Liberdade: cotidiano e contestação política no final do século XVIII. In: SOUZA, Laura de Mello e. (Ed.). História da vida privada no Brasil: cotidiano e vida privada na América Portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

JANCSÓ, István.; PIMENTA, João Paulo. Peças de um mosaico: ou apontamentos para o estudo da emergência da identidade nacional brasileira. Revista de História das Ideias, v. 21, p. 389–440, 2000. Disponível em: < https://digitalis-dsp.uc.pt/jspui/bitstream/10316.2/41754/1/Pecas_de_um_mosaico.pdf>. Acesso em 12/09/2021. Doi: https://doi.org/10.14195/2183-8925_21_11.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto; PUC-RIO, 2006.

LEVATI, Edú Trota. Os periódicos da Independência e suas geografias politicas: o estudo do surgimento do Brasil independente e de sua inserção no contexto mundial (1808-1822). Dissertação de mestrado em História. Universidade de São Paulo, 2015.

MaCFARLANE, Anthony. Independências americanas na era das revoluções: conexões, contextos, comparações. In: MALERBA, Jurandir. (Ed.). A independência brasileira: novas dimensões. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2006.

MOTA, Carlos Guilherme. 1822: dimensões. São Paulo: Perspectiva, 1972.

NEVES, Lúcia Bastos Pereira das; FERREIRA, Tânia Maria Bessone da Cruz. Livreiros, impressores e autores: organização de redes mercantis e circulação de ideias entre a Europa e a América (1799-1831). In: GRANJA, Lúcia; LUCA, Tânia Regina de. (Eds.) Suporte e mediadores: a circulação transatlântica dos impressos (1789-1914). São Paulo: Editora da UNICAMP, 2018.

NOVAIS, Fernando Antônio. O Brasil nos quadros do Antigo Sistema Colonial. In: MOTA, Carlos Guilherme (Ed.). Brasil em perspectiva. São Paulo: DIFEL, 1982.

PALMER, Robert Roswell. The Age of the Democratic Revolution. Princeton: Princeton Univesity Press, 2014.

PALTI, Elías José. El momento romântico: nación, historia y linguajes políticos em la Argentina del siglo XX. Buenos Aires: EUBA, 2009.

PIMENTA, João Paulo Garrido. Tempos e espaços das independências: a inserção do Brasil no mundo ocidental (1780-1830). São Paulo: INTERMEIOS, 2017.

REIS, Arthur Ferreira. Emoção e patriotismo nos jornais da independência (1821-1823). Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2022

RINKE, Stefan.; SCHULZE, Frederik. Los orígenes de las revoluciones de independencia de América Latina en perspectiva atlántica. Estudos Ibero-Americanos2, v. 36, n. 2, p. 153–178, 2010. Disponível em: <https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5967954>. Acesso em 12/09/2021.

SCHULTZ, Kirsten. A Era das Revoluções e a transferência da corte portuguesa para o Rio de Janeiro (1790-1821). In: MALERBA, Jurandir. (Ed.). . Independência brasileira: novas dimensões. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

SEBASTIÁN, Javier Fernández. (Ed.) Diccionario político y social del mundo iberoamericano: La era de las revoluciones, 1750-1850. Madrid: Fundación Carolina; Sociedad Estatal de Conmemoraciones Culturales; Centro de Estudios Políticos y Constitucionales., 2009.

SEBASTIÁN, Javier Fernández. Cabalgando el corcel del diablo. Conceptos políticos y aceleración histórica en las revoluciones hispánicas. In: SEBASTIÁN, Javier Fernández; CAPELLÁN DE MIGUEL, Gonzalo (eds.). Conceptos políticos, tiempo e historia. Santander: Universidad de Cantabria McGraw-Hill Interamericana de España, 2013.

SEBASTIÁN, Javier Fernández (Ed.). Diccionario político y social del mundo iberoamericano, conceptos políticos fundamentales (1770-1870). Madrid: Centro de Estudios Políticos y Constitucionales, 2014.

SEBASTIÁN, Javier Fernández. Historia conceptual en el Atlántico Ibérico: lenguajes, tiempos, revoluciones. Madrid: Fondo de Cultura Económica, 2021.

SEBASTIÁN, Javier Fernández. La aurora de la libertad: los primeros liberalismos en el mundo iberoamericano. Madrid: Marcial Pons, 2012.

SODRÉ, Nelson Werneck. As razões da independência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965.

Fontes

Aurora Pernambucana, Recife, 1821.

Conciliador do Maranhão, São Luís, 1821.

Conciliador do Reino Unido, Rio de Janeiro, 1821.

Idade d’Ouro, Salvador, 1821.

Malagueta, Rio de Janeiro, 1821.

O Bem da Ordem, Rio de Janeiro, 1821.

O Espelho, Rio de Janeiro, 1821.

Relator Verdadeiro, Recife, 1821.

Reverbero Constitucional Fluminense, Rio de Janeiro, 1821.

Sabatina Familiar dos Amigos do Bem-Commum, Rio de Janeiro, 1821.

Segarrega, Recife, 1821.

Semanário Cívico, Salvador, 1821.

Downloads

Publicado

2024-03-11

Como Citar

Reis, A. (2024). Entre &quot;liberais&quot; e &quot;déspotas&quot;: as revoluções liberais europeias nos periódicos do Brasil de 1821. Revista Brasileira Do Caribe, 24(47), 45–59. Recuperado de https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rbrascaribe/article/view/21957