A docência na era da reprodutividade técnica:

regressão do pensamento, barbárie e as possibilidades da experiência na formação humana

Autores

  • Arlindo Lourenço Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Fernando Zanetti

Palavras-chave:

Crítica teórica, Atividade docente, Experiência, Formação humana, Modernidade, Walter Benjamin

Resumo

Este texto trata da relação entre a docência e as dificuldades cada vez mais acentuadas de conceituação do que seja a formação humana, num mundo marcado pelo amplo e globalizante desenvolvimento da economia, da técnica e das tecnologias, que, longe de proporcionarem, na mesma escala, desenvolvimento social, aprofundam as distâncias entre possuidores e despossuídos. Além disso, indicam uma ruptura que vem sendo sentida por teóricos críticos da sociedade de diferentes matizes epistemológicas, desde os anos de 1950, entre uma cultura humanística e calcada no bem comum e outra, mais instrumental e de massas, orientada para uma existência de viés hedonista, imediatista e submetida voluntariamente aos desejos do mercado, do Capital, do consumo e da diversão em si. A regressão e o ocaso do pensamento e, em particular, daquele que se critica naquilo que este tem de não verdadeiro, bem como a barbárie que é própria desses momentos da vida cultural, são discutidos a partir de autores como Walter Benjamin, Hannah Arendt e Michel Foucault, que ousaram abordar o que se convenciona considerar dado de verdade da história como derradeira. Defende-se que a formação humana se enfraqueceu e que a própria humanidade vem carecendo de outro modelo formativo, justamente aquele que toma a experiência da crítica como a única capaz de superar a grave crise ético-política e ambiental que o planeta enfrenta; talvez, a primeira que, de fato, leve a humanidade à extinção em razão de si própria e de sua ação sobre o mundo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, Theodor Wiesengrund; HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento. Fragmentos filosóficos. Tradução de Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

ADORNO, Theodor Wiesengrund. Educação e Emancipação. Tradução de Wolfgang Leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

ARENDT, Hannah. A Condição Humana. Tradução de Roberto Raposo. 10. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. Tradução de Mauro W. Barbosa de Almeida. São Paulo: Perspectiva, 2016a.

ARENDT, Hannah. Crise na cultura. In: ARENDT, H. Entre o Passado e o Futuro. Tradução de Mauro W. Barbosa de Almeida. São Paulo: Perspectiva, 2016b.

BENJAMIN, Walter. In: LAVELLE, Patrícia (org.). A arte de contar histórias. Tradução de Georg Otte; Marcelo Backes; Patrícia Lavelle. São Paulo: Hedra, 2018.

BENJAMIN, Walter. Documentos de Cultura, Documentos de Barbárie. Escritos escolhidos. Seleção e apresentação de Willi Bole. Tradução de Celeste H. M. Ribeiro de Souza et al. São Paulo: Cultrix / EDUSP, 1986.

BOURDIEU, Pierre (coord.). A Miséria do Mundo. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

COSTA, Sylvio de Sousa Gadelha. Governamentalidade neoliberal, teoria do capital humano e empreendedorismo. Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 34, n. 2, p. 171-186, 2009. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/8299/5537. Acesso em: 24 jan. 2024.

DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault, uma trajetória filosófica (para além do Estruturalismo e da Hermenêutica). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995. p. 253-278.

FOUCAULT, Michel. O que é a crítica? (Crítica e Aufklärung). Cadernos da F. F. C. (Faculdade de Filosofia e Ciências – UNESP), Marília, v. 9, n.1, 2000. Disponível em: https://michel-foucault.weebly.com/uploads/1/3/2/1/13213792/critica.pdf. Acesso em: 24 jan. 2024.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica. Curso dado no Collège de France (1978-1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. História e narração em Walter Benjamin. Campinas, SP: Perspectivas, 1994.

JAEGER, Werner. Paidéia: a formação do homem grego. Tradução Artur M. Parreira. São Paulo: Marins Fontes, 1994.

JAMES, William. Pragmatismo e outros textos. São Paulo: Abril Cultural, 1979 (Coleção Os pensadores).

KANT, Immanuel. Resposta à pergunta: Que é o “Esclarecimento” (“Aufklärung”). In: KANT, Immanuel. Textos Seletos. Edição bilíngue. Tradução de Floriano de Sousa Fernandes. Petrópolis, RJ: Vozes, 1974.

KANT, Immanuel. Sobre a Pedagogia. Tradução de Francisco Fontanella. 5. ed. Piracicaba: Editora UNIMED, 1999.

LA BOÉTIE, Étienne de. Discurso da Servidão Voluntária. Tradução de Laymert Garcia dos Santos. Comentários de Claude Lefort; Pierre Clastres e Marilena Chauí. São Paulo: Editora Brasiliense, 1982.

LAPOUJADE, David. William James, a construção da experiência. Tradução de Hortência Santos Lencastre. São Paulo: n-1 edições, 2017.

READ, Herbert. A redenção do Robô: meu encontro com a educação através da Arte. Tradução de Fernando Nuno. São Paulo: Summus, 1986.

RODRIGUES, Neidson. Educação: da Formação Humana à Construção do Sujeito Ético. Educação & Sociedade, v. 22, n. 76, out. 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/MpfHNQQRP5c4LBvN4pgPpwJ/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 23 jan. 2024.

ROUANET, Sérgio Paulo. O olhar iluminista. In: NOVAES, A. O olhar. São Paulo: Schwarcz, 1988.

SANDER, Jardel. Corpo-dispositivo: cultura, subjetividade e criação artística. ArtCultura. Uberlândia, v. 13, n. 23, p. 129-142, jul./dez. 2011.

Downloads

Publicado

2024-06-30

Como Citar

LOURENÇO, Arlindo; ZANETTI, Fernando.
A docência na era da reprodutividade técnica: : regressão do pensamento, barbárie e as possibilidades da experiência na formação humana
. Cadernos de Pesquisa, v. 31, n. 2, p. 1–22, 30 Jun 2024 Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/23814. Acesso em: 20 jul 2024.

Edição

Seção

Dossiê "Ensinar e aprender na universidade"