AULAS REMOTAS NAS LICENCIATURAS DURANTE A PANDEMIA: FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES

Autores

  • Yasmin Leon Gomes Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Caroline Kretzmann Pontifícia Universidade Católica do Paraná
  • Daniele Saheb Pedroso Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Palavras-chave:

Educação Superior, COVID-19, Ensino Remoto

Resumo

A pandemia da COVID-19 exigiu a migração das aulas presenciais para o ensino remoto, gerando muita discussão sobre a qualidade da educação emergencial, especialmente porque a aula remota é uma modalidade recente, sendo confundida com outras formas de ensino on-line, como a educação a distância. Nesta pesquisa, procurou-se identificar as potencialidades e fragilidades, em relatos de professores de licenciatura, na aplicação de aulas remotas durante a pandemia da COVID-19 no primeiro semestre de 2020. Para isso, realizou-se uma pesquisa qualitativa em duas etapas: um estudo bibliográfico diferenciando aula remota, educação a distância, ensino híbrido e educação digital, baseado em Bacich, Tanzi Neto e Trevisani (2015), Valente (2015), Moreira e Schlemmer (2020) e Moreira, Henriques e Barros (2020); também aplicou-se aos docentes participantes um questionário on-line, composto por dados pessoais, seis questões fechadas e 12 abertas. A análise das respostas possibilitou identificar como potencialidades das aulas remotas a comunicação e a interação de qualidade entre docentes e estudantes, bem como entre os últimos e os pares. O domínio de ferramentas e recursos digitais aparecem como decisivos para essa relação de proximidade. Entretanto, a falta de exposição dos estudantes durante os encontros, a queda da frequência, agravada pela carência de acesso de qualidade ao meio digital, são fragilidades do modelo remoto. Para que se efetive uma educação digital de qualidade, essas questões precisam ser enfrentadas com um currículo e formação docente focados na inovação e na aprendizagem significativa, bem como com planejamento de aulas coerente com as particularidades do ensino remoto.

Palavras-chave: Educação Superior. COVID-19. Ensino Remoto.

REMOTE TEACHING DURING PANDEMIC: STRENGTHS AND WEAKNESSES

The COVID-19 pandemic required the migration from face-to-face classes to remote teaching, generating much discussion about the quality of emergency education, especially since remote teaching is a recent modality, being confused with other forms of online education, such as distance learning. In this research, we tried to identify the strengths and weaknesses, in reports from undergraduate professors, in the application of remote classes during the COVID-19 pandemic in the first semester of 2020. For that, a qualitative research was carried out in two stages. One, a bibliographic study differentiating remote education, distance learning, hybrid teaching and digital education, based on Bacich, Tanzi Neto and Trevisani (2015), Valente (2015), Moreira and Schlemmer (2020) and Moreira, Henriques and Barros (2020); and an online questionnaire was also applied to the participating professors, consisting of personal data, and 18 questions being six closed and 12 open. The analysis of the answers made it possible to identify as potentialities of remote classes the communication and the quality interaction between teachers and students, as well as between the last ones and their peers. The mastery of digital tools and resources appears to be decisive for this proximity relationship. However, the lack of exposure of students during the meetings, the drop in attendance, aggravated by the lack of quality access to the digital medium, are weaknesses of the remote model. For quality digital education to take place, these issues need to be addressed with a curriculum and teacher training focused on innovation and meaningful learning, as well as with lesson planning consistent with the particularities of remote education.

Keywords: Higher Education. COVID-19. Remote Education.

