http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/issue/feed Revista Educação e Emancipação 2022-05-06T01:02:05+00:00 Lélia Cristina Silveira de Moraes lelia.silveira@ufma.br Open Journal Systems <p><strong>Publicação do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFMA</strong>.</p> <p>A Revista Educação e Emancipação é um periódico do Programa de Pós-Graduação em Educação, de acesso aberto que publica trabalhos originais de pesquisadores e estudiosos brasileiros e de outros países que tratem de educação, oriundos de pesquisas, bem como ensaios teóricos e resenhas. Os conceitos e posicionamentos emitidos são de inteira responsabilidade de seus autores.</p> <p>ISSN 2358-4319</p> <p>Periodicidade: Quadrimestral</p> <p> </p> http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19139 Do normal a um novo normal, onde a educação precisa estar? 2022-05-02T12:31:21+00:00 Valdete Gusberti Cortelini valdetegusbertic@gmail.com Geraldo Antônio da Rosa garosa6@ucs.br Dilnei Abel Daros ddilnei@hotmail.com <p>Este estudo faz uma análise do discurso de dois textos veiculados nas redes sociais da internet e duas reportagens televisionadas. replicados no ciberespaço, sobre o preconceito racial. O objetivo deste estudo é o de analisar o discurso e descrever a ideologia e sistemas de valores implícitos nos textos, além de discutir o papel da mídia, como veículo do discurso educacional no que se refere ao combate a crimes de preconceito. Por meio dessa análise discursiva, é possível não só evidenciar o modo como são manifestadas as relações intersubjetivas no contexto midiático, como também revelar as representações ideológicas contemporâneas sobre a temática racial. Para tal estudo, utilizamos a metodologia semiótica. Verifica-se, por outro lado, que se manifestam discursos com uma intencionalidade educativa que não se desenvolve na escola, abrindo espaço para uma discussão sobre o papel da mídia, como veículo de discursos educativos e preventivos.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19148 Análise semiótica do discurso e perspectivas educacionais na mídia: quando o negro é colocado como figurante 2022-05-03T00:41:40+00:00 Renan Antônio da Silva renan.antonio@uece.br Maria Cecília de Souza Minayo lepp@rc.unesp.br <p>Este estudo faz uma análise do discurso de dois textos veiculados nas redes sociais da internet e duas reportagens televisionadas. replicados no ciberespaço, sobre o preconceito racial. O objetivo deste estudo é o de analisar o discurso e descrever a ideologia e sistemas de valores implícitos nos textos, além de discutir o papel da mídia, como veículo do discurso educacional no que se refere ao combate a crimes de preconceito. Por meio dessa análise discursiva, é possível não só evidenciar o modo como são manifestadas as relações intersubjetivas no contexto midiático, como também revelar as representações ideológicas contemporâneas sobre a temática racial. Para tal estudo, utilizamos a metodologia semiótica. Verifica-se, por outro lado, que se manifestam discursos com uma intencionalidade educativa que não se desenvolve na escola, abrindo espaço para uma discussão sobre o papel da mídia, como veículo de discursos educativos e preventivos</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19149 A formação do professor da educação profissional técnica de nível médio: contextos e contradições 2022-05-03T01:20:39+00:00 Maria Aurilene de Deus Moreira Vasconcelos aurilenededeus@hotmail.com Bernadete de Souza Porto bernadete.porto@gmail.com Francisca Rejane Bezerra de Andrade rejane.bezerra@uece.br <p>Formar professores que exerçam a docência na educação profissional, especificamente na formação técnica de nível médio, tem sido um desafio constante para aqueles que planejam e executam as ações dessa modalidade de ensino. Diante dessa realidade, o presente artigo objetiva discutir sobre o processo de constituição da formação profissional dos professores que atuam na educação profissional técnica de nível médio no Brasil, analisando como esse processo foi pensado e estruturado para atender às necessidades de uma proposta de educação que historicamente foi relegada como secundária e/ou complementar. Inicialmente, realiza-se uma análise histórica da educação profissional, momento em que se revela a dualidade que alicerça a educação profissional e a educação propedêutica nos cursos de formação