FAKE NEWS SOB A PERSPECTIVA DAS TRANSFORMAÇÕES SOCIAIS TRAZIDAS PELA MODERNIDADE LÍQUIDA

Autores

  • Katiucy Besen Pedroso Pacheco Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)
  • Jacineide Minela Knihs Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)
  • Marcos Vinícius Viana da Silva Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) http://orcid.org/0000-0001-9026-9553

DOI:

https://doi.org/10.18764/2236-4099v12n28.2022.11

Palavras-chave:

Modernidade líquida, Fake News, Pós-verdade

Resumo

As Fake News representam um fenômeno tão impactante na atualidade que foi eleita a palavra do ano em 2017 pelo Dicionário Collins. Nestes termos, o presente artigo tem como objetivo analisar o fenômeno contemporâneo das Fake News sob a perspectiva da modernidade líquida do sociólogo Zygmunt Bauman. Para melhor apresentar a temática, o estudo fora fracionado em 3 seções, na primeira foi compreendido o indivíduo e a sociedade líquida, enquanto na segunda seção são apresentadas algumas definições de Fake News e características utilizadas pelos pesquisadores para distingui-las de outros institutos que interferem no direito do cidadão à informação. Por fim, na terceira seção, utilizando-se novamente como base Zygmunt Bauman, demonstra-se empiricamente o fenômeno das Fake News e sua relação com a modernidade líquida. Nas considerações finais conclui-se que as Fake News e a sua disseminação avassaladora foram fortemente maximizados pelas influencias da modernidade líquida.

 

FAKE NEWS FROM THE PERSPECTIVE OF SOCIAL TRANSFORMATIONS BROUGHT BY LIQUID MODERNITY

Fake News represents such an impactful phenomenon today that it was elected the word of the year in 2017 by the Collins Dictionary. In these terms, this article aims to analyze the contemporary phenomenon of Fake News from the perspective of the liquid modernity of the sociologist Zygmunt Bauman. To better present the theme, the study was divided into three sections. In the first, the focus was to understand the individual and the liquid society. In the second section, some definitions of Fake News and characteristics used by researchers are presented to distinguish them from other institutes that interfere with citizens' right to information. Finally, in the third section, using Zygmunt Bauman as a base again, the phenomenon of Fake News and its relationship with liquid modernity is empirically demonstrated. In the final considerations, it is concluded that The influences of liquid modernity strongly maximized fake News and its overwhelming dissemination.

Keywords: Liquid modernity; Fake News; Post-truth

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Katiucy Besen Pedroso Pacheco, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)

Analista do TRE-SC. Especialista em Direito Constitucional e Direito Eleitoral. Mestranda de Gestão de Políticas Públicas - Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI).

Jacineide Minela Knihs, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)

Formação em Administração com habilitação em Comércio Exterior, MBA em Gestão da Cadeia Têxtil, Mestranda em Gestão de Políticas Públicas - Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI).

Marcos Vinícius Viana da Silva, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI)

Doutor (Doctor Juris) en Derecho pela Universidade de Alicante (2019), Doutor em Ciência Jurídica pela Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI (2019); Mestre em Ciência Jurídica pela UNIVALI (2015), Professor do Mestrado Profissional em Gestão de Políticas Públicas - PMGPP.

Referências

ALVES – MAZZOTTI, A.J., GEWANDDSZNAJER,F. O planejamento de Pesquisas qualitativas. In: ALVES – MAZZOTTI, A. J., GEWANDSZNAJDER, F. O. Os métodos nas ciências e naturais: pesquisa quantitativa e qualitativa. São Paulo: Thompson, 1999, cap 7.

ANCONA, Matthew D’. Pós-Verdade. A nova guerra contra os fatos em tempos de Fake News.Barueri: Faro Ediotiral, 2018.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt.Tempos líquidos Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo. Rio de Janeiro: Zahar, 2008

BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia. Tradução Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Editora paz e terra. 15ed. 2009.

BRASIL (SENADO). Disponível em: https://legis.senado.leg.br/comissoes/comissao?codcol=2292. Acesso em: 14 jan 2022.

BRASIL DE FATO: UMA VISÃO POPULAR DO BRASIL E DO MUNDO. Rio de Janeiro, 01 abr. 2019. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/2019/04/01/neste-1o-de-abril-relembre-nove-fake-news-que-marcaram-o-cenario-politico-do-brasil. Acesso em: 14 jan. 2022.

BUTANTAN, Instituto. A serviço da vida. Disponível em: https://butantan.gov.br/covid/butantan-tira-duvida/tira-duvida-fato-fake. Acesso em: 15 jan 2022.

BUZZFED, News. Disponível em: https://www.buzzfeednews.com/article/craigsilverman/viral-fake-election-news-outperformed-real-news-on-facebook#.etwaV6WDZq. Acesso em: 14 jan 2022.

CAPRA, Fritjof, LUISI, Pier Luigi. Tradução Mayra Teruya Eichemberg, Newton Roberval Eichemberg. A visão sistêmica da vida. São Paulo: Cultrix, 2014.

FARIAS, Fernando Castro de. Democracia e partidos em crise. Curitiba: Ithala, 2020.

GALHARDI, Cludia Pereira; FREITRE, Neyson Pinheiro; MINAYO, Maria Cecília de Souza; FAGUNDES, Maria Clara Marques. Fato ou Fake? Uma análise da desinformação frente á pandemia da Covid - 19 no Brasil. Scielo, São Paulo, p. 4201-4210, 30 set. 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/XnfpYRR45Z4nXskC3PTnp8z/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 14 jan. 2022.