CLASES EN LÍNEA EN LAS LICENCIATURAS A LO LARGO DE LA PANDEMIA: DEBILIDADES Y POTENCIALIDADES

La pandemia del COVID-19 ha exigido el cambio de las clases presenciales para la enseñanza en línea creando discusión acerca de la calidad de la educacion emergencial porque esa es una modalidad reciente, por veces confundida con enseñanza on-line y educación a distancia. En esta investigación se ha buscado identificar las potencialidades y debilidades, en relatos de professores de licenciatura, en la aplicabilidad de clases en línea durante la pandemia del primer semestre de 2020. Así, se ha hecho una investigación calitativa en dos etapas: un estudio bibliográfico diferenciando clases en línea, educación a distancia, enseñanza híbrida y educación digital basado en Bacich, Tanzi Neto y Trevisani (2015), Valente (2015), Moreira y Schlemmer (2020) y Moreira, Henriques y Barros (2020); también se ha aplicado al profesorado participante un cuestionario on-line, compuesto por datos personales, seis cuestiones cerradas y 12 abiertas. Dicho análisis ha posibilitado identificar potencialidades de las clases en línea, la comunicación y la interacción de calidad entre docentes y estudiantes y sus pares. El dominio de herramientas y recursos digitales aparece como crucial para el acercamiento. Sin embargo, la falta de exposición de los estudiantes en las clases, la disminución de la frecuencia, empeorado por la deficiencia de acceso de calidad en el medio digital, son debilidades de este modelo. Para su efectividad, esas cuestiones necesitan ser afrontadas con un currículum y capacitación docente orientada hacia la innovación y el aprendizaje significativo, así como una planificación de clases coherente con las particularidades de la enseñanza en línea.

Palabras clave: Educación superior. COVID-19. Enseñanza en línea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yasmin Leon Gomes, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Licenciada em Ciências Biológicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e em Pedagogia pela UNINTER. Atualmente mestranda em Educação também pela PUCPR e atua em docência na Educação Básica (anos iniciais do Ensino Fundamental).

Caroline Kretzmann, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Graduada em Letras Português - Inglês pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR, 2004). Especialista em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira (PUCPR, 2006). Mestre em Educação (PUCPR, 2008), com a defesa do tema: "A produção do conhecimento na leitura e na escrita na formação de professores em cursos de Pós-graduação stricto sensu". Tem experiência como docente de Língua Portuguesa e Produção de Textos no Ensino Fundamental e Médio. Atualmente é professora assistente na PUCPR, onde atua na graduação ministrando as disciplinas de Leitura e Escrita de Textos Técnicos e Científicos, Revisão de Textos Escolares, Prática Profissional: Gêneros Textuais Didáticos, Prática Profissional: Modelos de Análise de Materiais Didáticos, Prática Profissional: Elaboração de Materiais Didáticos, Prática Profissional: Pesquisa no Ensino de Línguas e Prática Profissional: Pesquisa no Ensino de Letras. Coordenou o programa HNB - Habilidades do Núcleo Básico de Língua Portuguesa, implantado, pela PUCPR (2013), com o objetivo de aprimorar as habilidades básicas de leitura e escrita dos graduandos dessa instituição. Áreas de estudos e de atuação: gêneros textuais, leitura, escrita, ensino de língua portuguesa e formação docente inicial e continuada.

Daniele Saheb Pedroso, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Professora Titular do Curso de Pedagogia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR). Membro do Grupo de pesquisa:Aprendizagem e Conhecimento na Prática Docente (PUCPR) e Educação, Meio Ambiente e Sociedade - Universidade Federal do Paraná. DOUTORA em Educação (Programa de Pós Graduação em Educação) pela Universidade Federal do Paraná (2013). Possui GRADUAÇÃO em Pedagogia, ESPECIALIZAÇÃO em Educação, Meio Ambiente e Desenvolvimento (2006), MESTRADO em Educação (Programa de Pós Graduação em Educação) pela Universidade Federal do Paraná (2008). Possui experiência em pesquisa, docência e gestão na Educação Básica (Educação Infantil e Anos Iniciais) e no Ensino Superior. Pesquisas com ênfase em Educação Ambiental e Complexidade, atuando principalmente nos seguintes temas: Formação e Prática Docente em Educação Ambiental. Atuou durante 17 anos na Educação Básica como docente e gestora pedagógica.

Downloads

Publicado

2022-03-29

Como Citar

Gomes, Y. L., Kretzmann, C., & Saheb Pedroso, D. (2022). AULAS REMOTAS NAS LICENCIATURAS DURANTE A PANDEMIA: FRAGILIDADES E POTENCIALIDADES. Cadernos De Pesquisa, 29(1), 33–58. Recuperado de http://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/15344