para os professores. Para atender ao objetivo proposto, o estudo utilizou-se da abordagem da pesquisa qualitativa por compreender que esta possibilita uma maior aproximação entre os sujeitos participantes. Dentro dessa abordagem metodológica também se fez uso dos métodos da análise documental, da técnica do Grupo Focal e da entrevista com cinco professores de uma Escola Estadual de Educação Profissional de Fortaleza. Os resultados da pesquisa revelaram o despreparo dos professores ao assumirem a docência nessa modalidade de ensino, e as dificuldades enfrentadas pelos sujeitos investigados perpassam por diversas dimensões, desde as questões pedagógicas até as estruturais. Diante da realidade apresentada, reafirma-se a urgência da definição de uma política de formação continuada para os professores da educação profissional no Brasil, particularmente para os professores que lecionam nos cursos técnicos de nível médio</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19151 Cultura escrita em um espaço de privação de liberdade: é possível garantir uma formação humana integral? 2022-05-03T01:42:51+00:00 Daniela Cristina da Silva-Garcia dani.letrasport@gmail.com <p>O estudo tematiza a educação escolar e a imersão na cultura escrita em um espaço de privação de liberdade, procurando compreender e problematizar a educação em linguagem no campo estudado, tendo como base os pressupostos filosófico-epistemológicos da Proposta Curricular de Santa Catarina (SC, 2014) de forma a responder à seguinte questão de pesquisa: Considerando os fundamentos da Proposta Curricular de Santa Catarina, a educação em linguagem tal qual se historia no Centro de Educação de Jovens e Adultos no Complexo Penitenciário de Florianópolis, faculta uma imersão mais ampla dos detentos nas diversas manifestações da cultura escrita, visando à formação humana integral desses sujeitos? Em o fazendo, como isso se delineia? Em não o fazendo, o que se coloca em seu lugar? Para alcançar o objetivo intentado, de – com base na questão de pesquisa – problematizar a educação escolar em linguagem nessa articulação entre esfera escolar e esfera carcerária, a pesquisa tem base qualitativa, tendo sido realizada na Unidade Descentralizada do Centro de Educação de Jovens e Adultos mantido no Complexo Penitenciário de Florianópolis.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19152 Docência no Quilombo Itambé: história, memória e vivências 2022-05-03T01:53:49+00:00 Nilce Vieira Campos Ferreira nilcevieiraufmt@gmail.com Luisa Bomdespacho Rodrigues luisabomdespacho@gmail.com Joira Aparecida Leite de Oliveira Amorim Martins joira.martins@ufmt.br <p>A Escola Estadual Quilombola Reunidas de Cachoeira Rica-EQRCR, criada em 1939 e ativa até os dias atuais, localizada no município de Chapada dos Guimarães, no estado de Mato Grosso, é objeto de análise neste texto, a partir de fontes como regulamentos, testemunhos e outras condições de funcionamento, principalmente com relação à formação de professoras e professores para atuação nos quilombos mato-grossenses. Estabeleceu-se como proposta teórico-metodológica a pesquisa bibliográfica e análise de fontes documentais, além da utilização de entrevista não estruturada. Encontramos fundamentos nos estudos de movimento da Escola dos Annales (BURKE, 1997).Concluiu-se que a EQRCR tem dificuldades em cumprir seu papel social em elucidar acerca da importância da identidade quilombola de seu povo, causado, provavelmente, pela escassa formação específica de professoras e professores para atuação em escolas quilombolas mato-grossenses, tanto antes como depois de ser reconhecida como educação escolar quilombola</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19153 Educação de Pessoas Jovens e Adultas: uma perspectiva realista ou simples utopia? 