GELFERT, Axel. Fake News: a definition. Informal Logic, [S.L.], v. 38, n. 1, p. 84-117, 15 mar. 2018. University of Windsor Leddy Library. http://dx.doi.org/10.22329/il.v38i1.5068. Disponível em: https://www.semanticscholar.org/paper/Fake-News%3A-A-Definition-Gelfert/38647fb450fd36fa9a8b08fafdb8d18a2042d7dc. Acesso em: 15 mar. 2021.

FAKE NEWS É ELEITA PALAVRA DO ANO POR DICIONÁRIOS COLLINS. São Paulo: Abril, 02 nov. 2017. Disponível em: https://veja.abril.com.br/mundo/fake-news-e-eleita-palavra-do-ano-por-dicionario-collins/. Acesso em: 07 fev. 2022.

HARARI, Yuval Noah Harari. 21 lições para o século 21. Trad. Paulo Geiger. São Paulo: Compainha da Letras, 2018.

HOLLER, Maximilian O componente humano nas mídias sociais e notícias falsas: o desempenho de líderes de opinião do Reino Unido no Twitter durante a campanha do Brexit, European Journal of English Studies, 25:1, 80-95, DOI: 10.1080/13825577.2021.1918842. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/13825577.2021.1918842. Acesso em: 14 jan 2022

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO PARANÁ. As fake News possuem mais chance de ser compartilhadas do que uma notícia verdadeira. 09.03.2018.

disponível em: https://www.tre-pr.jus.br/imprensa/noticias-tre-pr/2018/Marco/as-fake-news-possuem-mais-chance-de-ser-compartilhadas-do-que-uma-noticia-verdadeira. Acesso em: 15 jan 2022.

ISTO É. Notícias falsas circulam mais rápido do que as verdadeiras, diz estudo. Disponível em: https://istoe.com.br/noticias-falsas-circulam-mais-rapido-do-que-as-verdadeiras-diz-estudo/, acesso em 15 jan 2022.

JONAS VALENTE (ed.). Brasil tem 134 milhões de usuários de internet, aponta pesquisa. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2020-05/brasil-tem-134-milhoes-de-usuarios-de-internet-aponta-pesquisa#:~:text=Atualizado%20em%2026%2F05%2F2020,a%20134%20milh%C3%B5es%20de%20pessoas. Acesso em: 02 fev. 2022

LYOTARD, Jean François. A Condição Pós-Moderna. Trad. José Navarro. 3 ed. Gradiva, 2003.

LYOTARD, Jean-François. O pós moderno. Trad. Ricardo Corrêa Barbosa. Livraria José Olympio Editora S.A, 1979.

KAMINSKA, I. A lesson in fake news from the info-wars of ancient Rome. Financial Times, 2018. Disponível em: <https://www.ft.com/content/aaf2bb08-dca2-11e6-86ac-f253db7791c6> . Acesso em: 14 jan. 2022.

LEVITSKY, Steven; ZIBLATT, Daniel. Como as democracias morrem. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

RAIS, Diogo. Fake News: A conexão entre a desinformação e o direito. São Paulo: Editora dos Tribunais, 2020.

Rodríguez-Ferrándiz, Raúl (2019). Posverdad y fake news en comunicación política: breve genealogía. El pro-fesional de la información, v. 28, n. 3, e280314. Disponível em https://revista.profesionaldelainformacion.com/index.php/EPI/article/view/epi.2019.may.14/44155. Acesso em: 15 mar. 2021.

SANTOS, Guilherme Ferreira; SILVA, Otávio Guimarães Tavares da. Conceito de "Modernidade líquida": Revisão teórica e implicações para a prática da vida. Cadernos Zygmunt Bauman, Maranhão, v. 3, n. 5, p. 40-61, maio 2013. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/bauman/article/view/1490. Acesso em: 01 abr. 2021.

SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAKE NEWS E ELEIÇÕES, 2019, Brasília. Manifestação dos componentes da mesa de abertura. Brasília: Tse, 2019. Disponível em: http://bibliotecadigital.tse.jus.br/xmlui/handle/bdtse/5981. Acesso em: 15 mar. 2021

SIEBERT, Silvânia; PEREIRA, Israel Vieira. A PÓS-VERDADE COMO ACONTECIMENTO DISCURSIVO. Linguagem em (Dis)Curso, [S.L.], v. 20, n. 2, p. 239-249, ago. 2020. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/1982-4017/200201-00-00.

OBSERVATÓRIO da imprensa entrevista o sociólogo Zygmunt Bauman. Produção de Danilo Roldão. Rio de Janeiro: Observatório da Imprensa, 2015. P&B. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=kM5p8DqgG80. Acesso em: 05 maio 2021.

Downloads

Publicado

2022-05-12

Como Citar

Pacheco, K. B. P., Knihs, J. M., & Silva, M. V. V. da. (2022). FAKE NEWS SOB A PERSPECTIVA DAS TRANSFORMAÇÕES SOCIAIS TRAZIDAS PELA MODERNIDADE LÍQUIDA. Cadernos Zygmunt Bauman, 12(28). https://doi.org/10.18764/2236-4099v12n28.2022.11