2022-05-03T02:07:38+00:00 Márcia Isabel Gentil Diniz marciagentil@uol.com.br Leandro Alcasar Rodrigues leandroalcasar@yahoo.com.br <p>A Educação de Pessoas Jovens e Adultas (EPJA) deveria ser uma modalidade educacional direcionada a se almejar uma identidade responsável e adequada a todos que a ela recorressem e não apenas uma simples proposta de inserção de um sujeito estudante-aprendiz no mercado de trabalho. Objetiva-se então neste estudo refletir sobre a necessidade de uma proposta pedagógica diferenciada, que pudesse ser planejada com uma concepção educacional que responda amplamente as necessidades da população jovem e adulta. Para tanto, procedeu-se uma análise crítica da literatura acerca dos obstáculos que envolvem educação de pessoas jovens e adultos buscando refletir quanto aos dilemas e perspectivas presentes neste contexto, pontuando-se também o papel das políticas públicas educacionais no Brasil que historicamente vem sendo marcadas por experiências frágeis e descontínuas alicerçadas pelo descaso governamental que foram estudadas sob metodologia de revisão narrativa. Quanto aos resultados, pode-se afirmar que se vivencia uma apreensão em não se ajustar mudanças estruturais na ordem societária, fomentado medidas que clareiam as consequências das opções sociopolíticas e econômicas oriundas da classe dominante com seus interesses corporativos do capital. O que se conclui através do estudo é que os obstáculos político-pedagógicos evidenciam que a EPJA está inserida em notórias imprecisões com recuos nos escassos avanços políticos que vinham sendo conquistados, sendo agora ainda mais intensificados com as decisões tomadas recentemente pelo governo federal que retratam o desinteresse ideológico e político que reforçam acentuadamente a exclusão social e educacional.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19154 A formação na educação profissional e tecnológica no ensino técnico integrado: expectativas para uma formação humana em uma instituição do norte de Minas Gerais 2022-05-03T02:25:46+00:00 Wanderson Pereira Araújo wanderson_pa@yahoo.com.br Cláudio Wilson dos Santos Pereira claudiowilson.cba@gmail.com Maurício Gabriel Mendes Gaia mauriciogabriel507@gmail.com <p>Esta pesquisa vincula-se ao Grupo de Estudo e Pesquisa Educação Docência e Diversidade (GEPEDD) cadastrado no CNPq. Tendo em vista as transformações sociais que vem ocorrendo no mundo do trabalho, bem como as suas consequências para a formação profissional e tecnológica dos trabalhadores, o presente artigo analisa as expressões dos estudantes em relação ao Ensino Técnico Integrado ao Ensino Médio em uma instituição do Norte de Minas Gerais, revelando com clareza o sentido ontológico da formação integral dos indivíduos. Este trabalho é resultado de uma pesquisa desenvolvida no Programa de Iniciação Científica (PIBIC) vinculado ao Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG). Para o desenvolvimento metodológico da investigação, utilizou-se a observação participante, a pesquisa bibliográfica e aplicação de questionários aos estudantes de três cursos técnicos. Ao longo da investigação verificaram-se as expectativas dos jovens estudantes da Educação Profissional e Tecnológica em relação: a escolha do curso técnico e a futura profissão, os fatores sociais que influenciam na escolha da profissão, os motivos que os levam a desistência dos cursos e a visão de mundo. Deste modo, foi possível perceber que a formação técnica-profissional se pretende contribuir para uma formação integral terá que permitir aos indivíduos engajar-se na luta pela construção de uma sociedade para além do capital</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19155 Diversos olhares sobre o Pibid no Subprojeto de Biologia 2022-05-03T02:51:01+00:00 Joelma de Fátima Mendes joelma.mendes@ifnmg.edu.br Ivy Daniela Monteiro Matos ivy.monteiro@ifnmg.edu.br Rute Meira Ribeiro rutemeirajuv@gmail.com <p>estudantes das escolas de Educação Básica; os acadêmicos, alunos da licenciatura; os supervisores, professores das escolas de Educação Básica receptoras do programa; os coordenadores, professores da licenciatura e gestores do programa. Objetiva-se investigar os olhares de cada um desses sujeitos a partir do desenvolvimento de um projeto, mais especificamente de um subprojeto na área de Biologia. O campo empírico conta com uma pesquisa de campo de natureza descritiva, com abordagem quantitativa e qualitativa, utilizando o questionário como instrumento de coleta de dados. Os resultados revelam a importância do Pibid para a valorização do magistério, a escolha consciente da carreira e para o desenvolvimento do processo de ensino-aprendizagem, corroborando com autores como Gatti et al (2014), Lourenço (2012), Linhares (2014), Nascimento (2018) e Soares (2012).</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19156 Resultados e percepções da política educacional na cidade do Rio de Janeiro (2009-2016) 2022-05-03T03:16:06+00:00 Jairo Campos dos Santos jairo06@uol.com.br Luiza Alves de Oliveira luiza.aoliveira@uol.com.br <p>O presente trabalho procura analisar uma política pública educacional, caracterizando a nova política estabelecida, apresentando os resultados objetivos alcançados e o volume de recursos utilizados, bem como, de forma complementar, apresentar as percepções dos profissionais que fizeram parte dela, atuando de forma operacional. Para tanto, todo esse retrato transcrito tem como objetivo identificar se, no período estudado, a política educacional deixou um legado positivo, ou seja, se os resultados esperados foram alcançados e se tudo isso é corroborado ou não pela percepção dos profissionais de educação que atuaram nessa política e que responderam a um instrumento de pesquisa. Esses profissionais ocupam diversas funções dentro das escolas, estão em diversas unidades escolares da rede municipal de educação da cidade do Rio de Janeiro e, como todos são professores, um grande grau de homogeneidade está presente nesse sentido. Observamos, apesar do enorme volume de recursos públicos utilizados, uma tímida execução positiva das metas e uma aceitação extremamente baixa da política pelos profissionais – um fato preocupante, pois demonstra que mais uma geração poderá se perder com um fraco aprendizado na parte mais preciosa da Educação Básica, na qual são enraizados conceitos e valores importantes para o desenvolvimento da vida coletiva e social.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19157 ‘Cadê? Tá aqui!’: uma história de cantar e de brincar 2022-05-03T03:31:30+00:00 Giana Amaral Yamin giana@uems.br Míria Izabel Campos miriacampos@ufgd.edu.br Juliane Ferreira Vieira julianevieira1278@gmail.com <p>Apesar da impositiva luta nacional para solidificação da concepção de bebês como sujeitos protagonistas, em algumas instituições, eles são mantidos isolados em berçários. Impedidos de agirem sobre o mundo, vivenciam uma rotina pautada em cuidados básicos (higiene, saúde e alimentação) e na execução de atividades, cuja linguagem, muitas vezes, descontextualizada, fortalece sua condição incapaz. Diante disso, o objetivo deste texto é trazer à baila a história ‘–Venha brincar comigo’?, projeto da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), que trata de uma vivência de cantar e de brincar para crianças de até três anos de idade. A experiência é desenvolvida desde o ano de 2010 em diversos espaços da cidade de Dourados, Mato Grosso do Sul (MS). Especificamente para este artigo, foram analisadas, à luz do referencial histórico-cultural, algumas cenas do percurso, marcadas por aspectos da presença do jogo tradicional achar/esconder, extremamente apreciado pelos bebês. Como metodologia, utilizaram-se fragmentos de registros do acervo do projeto e de relatórios das componentes que desenvolvem o trabalho na comunidade. Ressaltam-se, como resultados, o quanto é possível e necessária a proposição de atividades culturais para bebês, bem como a importância do projeto para a formação inicial das futuras professoras, pois as estudantes do curso de Pedagogia da UEMS visualizaram que as múltiplas possibilidades de comunicação com os bebês são oriundas do campo sensorial, daí vislumbrar a adoção do diálogo do olhar, do toque, do tempo dispensado para a observação, como também da oralidade e da expressão gestual em seus trabalhos em instituições de Educação Infantil</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19158 A opção pelo Ensino Médio Integrado: o caso dos alunos de um campus agrícola do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais 2022-05-03T03:46:09+00:00 Hellen Vivian Moreira dos Anjos hellen.anjos@ifnmg.edu.br Remi Castioni remi@unb.br Fernando Barreto Rodrigues fernando.barreto@ifnmg.edu.br <p>Este artigo analisa a opção dos alunos de um campus agrícola do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais pelo Ensino Médio Integrado (EMI). A instituição está localizada na Mesorregião Norte de Minas Gerais. A coleta de dados contou com a realização de um grupo focal com oito estudantes do EMI e a aplicação de questionários estruturados a trezentos e sessenta e três alunos desta modalidade de ensino. Constituíram-se como elementos chave deste estudo as seguintes questões: por que os estudantes dos cursos Técnicos Integrados ao Ensino Médio dessa instituição optaram por esta modalidade de ensino? O EMI no campus em questão contempla as necessidades dos jovens para o ingresso no Mundo do Trabalho? Qual o traçado dos perfis desse grupo de indivíduos? Quais são as conexões de seus perfis com os itinerários de sua transição escola-trabalho-universidade? As etapas desta pesquisa (grupo focal e questionário estruturado), aliadas ao referencial teórico, foram essenciais na compreensão do que desejam esses sujeitos e quais são as representações que constroem da instituição e dos cursos.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19159 A corporeidade e o desenvolvimento pessoal na formação continuada de professoras 2022-05-03T04:19:08+00:00 Fernanda Pastori Franzé pastorifernanda@gmail.com Fernanda Rossi fernandarossiunesp@gmail.com <p>Este artigo tem por objetivo analisar as possibilidades de desenvolvimento pessoal de professoras, concebendo a corporeidade como matriz orientadora de um processo de formação continuada na docência. O estudo foi desenvolvido no âmbito de um programa de formação continuada em yoga e educação e contou com a participação de 17 professoras atuantes na Educação Infantil de um Sistema Municipal de Ensino do interior de São Paulo. Os dados foram gerados por entrevistas semiestruturadas. As análises resultaram em reflexões sobre a corporeidade no âmbito do conhecimento de si e das relações afetivas e sociais. Constatou-se que o processo formativo promoveu a consciência corporal, o respeito aos limites do corpo, a descoberta das potencialidades, a consciência na respiração, a diminuição de dores físicas, estados de relaxamento, flexibilidade e equilíbrio. Somadas a tais percepções, as professoras indicaram melhor controle de ansiedade e de agitação, reflexões pessoais, socialização, autocontrole e tranquilidade. Conclui-se que a formação alcançou a dimensão pessoal das professoras, potencializando a manifestação e expressão da corporeidade por meio da prática e filosofia do yoga. A corporeidade presente nos processos formativos pode agregar mais qualidade na ampla esfera da formação docente, contemplando a dimensão pessoal articuladamente à profissional.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19160 O corpo ausente: a pesquisa educacional em tempos de pandemia (2020-2021) 2022-05-03T04:54:29+00:00 Christian Fernando Ribeiro Guimarães Vinci christian.guimaraes.vinci@gmail.com Lidia Vasconcelos Rodrigues lidia.1695899@discente.uemg.br <p>Esse estudo almeja mensurar a produção educacional interessada em discutir os impactos do modelo remoto de ensino, considerando os artigos publicados ao longo do intervalo 2020 e 2021 em periódicos alocados nos estratos A1 e A2 da tabela Qualis-CAPES. Parte-se da seguinte hipótese, aventada por Nikolas Rose e Francisco Ortega: assistimos nas últimas décadas a uma mudança de paradigmas em relação ao nosso corpo que, de mero invólucro de algo maior – a consciência ou a alma –, transmutou-se em um signo privilegiado de identidade, gerando toda uma cultura voltada ao aprimoramento de nossas potências corpóreas. Em decorrência dessa mudança, diversos discursos que tomam o corpo como objeto, mormente aqueles ligados a neurociências, ganharam fôlego e impactaram o campo dos estudos pedagógicos. Desse modo, propomos investigar a seguinte problemática: qual papel restou ao corpo, bem como aos discursos neuropedagógicos que o tomavam como objeto de ação, dentro da produção pedagógica surgida no período pandêmico? Por meio de um inventário discursivo, alinhada aos pressupostos defendidos por Michel Foucault, a partir dos artigos publicados nesse período e que levam em consideração a atual conjuntura, foi possível averiguar que a preocupação com o corpo desapareceu, cedendo espaço para uma discussão em relação a necessidade de ressignificarmos a tarefa de educar as novas gerações.</p> 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19161 Expediente 2022-05-03T05:08:29+00:00 Lélia Cristina Silveira de Moraes revistaeduc.emancipacao@ufma.br 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19162 Editorial 2022-05-03T05:13:43+00:00 Ilma Vieira do Nascimento ilmavieira13@gmail.com 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/reducacaoemancipacao/article/view/19175 Edição Completa 2022-05-05T17:39:25+00:00 Lélia Cristina Silveira de Moraes revistaeduc.emancipacao@ufma.br 2022-05-06T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022